Não incidem sobre os portugueses!

“Dada a carga de taxas e taxinhas, e de todo o tipo de impostos sobre factores de produção e sobre o consumo, a ideia de utilizar as empresas como saco de pancada fiscal parece-me estafada”

Destaque do meu artigo de hoje no ECO – Economia Online. Sobre a opção política de taxar as empresas.

Anúncios

34 thoughts on “Não incidem sobre os portugueses!

  1. Também acho que devíamos adotar o regime fiscal da Dinamarca…

    O senhor da pastelaria compra um carro de 50M€ em nome da pastelaria, gasolina, revisões, pneus, etc, tudo à conta.
    Depois queixa-se que o negócio não anda lá muito bem e que, ainda por cima, a taxa de IRC é um roubo!

    Piscina, viagens, etc. vícios privados, públicas virtudes…

  2. Manolo Herédia,

    Porque é que não faz uma pastelaria?

    Nunca lhe disseram que a invejite aguda é o mal de muitos portugueses? Especialmente dos que se dizem probos enquanto chulam pelos rendimentos mínimo, médio e máximo os rendimentos dos portugueses?

    (Rendimento máximo têm os acostados via contratos e rendas ao Estado; rendimento médio os 50% mais disfuncionais dos desfuncionais impúdicos e o rendimento mínimo é reservado para os menores criminosos da lista.)

  3. Ó Xico Colaço, quem que lhe disse que eu não tenho uma pastelaria?

    Eu pago muitos impostos, porque ganho mais do que alguma gente séria que ganha menos.

    E sei que há por aí muitos piegas que só se queixam dos impostos para esconder o que deviam ter pago e não pagaram. Labregos…

  4. lucklucky

    Manolo Heredia construa a comuna que quer com quem concorde consigo. Não obrigue os outros que não concordam a segui-lo.

    Obrigar= violência

  5. Manolo Herédia,

    Caso tivesse um negócio próprio, estaria assoberbado por impostos, vendo que o grande herdeiro do seu esforço é o Estado. Estaria forçosamente do nosso lado, full com a miríade de taxinhas e outros meios e com a prepotência das chamadas autoridades de fiscalização, como a ASAE.

    Saia do armário. Muito provavelmente o Manolo anda pelos rendimentos médio ou máximo, alapado ao Estado. É incrível como os funcionários públicos, nos blogues, nunca o assumem ser. Será vergonha?

  6. Caro Colaço.

    Não é verdade.

    A maior parte dos empresários são como você, de vistas curtas e egoístas.

    Mas milhares de ricos empresários, até milionários e bilionários, reconhecem que pagam menos impostos que os trabalhadores, acham isso injusto e querem aumentos de impostos para si próprios.

  7. André Miguel

    Ork, tretas. Isso é puro marketing disfarçado de responsabilidade social.
    Qualquer um que julgue que pague poucos impostos, pode sempre aumentar uns zeros no momento de preencher o cheque.

  8. Caro Miguel.

    Claro.

    E por cada milionário honesto que fizesse isso, continuavam a haver milhares como você a fugir aos impostos.

    Havia de servir de muito.

    Os ricos que paguem como eu pago.

  9. lucklucky

    E o Ork a mentir, não são milionários honestos – a sua é só uma opinião não tem nada que ver com honestidade, para mais são milionários querem ainda mais violência sobre outros.

  10. “10% dos contribuintes pagam 85% do IRS. Cai pela base o seu argumento…” já alguém se preocupou em saber o percentil que pagava 85% do IRS à 20, 30, 40… anos atrás???

  11. Caro Colaço.

    ?????????

    Acho que o senhor é que tem de se informar.

    Onde se concentram os rendimentos dos ricos, como títulos de divida, ações, aplicações, depósitos, não são colectados pelo IRS, sendo colectados a 28% quando o máximo do IRS chega aos 48%.

    E sim, precisamente o IRS é colectado muito mais pesadamente que o IRC.

    E os impostos indirectos, que afectam principalmente os mais pobres estão a subir.

    Porque será ?

    Para não falar das inúmeras abébias que se dão ás grandes empresas para fugir aos impostos, todas as empresas do PSI 20 pagam impostos fora de Portugal em semi-paraísos fiscais.

    E calcula-se que até 10% do PIB desapareça mesmo em paraísos fiscais.

    Vocês ou são todos bilionários ou são mesmo muito totós para estar a defender uma situação destas.

    Ao menos há alguns milionários honestos para vos defender, já que vocês não se defendem…

  12. Caro kucki.

    A minha opinião é precisamente que a vossa ideologia é desonesta.

    Não passa de um esquema de propaganda para extorquir os mais pobres, que acabam sempre a pagar as crises, as recuperações, a manutenção dos períodos altos, enfim, tudo o que houver para pagar.

