O poderoso desejo de submeter a Igreja à ditadura igualitária

Um excelente artigo de José Manuel Fernandes: Um dia vai ser proibido ser católico.

As reacções à nota do Patriarca de Lisboa revelaram a incapacidade de ler e compreender o que lá estava escrito e, sobretudo, o desejo de submeter a Igreja à ditadura igualitária dos tempos que correm

Anúncios

21 thoughts on “O poderoso desejo de submeter a Igreja à ditadura igualitária

  1. “Nessa nova vida já não há diferença entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, bárbaro e cita, escravo e livre, mas Cristo é tudo e está em todos. ”

    Colossenses 3:11

    “quem entre vós quiser fazer-se grande, seja o vosso servo”

    Mateus 20:26

    O cristianismo ensina a igualdade.

    Quando a igreja se transformou numa máquina burocrática de inspiração farisaica e imperial traiu os princípios igualitários do cristianismo.

    Os papas foram equiparados a imperadores, os bispos a reis, os padres a comissários políticos de bairro.

    Tudo isto é contrário ao espirito fraternal do cristianismo original em que um deus escolheu encarnar num pobre carpinteiro que trabalhava com as mãos e não num imperador coberto de púrpura.

    Para a visão “cristâ” dos “liberais”, a encarnação divina seria mais apropriada não num pobre trabalhador manual, mas num especulador da alta finança…

    O vosso deus é o dinheiro.

    Ora;

    «Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem traça nem ferrugem corroem e onde ladrões não minam nem roubam: Para onde está o teu tesouro, aí estará o seu coração também. Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.»

    Mateus 6:19-24

    Ou seja, estes “cristãos” neoliberais não passam de adoradores do diabo.

  2. Gaius Octavius

    O problema da Esquerda com a Igreja é, como em tudo o que a Esquerda odeia, um problema de Poder. A Igreja é uma instituição que tem “debaixo” de si uma quantidade muito considerável de gente, os crentes, e uma instituição que ainda tem um poder sobre a sociedade que, apesar de hoje ser uma mera sombra do que já foi, pelo menos na Europa Ocidental, ainda é significativo. Ora, a própria Esquerda “assume” o seu incómodo com o Poder que a Igreja teve, e ainda tem, sobre as pessoas, tal como “assume” o seu incómodo com todo o restante Poder. O objetivo declarado da Esquerda, pelo menos da Esquerda mais lunática e radical, é precisamente abolir todo o Poder para “libertar” finalmente a humanidade (ou melhor dizendo, a parte “oprimida” da humanidade, vítima do Poder, pois a parte “opressora”, detentora do Poder, é para ser perseguida/espoliada/chacinada de acordo com a boa tradição humanista que a Esquerda representa) das forças que impedem o seu “progresso” e “emancipação”. Só que esta retórica demagógica, crítica do Poder, e sempre impregnada de uma hostilidade moralista contra os detentores do Poder e de uma preocupação clamorosa pelos supostos explorados e oprimidos por esse Poder, que é a quintessência do discurso da Esquerda, é uma máscara que serve para dotar de uma fachada moralmente correcta o motivo real pelo qual a Esquerda pretende abolir o Poder: não libertar os “oprimidos”, mas sim impor o seu novo Poder sobre as ruínas desse Poder antigo.

    Quando vemos a Esquerda toda condoída pelas pobres almas arrebanhadas como ovelhas pela “grande máfia do Vaticano” e coisas assim do género, o que dói realmente aos esquerdistas é o facto de não serem eles a arrebanhar essas pessoas. A Esquerda vê o poder que a Igreja tem sobre as pessoas e sente inveja dele. E, por ter inveja desse poder e cobiçá-lo para si, não lhe resta outra alternativa senão criticá-lo e combatê-lo. Quem desdenha quer comprar.

  3. JMS

    Off topic: O país viu-se livre do pior líder da oposição a que alguma vez assisti mas que foi um dos melhores pm que existiram e, nas condições em que foi, o que toda a gente se esquece.

    Pelo voto, foi eleito, alguém que não tem jeitinho nenhum para ser candidato a pm, e, muito menos para líder da oposição.

    Eapero, sinceramente, estar enganado mas Rui Rio não é aquilo que Portugal precisa. Péssima prestação no discurso de tomada de posse. Um mero debitar de palavras. A antítese de Passos.

    Salve-se quem puder.

