Um caso de abuso da boa-fé…

A tragédia de Sócrates. Por Fernanda Câncio.

Mentiu ao país, ao seu partido, aos correligionários, aos camaradas, aos amigos. E mentiu tanto e tão bem que conseguiu que muita gente séria não só acreditasse nele como o defendesse, em privado e em público, como alguém que consideravam perseguido e alvo de campanhas de notícias falsas, boatos e assassinato de caráter (que, de resto, para ajudar a mentira a ser segura e atingir profundidade, existiram mesmo). Ao fazê-lo, não podia ignorar que estava não só a abusar da boa-fé dessas pessoas como a expô-las ao perigo de, se um dia se descobrisse a verdade, serem consideradas suas cúmplices e alvo do odioso expectável.

(ilustração via Rui A.: literatura para os dias que correm)

Anúncios

12 thoughts on “Um caso de abuso da boa-fé…

  1. JP-A


    Na teoria desta senhora, que integra o processo de obediência e salvamento do Costa Concordia para congresso e do PS em quebra vertiginosa oculta, o Charles Smith estava na Inglaterra sentado num sofá ao lado de uma linda mulher e de repente apeteceu-lhe meter-se com o PM de Portugal e considerar o gajo um corrupto e um gatuno, tendo para isso contratado um tio para ir à TV dizer que o despachou para o sobrinho no governo. Já a jornalista Manuela Moura Guedes decidiu, nesta mesma tese, partir em reforma antecipada. E como na altura as coisas ficaram no smog (“Segundo o que o Expresso revelou…, 75 por cento dos arquivos de contabilidade do Freeport em Londres foram queimados num incêndio”), já não interessava. No Iémen é que esta gente estava bem.

  2. André Miguel

    Ó troll quando a justiça encontrar e investigar o PSD aí falamos do assunto, ok?! Agora fala-se de quem te paga a avença. Portanto desampara a loja.

  3. André Miguel

    Por acaso quem nacionalizou o BPN?! Quem era governador do BdP e nada viu anos a fio?! Oliveira e Costa foi ilibado, ó palhaço???
    Tu queres é desconversar, por isso vai dar trela a pascácios da tua laia.

  4. Esta Câncio é do mais relés que há. Enquanto viveu e teve prendas à conta Sócrates nunca viu nem soube de nada e agora vem com este tipo de crónica. Pelo menos serve para os restantes apoiantes do Sócrates desmarcarem-se dele e que este não volte a pensar em candidatar-se a nenhum órgão público.

  5. > Esta Câncio é do mais relés que há

    Calma aí, que os relés eléctricos são muito úteis e não merecem ser confundidos com gente simplesmente reles.

    E de uma desfaçatez de entrar no Guiness, diga-se de passagem.

    (O DN tem algum prémio de reciclagem por continuar a recolher os dejectos da criatura?)

  6. «Calma aí, que os relés eléctricos são muito úteis e não merecem ser confundidos com gente simplesmente reles.»

    A utilidade dos relés decresceu grandemente com o advento dos MosFET e dos IGBT, e a subsequente queda do custo de fabrico de semicondutores de potência.

    As pessoas reles continuam inúteis, entretanto. Mais do que inúteis, prejudiciais.

  7. André Miguel

    Quem é que disse que era para esquecer ó palerma???

    Queres ver que um caso de má gestão de um banco privado (já julgado!) é o mesmo que teres um ex-PM com tamanhas suspeitas de corrupção???

    Podes ser parvo à vontade, mas não faças dos outros mais parvo que tu.

    Vens atirar areia para os olhos dos outros porque o assunto do post nao te interessa. Tens a avença em risco é?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s