  13. lucklucky

    Ork estranho, ao mesmo tempo choras pelos tempos anteriores às crises, foram precisamente esses tempos de crédito a rodos que as criaram.

    Defender-se é perfeitamente legitimo, já atacar outrem não é.

    Sem armas o socialismo não pode atacar. Como obrigas as pessoas que não concordam contigo a pagarem?

  14. Caro Luky.

    ?????

    Onde é que eu choro pelo tempo anterior às actuais crises ?

    Evidentemente que foram as políticas neoliberais seguidas desde o final dos anos 70 que provocaram a crise que estamos a viver no ocidente.

    Estas crises deveram-se ao acumular de décadas de erros como a desregulamentação financeira ao mesmo tempo que se destruía a classe média que criou as bolhas de crédito.

    – Essa de que foi o socialismo a criar o sistema de crédito capitalista e a desregulá-lo atirou-me ao chão.

    Vai ter de me dar uns minutos para recuperar do ataque de riso.

    – Só os estados socialistas usam armas ?

    Mas você quer-me matar de riso ?

    Já estou com falta de ar.

  15. André Miguel

    “Crise que estamos a viver no ocidente”

    Nunca o ocidente viveu tamanha prosperidade e bem estar como nos tempos actuais.

    Discutir com um socialista é como jogar xadrez com um pombo: ele vai derrubar as peças, cagar no tabuleiro e sair a cantar vitoria…

  16. Antes a crise do Ocidente do que a prosperidade em Cuba.

    Aqui não se morre de fome. E isso lembra-me uma ANEDOTA CUBANA, que me foi contada por um cubano em Angola. Encontrei-a na Internet e posso transcrevê-la:

    Fidel muere y llega al cielo, pero no estaba en la lista, así que San Pedro lo manda al infierno. Cuando llega al infierno, Satanás lo recibe y le dice:
    ¡Hola, Fidel!, te estaba esperando… pasa, pasa, que acá estarás como en casa.
    Fidel le responde:
    Gracias, Satanás, pero estuve primero en el cielo y dejé olvidadas mis maletas allá.
    No te preocupes, voy a enviar a dos diablitos a recoger tus cosas.
    Así es como los dos diablitos llegan a las puertas del cielo, pero las encuentran cerradas porque San Pedro estaba almorzando. Y le dice un diablito al otro:
    No importa, trepamos por la puerta y sacamos las maletas sin molestar a nadie.
    Empiezan a subir la puerta, cuando dos angelitos que pasaban por allí los ven, y un angelito le dice al otro:
    No hace ni diez minutos que Fidel está en el infierno y ya tenemos refugiados.

  17. E outra:

    En Cuba:
    – Al autobús le dicen aspirina… una cada cuatro horas.
    – Al refrigerador le dicen coco… porque adentro sólo tiene agua.
    – Al bistec le dicen Jesucristo… se habla de él, pero nadie lo ha visto.

  18. Caros Miguel e Colaço.

    Eu não estava a pensar em Cuba mas na Suécia ou na Islândia.

    Mas se querem pensar ao nív el de Cuba, existem no mundo umas dezenas de países capitalistas bem mais pobres que Cuba.

    Esses já não faz mal…

  19. CAPITALISMO implica defesa da propriedade privada e primado da lei. Arranje-me algum país com estas características mais pobre que Cuba.

    Não leu o que lhe citei do Modelo Nórdico? A propriedade dos meios de produção é privada. As empresas operam em mercados mais livres que o nosso. Grandes capitalistas!

  20. Caro Miguel.

    O ocidente nunca esteve tão bem ?

    Então o discurso da austeridade é aldrabice ? Oh! Que surpresa…

    Entretanto, embora concorde que os seus amigos crony capitalistas nunca estiveram tão bem, até quando mandam as suas empresas á falência, gostava de o lembrar que o ocidente crescia a um ritmo muito maior quando seguia o modelo social-democrata.

  21. Caro Colaço.

    Não seja mentiroso.

    Capitalismo implica apenas propriedade privada dos meios de produção – que é a realidade nos países mais pobres do mundo.

    Quanto aos países nórdicos, têm um sector público muito maior que o nosso, pelo que, pelos vossos critérios deviam ser uns comunas safados.

    Mas como são os mais eficientes do mundo vocês inventam essa hipocrisia de serem hiper-liberais.

    Por mim tudo bem.

    Querem Portugal tão “liberal” como a Noruega ?

    Quando começamos a nacionalizar empresas ?