  4. Caro pe.

    Eheheheh

    Vocês afirmarem que o reconhecimento dos direitos civis aos gays é o mesmo que obrigarem-vos a ser gays equivale a confessarem que, caso não forem severa e rigorosamente proibidos pelo estado, não resistem à tentação e casam-se com o camionista mais peludo que conseguirem apanhar.

    Tenha calma.

    Tome muitos duches frios e talvez consiga resistir à tentação de vestir um vestidinho de fada azul, soltar a franga e dançar freneticamente toda a noite no varão como uma louca.

  5. Caro jms

    Desde o 25 de Abril o país nunca desceu tanto em todos os indicadores como nos anos do governo Passos.

    Como tal, objectivamente foi o pior primeiro ministro da III república..

  6. JMS

    Caro Ork,

    Esquecer as condições e o estado do país, fruto da herança Sócrates e do PS, só por um “esquecimento” selectivo e colectivo.

    Até lhe posso dizer mais: por mim, a troica ainda cá estava, tendo em conta a manifesta incapacidade que temos em nos governar.

    Como tal e, objectivamente, considero António Costa o pior primeiro ministro da III república. Pior que José Sócrates.

    Ter um primeiro ministro que governa para as sondagens e que em alturas complicadas desaparece, não augura nada de bom para o país.

    Mas o dinheiro fácil (apanágio do PS) e a memória selectiva falam mais alto, eu sei.

  7. André Miguel

    Continuam as mentiras do Ork. As três falências foram carimbadas pelo mesmo partido, o resto é conversa de imbecis para otários.

  8. Ork,

    Como está a fila de espera nos hospitais? Esse indicador não lhe serve?

    Como está o indicador de pobreza? Subiu (mais pobres) mais uma vez nos últimos dois anos. Os da Geringonça.

    E falta o principal indicador, o crescimento do PIB. Veja a segunda derivada do PIB de 2012 até 2015. Compare-a com 2017.

    O socialismo sempre enriquece as pessoas no início. É a fase do saque. É fácil sacar dos ditos ricos, mesmo que sejam da classe média e média-baixa, nas bombas de gasolina, nas comissões e multas derivadas de leis à medida. É fácil sacar de estrangeiros através de aumento de dívida e de empresas nacionais através de atraso de pagamentos.

    Depois do saque, a queda. Pode demorar, como na URSS e em Cuba, ou ser rápida, como na Venezuela. Mas cai.

    Sabe como é que se fabrica um défice? Deixa de se pagar aos fornecedores. Não aparecem as responsabilidades operacionais nem em contabilidade pública nem em nacional.

  9. PE,

    A homossexualidade em Portugal foi tolerada, hoje é incentivada. Tempo haverá em que a homossexualidade será compulsória.

    É melhor darmos à sola enquanto não no lo impedirem por muros de prisão, à la Alemanha de Leste, Rússia, Cuba e Venezuela. O socialismo bicha-tante é tão paradisíaco que os muros na fronteira estão sempre voltados para dentro.

    Mas temos de os compreender. É que, voltados para dentro, os muros impedem as pessoas de se prejudicarem a si próprias, escolhendo em liberdade algo que não devem escolher, pelas mentalidades das cacarinas, dos loucões, dos girónimos, das mortéguas e dos costástrofes.

    O Parretido Xupialista, o Vermilhóide e a Calhauzada de Esquerda sempre primaram em obrigar o povo a escolher livremente apenas e só o que eles acham certo. Seja em onde viver, no que comer, como pensar e a quem adorar.

  10. Caro PE

    Eu compreendo que você não se consiga controlar e quando não é reprimido pelo estado siga as suas tendências e alinhe em práticas homossexuais.

    Entretanto, para os verdadeiros heterossexuais não é por isso ser permitido que vão participar em orgias homossexuais.

  11. Caro Miguel.

    Está a entrar no reino da aldrabice.

    – A primeira bancarrota foi na sequência do PREC que o PS destruiu, e da crise petrolífera dos anos 70. O PS nada teve a ver com essas causas.

    Aliás, o governo de então era PS mas era misto, tinha vários políticos da área do PSD.

    – A segunda bancarrota foi na sequência da segunda crise petrolífera dos 70 e quem estava no governo era o PPD-CDS com a coligação AD, que caiu por isso.

    O governo seguinte teve de chamar o FMI logo nos primeiros meses, não tendo nada a ver com as causas da crise que vinha do governo anterior do PPD.

    E esse governo NÂO ERA PS, era uma coligação PS-PSD que chamou o FMI.

    O presidente do PPD era o vice-primeiro ministro.

