Governance Portuguese style

Uma excelente e muito pertinente reflexão do Nuno Garoupa, aplicável ao Estado, a múltiplos sectores de actividade, a IPSS’s e a fundações públicas e privadas: Para que servem os Conselhos Fiscais, os administradores não executivos e os curadores em Portugal?

Anúncios

4 thoughts on “Governance Portuguese style

  1. Já Fernando Pessoa trucidava os Conselhos Fiscais:

    • “O que se faz entre nós? Elege-se um Conselho Fiscal de pessoas de probidade e incompetência e, é claro, de pessoas em magníficas relações de amizade com a Gerência, e portanto com toda a confiança nela. Em resumo: o melhor fiscal dos actos de alguém é um amigo incompetente. É ou não uma comédia?”

    • “Há mister, pois, que deleguem [os Sócios] em alguém a fiscalização que nem podem, nem em geral sabem, exercer. Delegá-la em Conselhos Fiscais equivale a delegá-la em ninguém, ou a delegá-la na própria gerência a fiscalizar.”

    Outro exemplo (não faltam…):
    – «Eduardo Paz Ferreira, presidente do Conselho Fiscal da CGD», não sabia de nada do que se passava na CGD… Casado com a Ministra da Justiça e com episódios destes não é de admirar que nunca quiseram saber o que se passou na CGD…
    Ver Aqui:
    http://portadaloja.blogspot.pt/2016/06/eduardo-paz-ferreira-e-as-auditorias-cgd.html

  2. lucklucky

    Ahhah. “Capitalismo Privado” pensava que isto era ser social e respeitar a cultura…

    Há milhões de empresas mas o Jo pretende conhecer como elas são geridas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s