The Gender Pay Gap


Jonathan Pie – The Gender Pay Gap

Recursos adicionais:
Gender Pay Gap: The Myth That Will Not Die (Computing Forever)
There Is No Gender Wage Gap (Christina Hoff Sommers)
John Stossel – The Gender Pay Gap (John Stossel)
Do Women Earn Less than Men? – Learn Liberty (Steven Horwitz)
The Truth About The Gender Pay Gap (Stefan Molyneux)

Anúncios

26 thoughts on “The Gender Pay Gap

  1. Alguém que esclareça. Qual a razão de na Europa a Suécia ser o país com menos mulheres empregadas e Portugal ser o que tem mais?

  2. AA

    M, há várias explicações para isso — uma é que o generoso welfare state, incluindo apoios à maternidade, recompensa quem faz a opção de ficar em casa.

  3. André Miguel

    M, talvez porque na Suécia há mais liberdade económica, logo a produtividade é maior, por isso os salários são mais altos e assim num casal não é necessário que os dois trabalhem apenas para pagar contas e encargos, já que apesar de uma maior carga fiscal, o esforço fiscal é menor.

  4. mg

    Não é realmente preciso tanta explicação estas imagens que toda a gente sabe intuitivamente chegam…


  5. Mg, e os rapazes não devem ter entrado com tudo, por muito igualdade que se queira, quando se joga contra mulheres uma pessoa tem mais calma, pelo menos no meu exemplo é dos meus colegas

  6. A Serena Williams provou do remédio que aplica às outras tenistas ela é quase um homem, mas esteve excelente quando disse que jogo feminino é diferente é que tem a espectacularidade própria.
    Interessante é que os prêmios dos torneios femininos são iguais aos dos masculinos, mas a receita da bilheteira é menor. Uma descriminação, tanto que alguns tenistas masculinos dizem que sendo assim deviam competir juntos e que o ranking fosse em conjunto.

  7. miguelmadeira,

    A sua leitura do gráfico está errada (tem de escolher employment-rate e dizer que apenas quer saber de mulheres em “perspectives”). De qualquer forma, a conclusão está certa: há mais participação de suecas do que de portuguesas no mercado de trabalho, relativamente falando.

    A percentagem sueca é 75% e a portuguesa 66%, reportados estas cifras a 2017Q4.

  8. Adorei a treta que não há discriminação no recrutamento para os postos de topo das empresas.

    Há menos de 10% de mulheres nas administrações porque as mulheres “escolhem” não ser promovidas nas empresas. Lindoooooo…

  9. mg

    Exatamente porquito ork, aquelas coitadas oprimidas assassinaram e cometeram um “crime” de “guerra” homofóbico contra os náxis que eram todos gays e que só queriam implementar o seu regime LGBT… e a revolução francesa foi conseguida pela bravura de uma mulher com as mamas à mostra, agitando uma bandeira francesa numa mão e disparando um mosquete com a outra…

  10. A. R

    “Olha que na II GM mulheres sniper do exército vermelho abateram milhares de macho-men nazis como tu” Foi o que fez um finlandês aos invasores nazi-soviéticos na Finlândia.

  11. Caro MG.

    Se vocês na extrema direita nacionalista não fossem tão incrivelmente burros, saberiam que o nacionalismo também é um produto da revolução francesa.

    Entretanto, não foi preciso andar a deitar portas abaixo para as snipers russas deitarem abaixo milhares de nazis.

  12. Caro ar

    Tirando a parvoíce de confundir comunistas com nazis, tem toda a razão.

    O que terá isso a ver com o que estamos aqui a falar é que não deu para perceber.

  13. Caro GM.

    Por falar nisso.

    A “gaja com as mamas de fora” que simboliza a revolução francesa é o retorno á estética e à ética da antiguidade, tão defendida pelos teus amigos fascistas.

    Nunca reparaste nos estandartes, águias e restante parafernália do Hitler e do Mussolini a imitar os modelos romanos ?

    De onde pensas que veio essa ideologia ?

    Nunca reparaste em nada de parecido relacionado com a revolução francesa ?

    Já comparaste os quadros de David com a arte do terceiro Reich ?

    Nunca reparaste na “ligeira” semelhança da arquitectura saída da revolução com a arquitectura nazi ? Hitler até queria copiar o arco do triunfo den Paris,

    Nunca reparaste nos fáscios como símbolos republicanos, ou nas águias napoleónicas ?

    Porque será que os últimos líderes da revolução se entitulavam cônsules, imperador ?

    Vocês nunca param um bocadinho para pensar ?

    A vossa treta da revolução francesa “judaica” é uma palhaçada.

    Os verdadeiros modelos da revolução e da democracia ou ditadura revolucionária foram sempre a antiguidade clássica e bárbara.

    O antigo regime de base teocrática tinha muito mais a ver com as tradições judaicas do que a revolução francesa.

    E em tudo isso, até no espírito revolucionário, o fascismo e o nazismo são tão “filhos da revolução” como o liberalismo e a democracia.

  14. mg

    Oh orkito, não admira que os nássis tivessem sido mortos aos “milhares” pelas snipers russas. Quem é que resiste à arma de destruição maciça destas.
    Eu colocaria-me em frente da mira delas e desenharia um alvo no meu peito a apontar ao meu coração com as palavras: “dispara aqui que eu não aguento mais ” <—–

  15. Caro MG.

    As elevadas baixas russas devem-se á traição dos teus amigos nazis, que atacaram de surpresa e sem declaração de guerra prévia um país com que mantinham um pacto de não agressão, ás purgas de Estaline, que enfraqueceram o exército e a tácticas que não davam importância ás próprias baixas.

    As mulheres que entraram em combate como partisans, pilotos ou snipers foram bastante eficientes e os teus super-homens da treta morriam como os outros.

    Por falar nisso, sabes o que os teus amigos super-homens pensam de latinos como nós ?

  16. Caro MG.

    Temo ser muita presunção da sua parte pensar que faz parte da raça dos senhores.

    Como latino os super-homens lá do norte consideram-no uma espécie de cãozinho. Um sub-humano útil para trair o seu próprio povo.

    Muitas organizações internacionais dos teus super-homens nem aceitam membros de pessoas oriundas de países latinos, que para eles não passam de animais.

    Enfim, há quem goste de ser tratado como um animal.

  17. mg

    “Nunca reparaste nos estandartes, águias e restante parafernália do Hitler e do Mussolini a imitar os modelos romanos ?”
    “Como latino os super-homens lá do norte consideram-no uma espécie de cãozinho.”

    VocÊ decida-se pá, ou eles admiravam e abraçavam o espirito e o modelos “romanos”, ou consideram o “latino” sub-humano.
    Veja lá se quiser ajuda a clarificar a sua kafkiana e disfuncional mente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s