  22. mg

    Capitalismo também implica caro Francisco, a natural captura do estado para impressão da lei sob forma de regulação que por sua vez será usado, para proibir a aquisição e protecção de propriedade por tudo o que lhes traga concorrência e vá contra os seus interesses. A ponto de por exemplo em partes dos estado unidos, haver leis estaduais, impostas por lobbies corporativos, que vão ao ponto de proibir o recolhimento e armazenamento de água da chuva por particulares. Se o Francisco quer debater o capitalismo o o liberalismo na sua forma idealista em que o homem não é corruptível, e fugir das consequências reais associadas da sua acção. Então certamente quando tiver a discutir com um comunista deverá apenas se restringir ao debate do comunismo da sua forma idealista e não nas suas consequências. O liberalismo leva ao Capitalismo e o capitalismo é Corporativismo económico.

  23. Ora aí acertou caro MG.

    Os liberais acham que se deixarem absoluta carta branca aos capitalistas, estes como são uns santos nunca abusarão. E que existe uma mão mágica do mercado que resolve tudo sem ninguém precisar de fazer nada e muitas parvoíces do género.

    Claro que o que acontece na realidade é a criação de verdadeiras máfias capitalistas.

  24. Orc,

    Capitalismo pressupõe primado da lei e defesa dos direitos de propriedade. Quando não há primado da lei não há propriedade privada. Logo, não há capitalismo.

    Suponho que deve ler a definição de capitalismo em Kondrontiev «Fundamentos da Filosofia Marxista-Leninista», Edições Mir, anos 70. Se quiser um dos seus queridos marchistas. Tenho mais. Segundo o marchismo, o capitalismo sucede aos proto-mercados quando a propriedade privada é assegurada e mantida pelo Estado, coisa que o marchista reconhece mas abomina.

    Mais uma vez, ler um bocadinho fazia-lhe bem. Eu até sou inginhêro, encartado, e dos que sujam (realmente) o fato de macaco na eletro-micâ-nica ou que programam um computador em várias linguagens na infor-mágica (sou ambivalente por formação). Devia ser um ignorante, segundo a definição dos intelectuóides do ISCTE, falto de conhecimentos teóricos, e no entanto não lamento desapontá-los.

    Ao contrário de si, eu até sei como funciona o marchismo. Por boca deles.

  25. MG,

    Cómico-capitalismo ou capitalismo do compincha não é capitalismo. É coisa de partido socialista, logo deverá ter o cuidado de o engavetar onde o parretido xuxalista se engaveta.

    E agora cito a Wikipedia sobre o parretido xupialista:

    «Na Declaração de Princípios afirmava-se a defesa do socialismo em liberdade ao mesmo tempo que se defendia como objetivo último uma sociedade sem classes e o marxismo era aceite como “inspiração teórica predominante”, embora permanentemente repensado.

    O Programa refletia, assim, um compromisso entre o sistema parlamentar da Europa Ocidental e uma estratégia de rutura com a organização capitalista da economia.»

    O PS não gosta de capitalismo e quer implantar o socialismo. Da boca deles. PPP e Pá-Toma-Lá é por isso coisa de socialismo. Se quer reclamar, a sede do Partido Socialista (não capitalista) é num edifício conhecido no Largo do Rato, em Lisboa .

    Deixe que o seu olfato o guie uma vez chegado ao Largo, se tiver dúvidas.

  26. «Quando começamos a nacionalizar empresas ?»

    Fizemos isso nos anos 70. Destruímos o país.

    A fábrica que o meu pai tinha feito com outros dois sócios (e era das que pagava melhor na Figueira da Foz) já tinha publicidade a passar na televisão e umas centenas de empregados. Foi nacionalizada em 1976. A indemnização nunca foi paga. Em quatro anos, em 1980, a fábrica estava falida e os trabalhadores, com salários em atraso, fornecedores por pagar e os que lá trabalhavam foram para a rua sem indemnizações.

    Diz-se à boca cheia que várias vivendas foram feitas pelos que ficaram a administrar a fábrica à conta do povo e dos trabalhadores.

    Isto é o marchismo! Todos os caminhos acabam por ir dar a Havana e a Caracas, a Harare e a Hanoi, a Pequim e a Pyongyang, a campas cheias e a barrigas vazias. Cedo ou tarde, mais célere ou mais espaçadamente, chega sempre lá.

    Quer ser marchista? Tem sorte de viver num país de mercado livre e de economia livre. Senão nem computador tinha para vociferar e balir pela tal justiça social que enche campas e esvazia cofres.

  27. Caro Colaço.

    E você a dar-me com o Marx.

    Mas eu fiz-lhe algum mal ?

    Para mim o Marx e o Mises são as duas faces da loucura.

    Quanto ao PS ser inicialmente marxista, o Brejnev também dizia que era democrata e o Hitler dizia que só queria a paz. Você acredita em tudo o que lhe dizem ?

    Na altura os maiores partidos finjiam que eram o mais á esquerda possível porque a maior parte das pessoas estava saturada de mais de 40 anos de ditadura de extrema direita – estavam a endrominar o pessoal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.