As universidades portuguesas e a endogamia (2)

Para os interessados em ler mais sobre o tema, com particular incidência neste caso no segmento dos cursos superiores ligados à área da Administração Pública, recomendo este meu artigo conjunto com Cláudia Sarrico (que na altura em que realizámos o estudo ainda trabalhava numa Universidade portuguesa mas entretanto se mudou para a OCDE, onde é actualmente Higher Education Lead Analyst) publicado na revista científica Higher Education: Academic staff quality in higher education: an empirical analysis of Portuguese public administration education.

Leitura complementar: As universidades portuguesas e a endogamia.

Anúncios

13 thoughts on “As universidades portuguesas e a endogamia (2)

  1. Alguém me encontra artigos a atacar o Instituto Superior Técnico por ter contratado António Guterres como Professor Catedrático Convidado quando ele deixou de ser primeiro ministro? É que eu não encontro um único artigo desses…

  2. epá ó ork… um ex-pm a conseguir um tachão a dar aulas no ISCSP… esse grande instituto famoso a nível mundial que jorra dinheiro para os seus professores, que vêm convidados de todo o mundo dos mais altos cargos empresariais e políticos, só para dar aulas no ISCSP, que paga muito bem e dá um prestígio do caraças.

  3. Caro Marialva.

    Compreendo que fique aflito por o Pedro ir ganhar apenas o ordenado de topo da carreira universitária.

    Apesar de não ter qualquer experiência de docência, da sua licenciatura ser um bocado estranha e de não ir trabalhar a sério.

    Vai só dar umas aulas avulso e não vai ser responsável por nenhuma disciplina, porque isso cansa muito. O que é uma sorte para os seus alunos…

    Mas fique descansado.

    É só questão de tempo até lhe arranjarem uma data de empregos e negociatas, de preferência à custa do estado, como aquelas negociatas da treta da tecnoforma com o Relvas o Marques Mendes e o Angelo Correia.

  4. Caro Marialva.

    Estive a ver e descobri que o rendimento de professor catedrático é de quase 6000 euros.

    Ou seja, uns dez salários mínimos.

    Se você acha isso uma ninharia e encontrar uma miséria dessas em algum envelope lá em casa, não deite fora que eu fico com ele !

  5. O Passos Coelho, quer queiram ou não, foi chefe do governo de Portugal num dos períodos mais difíceis pós 25 de Abril/74 e que, tendo herdado um País quase a atingir a bancarrota, e não tendo outro remédio se não cumprir com o memorando de entendimento, que o governo anterior negociou com a troica, conseguiu, em tempo recorde, reconquistar a confiança dos nossos credores e pôr a nossa economia a crescer.
    E, no fim do mandato, não fugiu, foi a jogo e ganhou as eleições.
    Não aceitar que alguém que viveu esta enriquecedora experiência tem, forçosamente, muito para ensinar, quer seja o que fez bem, quer seja o que fez menos bem ou mal, é de uma tacanhez inaudita.

  6. Ouvi dizer que a empresa do Loucão é um farol a nível internacional.

    Então a empresa a meias da Cacarina e do Jirococó! É um rácio de capital que nem vos digo. E o Costa foi distinguido pela Forbes como gestor do ano em 2010!

    Nem vos falo das empresas do Bagão Félix, do Centeno, da Manuela Ferreira Leite, do Carlos César — esse tem uma empresa verdadeiramente familiar — nem do Galamba. São um mimo.

    É esta malta sem tino nem rumo que governa o país. Por escolha dos eleitores, normalmente. Neste caso não. Esse bloco perdeu eleições.

  7. sim ork, um ex pm ganhar cerca de 5800 brutos, ou seja, ~3000 líquidos, 42k por ano (nada disto confirmado) é pouco
    podia ganhar bem mais acredite
    vá ponha-se a andar

  8. Caro Marialva.

    Sim, eu sei que vocês defendem o crony capitalismo que implica que que aos políticos sejam ofertados tachos que decupliquem os rendimentos quando saem dos cargos.

    Mas isto é só um part time que o rapaz arranjou. Vai dar umas aulitas de vez em quando e dá cá 5000.

    E vai-lhe dar o prestígio de “intelectual” que nunca teve.

    Dê-lhe tempo e vá dar ordens à sua mãezinha.

  9. Caro tiro ao alvo.

    Bem, se ele se limitou a seguir à risca um programa que não negociou e com o qual nada teve a ver, ganhou experiência em quê ?

    Em moço de recados ?

    Para isso punham o paquete da secretaria da faculdade a dar aulas – com a ajuda dos outros professores se calhar tinha mais a ensinar em termos do que é a vida e o trabalho.

  10. > O Guterres já era professor universitário ainda antes de ir para a política

    O Guterres foi assistente (não professor) um par de anos entre acabar a licenciatura em 71 e ir para a política em 74.

    O IST há uns anos pô-lo como convidado com horário zero, i.e. nunca lhe pagou, nem ele deu aulas, tanto quanto eu saiba.

    E de facto é um bocado mais estranho pôr um político profissional como catedrático convidado numa escola de engenharia do que numa de política …

    (Ainda há poucos dias o IST lhe deu um doutoramento honoris causa, mas isso é outra coisa, o Mário Soares papava-os às dúzias como rebuçados).

  11. Ork, seja lá o que for, dispenso-lhe esse tratamento hipócrita de “caro Tiro ao Alvo”. Se me encontrasse consigo e viesse com essa conversa, mandava-o aquela banda…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.