A concessão dos CTT

“A mensagem que a ANACOM transmitiu aos CTT resume-se ao seguinte: vamos acabar com o que nós entendemos serem os vossos lucros anormais nem que tenhamos de tornar a vossa vida num inferno.”

Destaque do meu artigo de hoje no ECO – Economia Online. Sobre a concessão pública do serviço postal universal.

Anúncios

32 thoughts on “A concessão dos CTT

  1. Mario Figueiredo

    “O regulador está essencialmente a ditar ao regulado como é que ele há de gerir o seu negócio.”

    É precisamente a razão porque tanto resisto à regulação governamental do sector privado e apoio certas decisões como Bush e Obama não acrescentarem novos mecanismos de regulação após a recessão de 2007-2009.

    É impossível discutir a importância de regular certas actividades económicas. Mas no fim o estado tende sempre a querer aumentar o seu poder e influência sobre o sector privado e acabamos com um sector agrilhoado, sem expressão própria, diabolizado como o grande inimigo dos trabalhadores, das populações e até do país, e ainda por cima a entregar 30% de tudo o que consegue para continuar a alimentar o estado-vampiro.

    Somos menos democráticos cada dia que fazemos passar uma nova legislação que regula o sector privado. A ironia maior são os países que desregulam a sua economia e liberalizam o seu mercado de trabalho e que demonstram que o mito do capitalismo selvagem é bem mais benigno para o enriquecimento do país e o bem estar das suas populações, que a cómica ideia que o estado e a democracia têm mecanismos próprios para impedir que este se exceda no seu ímpeto regulador.

  2. «A ironia maior são os países que desregulam a sua economia e liberalizam o seu mercado de trabalho e que demonstram que o mito do capitalismo selvagem é bem mais benigno para o enriquecimento do país e o bem estar das suas populações, que a cómica ideia que o estado e a democracia têm mecanismos próprios para impedir que este se exceda no seu ímpeto regulador.»

    Caro Mário,

    Acha que os factos e os números se sobrepõem ao achismo e à bela narrativa?

  3. Os CTT davam lucro ao estado e prestavam um serviço público.

    Agora deixaram de dar lucro aos estado e estão a destruir o serviço público e a empresa.

    Estão a distribuir dividendos acima dos lucros !!!

    Isto não existe, significa que estão a queimar a empresa, a vender património para sacar ao máximo e rebentar com aquilo.

    E os liberais ainda apoiam isto !!!!

    Um nojo.

  4. Só espero que os meninos liberaizinhos de dedinhos para baixo depois paguem do seu bolso a despesas que as privatizações estão a dar ao país.

    Visto que gostam de ser chulados por grandes financeiros e especuladores, os vossos heróis, deve ser para vocês um prazer.

  5. Talvez a ANACOM esteja a promover que a gestão dos CTT dê prioridade à devolução do capital aos accionistas e deixe o cadáver para ser agasalhado pelo contribuinte.
    Aparentemente a gestão dos CTT vem antecipando esse cenário o que revela conhecer bem a espécie abrilesca no poder.

  6. Mario Figueiredo

    “Acha que os factos e os números se sobrepõem ao achismo e à bela narrativa?”

    Sem dúvida! Nem percebo a pergunta do Francisco. É claro que a desregulação e o liberalismo de mercados, o chamado “Capitalismo Selvagem”, é mais benéfico que o “socialismo selvagem”. Quer mesmo comparar as consequências para pessoas e empresas de crises financeiras globais ou locais em países com mercados liberais, com as consequências para pessoas e empresas de regimes socialistas ou comunistas?

  7. > “A CGD encerrou 61 balcões no ano passado. Agora, os CTT vão fechar 22 lojas”
    • Já a CGD – que é pública – pode encerrar balcões e despedir funcionários…
    • E sobretudo, na CGD, – e para gáudio da Oligarquia… – conceder salários pornográficos à Administração… (nos CTT, ao invés, a Administração decidiu diminuir substancialmente os salários!).
    • E (CGD…) aumentar o número de Administradores – novamente para gáudio da Oligarquia…
    ~ Onde esta a auditoria forense à CGD prometida pelo Costa das Castas dominantes? (prometido em 2016!) . . .

  8. Mário,

    Estava a ser irónico, e acho que fui demasiado subtil. Bem sabemos que em Portugal vale mais a bela narrativa que os sólidos factos, pelo menos na jornalisse e nos mérdia em geral.

    Por mim, e sem qualquer ironia, viva o capitalismo selvagem. Aclamo e recomendo-o. Mais de mil milhões de chineses agradecem que a liberdade económica — pesando ainda não haver liberdade Reino de Jade — os liberte da dúvida existencial de ser ou não possível comer alguma coisa que seja no jantar seguinte.

    Os venezuelanos sabem bem o que é não ter capitalismo selvagem. Agradecê-lo-iam agora. Com a comida do jantar seguinte.