    Eu compreendo que vocês precisem de enganar o povo, mas por favor não me confunda com os ignorantes com que costuma lidar.

  12. Caro Colaço.

    Ainda estamos muito mal em muitas situações.

    Mas na generalidade estamos melhor do que no governo PSD.

    Por favor não negue o óbvio que até os sacanas dos gajos da troika se desfazem em elogios a este governo.

    E o socialismo continua a enriquecer as pessoas desde há uns 100 anos nos países nórdicos.

    Também está à espera que o diabo apareça na Noruega ?

  13. Caro jus.

    – Quem está a fingir que na altura do sócas não houve duas crises e uma recessão mundial que começaram no centro do maravilhoso mundo neoliberal e derrubaram ainda mais brutalmente uma série de países antes do nosso são vocês.

    Qualquer governo que estivesse no poder em 2007 provavelmente tinha ido ao tapete.

    Por muito menos do isso o governo PPD-CDS da AD foi à bancarrota nos anos 80. A tal segunda bancarrota que vocês mentirosamente dizem que foi do PS…

    Isso porque foi o governo seguinte, do Mário Soares, que teve de chamar o FMI.

    APESAR DESSE GOVERNO MÁRIO SOARES SER UMA COLIGAÇÃO PS-PPD !!!!!!!!

    – De qualquer maneira, em 2011 vocês AGRAVARAM crise.

    A pior parte da crise ocorreu já o Sócrates tinha saído há um ano ou dois.

    Desemprego no máximo de sempre, os maiores aumentos de impostos da história, falências em massa e os ratings no mínimo e juros no máximo… Tudo isso ocorreu no governo Passos – atribuir todas as culpas ao Sócrates que já tinha saído há um ou dois anos é treta pura.

    – Que vocês queriam cá troika para sempre estou farto de saber.

    Foram vocês que a obrigaram a vir, sabotando o primeiro programa de ajuda, o pec4. Logo aí pioraram a situação do país.

    Mas o vosso objectivo era mesmo esse. O vosso programa é sempre a vinda do diabo.

    Grande parte das medidas da troika não só não tinham nada a ver coma crise como ainda a pioraram – o que para vocês foi optimo.

    O vosso verdadeiro programa é o empobrecimento das classes baixas para enriquecer ainda mais a alta finança.

    Nesse aspecto a troika foi um sucesso total, o nosso empobrecimento foi para vocês uma verdadeira orgia.

  14. Gaius Octavius

    “O que leva tanta a gente a criticar a igreja é a obsessão desta em mandar na vida privada das pessoas.”

    Isso pode ser verdade para algumas pessoas, sim. Mas o que leva os esquerdistas, pelo menos os mais extremistas, a criticar a Igreja é o facto de quererem para si o poder que a Igreja tem sobre as pessoas. A extrema-esquerda inveja e desdenha todo o Poder que não controla.
    Isto que eu digo pode ser facilmente comprovado pelo facto de boa parte da Esquerda (a tal parte mais extremista, pelo menos) que ataca a Igreja pretender mandar na vida privada das pessoas de uma maneira muito mais totalitária do que a Igreja alguma vez mandou. Quando um extremo-esquerdista ataca a Igreja sob o pretexto de esta “querer mandar na vida privada das pessoas”, sabemos logo que essa crítica não é honesta.

  15. Caro Gaius.

    No que toca à extrema esquerda tem razão.

    Apenas lhe chamei a atenção para o facto de a maior parte da esquerda não ser extrema e de grande parte dos críticos da igreja nem sequer são de esquerda.

  16. Oscar Maximo

    Caro Ork,
    Mas afinal quem objetivamente chamou a troika ?
    Quem objetivamente obrigou Passos a governar com a troika ?

  17. Caro Máximo.

    Conforme você muito bem sabe, o Passos obrigou o Sócrates a chamar a troika, sabotando o primeiro programa de ajuda, o pec4.

    Depois andou-se a gabar que o PSD tinha sido principal partido a negociar o programa da troika e que esse programa era óptimo, que era exatamente igual ao programa do PSD, que era mesmo o que o PSD queria para Portugal.

    Só pecava por pouco e que que queria ir ainda mais além.

    Como aliás ainda muitos de vocês reconhecem, como o seu camarada a quem respondi nesta questão – que a troika é que era bom.

    Por isso objectivamente, é mentira dizer que alguém o obrigou.

    O gajo fez tudo para a troika vir, andou a elogia-la e serviu-se dela para impor o seu programa e fazer o que quiz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.