Dia da Mulher, Sempre!

Para comemorar o que deve ser comemorado todos os dias, fica um vídeo de Ayn Rand, uma mulher da Liberdade.

Anúncios

7 thoughts on “Dia da Mulher, Sempre!

  1. Houve um tempo em que as mulheres faziam criação de homens, como por exemplo esta matrona romana que foi emulada durante muitos séculos: https://pt.wikipedia.org/wiki/Corn%C3%A9lia_Africana

    Mas desde que o delírio iluminista tomou conta do asilo, agora as mulheres têm o direito (e dever) de competir directamente com os homens a fazer coisas potencialmente mortais.

    É como se os criadores de cavalos de corrida decidissem pôr-se a quatro e irem correr contra os equídeos nas pistas.

    É óbviamente loucura, mas não faz grande mal, a espécie já deu o que tinha a dar, e provávelmente será substituída em breve por material mais resistente.

    O progresso é duro, mas é o progresso. Santo, santo, santo.

  2. Ayn Rand ?

    Isto é um caso para o MG.

    Ó MG anda cá !

    Olha outra ariana !

    Não te esqueças de condenar o judaismo do Marx, mas mistura-te bem com a direita destes conservadores, libertários e neolibs que isto é tudo sigfrieds e brunildes… de sinagoga…

  3. Caro MG.

    Caso ainda não tenhas percebido, vou falar na tua língua – a tipa é “”ariana””.

    As lideranças da direita parecem a convenção de estudantes da tora.

    Por mim não me afeta nada, mas rebolo-me a rir com a vossa alt rigth andar a por “” “” em tudo o que é esquerdista e não reparar que a maior parte da direita populista, libertária, neolib e tudo o mais, é chefiada pela tribo.

  4. Ayn Rand.

    É uma pena que o cenário da sua obra princpal, o Atlas, seja um plágio.

    Enfim, depois desenvolve uma história interessante e original nesse cenário.

    Que se torna bastante cómica pela carga de propaganda ideológica. Parece o Assim foi temperado o aço, hino comuna aos komsomol, mas virado do avesso.

    Assim, por exemplo, a obra apresenta os anti-socialistas como os únicos produtivos e criativos.

    O que significa que a autora considera muitos cientistas e intelectuais muito superiores a ela como não criativos nem produtivos.

    Assim, socialistas como Einstein, Bertrand Russell, Saramago, Soeiro Pereira Gomes etc, não serão criativos nem produtivos porque socialistas…

    Do mesmo modo pretende que qualquer política socialista a arreta a destruição da economia, quando o ocidente nunca cresceu tanto como na época em que adoptou o socialismo moderado social democrata. Sendo que ainda hoje os países onde ainda existe social-democracia, os nórdicos, continuam a ser os mais eficientes.

    Enfim. não deixa de ser uma obra interessante. E divertida, embora não o seja de propósito.

  5. «However, beginning in the early 1970s this model has come under increasing strain. Between 1970 and 1992 the growth rate of Swedish GDP has only been around 60 percent of that of the OECD average. In 1970 Sweden’s GDP per capita measured in purchasing-power parity was the third highest in the OECD. In 1990 it fell to fourteenth place and by 1993 it had fallen to seventeenth place, 13 percent below the OECD average. The low rate of unemployment (1-3 percent), which has characterized the Swedish model since 1950 rose to 8-13 percent in the early 1990s.1 This deterioration of Sweden’s economic performance combined with high long-term interest rates, unemployment and large public debts has resulted in a reduction in public spending and social insurance entitlement-levels and services. “Domestic demand has been depressed, public expenditure cut and a process of welfare state dismantling has been proposed, accompanied by the spread of an anti-welfare, market-oriented ideology in previously consensual, corporatist polities.”2» SAIS Journal. Itálico meu.

    E… lá se foi a eficiência.

  6. Caro Colaço.

    Está a falar de uma crise de há décadas atrás.

    Quando eu disse que os países nórdicos são os mais eficientes do mundo obviamente não queria dizer que são uns super-homens, deixo esse género de maluquices para marxistas e neoliberais.

    Obviamente que também estão sujeitos a crises como todas as sociedades.

    Vai-me dizer que sociedades mais neoliberais comp os EUA não estão sujeitos a crises ?

    AHAHAHAHAHAH

    Outra coisa, eu preferia de longe ser um cidadão sueco na crise dos anos 90 do que um cidadão americano na crise de 2007, quando milhões de pessoas de classe média de repente ficaram a ser sem abrigo na mais completa miséria – coisa que nunca aconteceu nos países nórdicos.

  7. A certa altura no vídeo, a Rand declara com o orgulho próprio da burrice, que, se uma mulher competente não consegue ser reconhecida por um patrão preconceituoso, apenas tem de procurar um que não o seja.

    Apenas…

    Provavelmente passaram toda a vida dela a tentar explicar-lhe que o problema é PRECISAMENTE não haver empregadores despreconceituosos em número suficiente para empregar as mulheres competentes, mas ela morreu sem conseguir perceber.

    Adaptando o poeta, ideologias burras tornam burra até a gente inteligente.

    A tipa não podia reconhecer porque isso seria mais uma prova que a tal mãozinha invizivel do mercado é folclore para turista ver.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s