  9. «Só espero que os meninos liberaizinhos de dedinhos para baixo depois paguem do seu bolso a despesas que as privatizações estão a dar ao país.»

    O banco que mais tem chupado do Estado curiosamente é chamado impúdico, digo, público. Aumenta capital na capital.

    É o grande capital, tornado enorme pelo socialismo.

  10. Caro Francisco.

    Eu pensava que era o BPN, o BES etc.

    Quanto ao público, do mal o menos, porque quando deu lucro também reverteu para o estado.

    O que vocês querem é os vossos chupistas especuladores privados a mamarem os lucros todos e depois passarem o prejuízo para o povo pagar.

  11. caro kubo.

    A CGD está a ser passada para administradores privados, que a estão cada vez mais a administrar como um banco privado – isto é, a fazer merda.

    Quando era gerida mais propriamente como banco do estado nunca se pagaram os salários de roubalheira próprios dos gestores privados.

  12. Caro figueiredo.

    O capitalismo selvagem fez coisas como administrar a escravatura durante séculos, deixou milhões de indianos e irlandeses morrer à fome sob administração liberal inglesa.

    Para vocês a coisa funciona assim.

    É vitíma do comunismo ? GRANDE HERÓI !!!!

    É vitíma do liberalismo ? Enfim, são coisas que acontecem…

  13. Caro jgmenos.

    Abrilesca ?

    Abril é mau ?

    Então os liberalzinhos identificam-se com a ditadura, a censura e o dirigismo económico centralista e retrógrado do estado novo ?

    Ai a máscara do “liberalismo” a cair…

  14. Mario Figueiredo

    “O capitalismo selvagem fez coisas como administrar a escravatura durante séculos”

    Sem dúvida. E digo mesmo viva a escravatura! Um excelente negócio. Boa parte da Europa e Américas foi construída com base na escravatura. Durante 20.000 anos, a escravatura era perfeitamente natural e socialmente aceitável. Terá sido instrumental na revolução neolítica que levou à invenção da agricultura. Construi pirâmides, soldados de terracota, manteve impérios, estava na base da sociedade grega enquanto esta experimentava os primeiros passos no que viríamos a chamar de democracia. Quando o capitalismo chegou, a escravatura já existia à dezenas de milhares de anos. E o capitalismo soube melhorá-la, aperfeiçoá-la e torná-la um negócio incrivelmente lucrativo num mundo onde a escravatura estava social e legalmente institucionalizada.

    Depois… foi precisamente nestes países capitalistas onde progressivamente a escravatura foi sendo abolida. Estamos conversados, meu ganda porco.

  15. Caro expatriado.

    Já vi o discurso do Marcelo Caetano.

    Depois explicará o que tem a ver uma ditadura centralista estatizante a ver com verdadeiro liberalismo.

  16. Caro Francisco.

    Só pelo BPN vamos pagar muito mais que pela caixa.

    Entretanto a caixa durante décadas deu lucro, pelo que, o que vamos pagar por ela provavelmente até fica compensado no positivo.

  17. Orc,

    Como sei que a sua informação é deveras selectiva, milhão, cento e e cinquenta mil foi número de mortos — fonte SOVSTAT, o INE de lá. O número de voluntários/trabalhadores/escravos (sentido intencional!) andou por volta dos cinco milhões.

    A URSS não era muito boa a tratar da propriedade socialista. 1/3 dos escravos morreram de fome, de tifo ou de exaustão. Não eram bins gestores.

    E 1/3 era o que separava o PIB per cápita dos Estados Unidos do da União Soviética. Já agora, qual era o coeficiente de Gini da União Soviética nos anos 80? Era maior ou menor do que o da Alemanha Federal — cuidado que a pergunta tem um desfecho que faz corar o mais atarracado e acéfalo socialista.

  18. Caro Francisco.

    Como nunca defendi o comunismo, ainda não percebi porque continuam a atirar-me com isso à cara.

    É algum desporto radical liberal atirar com as culpas do comunismo a qualquer um que comente as culpas do liberalismo ?

  19. Caro Francisco.

    Ainda em 2014 a caixa estava a dar lucro.

    Se as suas contas são como aquelas de atribuir a escravatura praticada pelo czarismo na construção do transiberiano à URSS, anos antes de ser fundada…

  20. Orc,

    O Trans-siberiano tem três rotas. Só uma foi construída no tempo do Czar. Os canais do Báltico ao Mar Branco e os do Mar de Aral e os do Lago Baikal também foram construídas por escravos dos campos da Gulag.

    Foram os países capitalistas que acabaram com a escravatura. Os países comunistas e socialistas continuaram-na sob outros nomes.

    Preferia ser prisioneiro nos Estados Unidos ou na URSS nos anos 40, 70 ou 80?

  21. Caro Francisco.

    Todas as empresas podem ter altos e baixos e os aumentos de capital não se aplicam só aos baixos. Também são usados em fases de expansão ou simplesmente por alterações legislativas que a isso obrigam.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s