E agora, Marcelo?

Presidente da República prepara dissolução da Assembleia da República e queda do Governo: “(…) o País assistiu a uma série de episódios que ensombrou decisivamente a credibilidade do Governo e a sua capacidade para enfrentar a crise que o País vive.
Refiro-me a sucessivos incidentes e declarações, contradições e descoordenações que contribuíram para o desprestígio do Governo, dos seus membros e das instituições, em geral. Dispenso-me de os mencionar um a um, pois são do conhecimento do País.
A sucessão negativa desses acontecimentos impôs uma avaliação de conjunto, e não apenas de cada acontecimento isoladamente. Foi essa sucessão que criou uma grave crise de credibilidade do Governo (…)”

10 de Dezembro de 2004

marcelo-rebelo-de-sousaPara quando, Marcelo?
Só quando o povo parar de abraçar?

Anúncios

16 thoughts on “E agora, Marcelo?

  1. JP-A

    Carlos César despediu ontem uma Ministra nos corredores do Parlamento em direto e a cores por ordem do PM e ninguém reparou. A Ministra, cujo papel de convidada passou a ser o de livrar Costa da moção e salvar-se junto com a família por esvaziamento, ENVENENOU a carta de demissão de modo claríssimo com a verdade dos factos – Costa avocou a responsabilidade. O problema chama-se “caráter”. É o problema de que falava José Seguro no debate com Costa para as primárias. Não terá sido por acaso. Deve ser uma fama já conhecida, supõe-se.

  2. Com o devido respeito pela função presidencial, parece que finalmente acabaram as pregações aos peixinhos.
    Vergastada impiedosa no conjunto do governo com o 1º ministro na linha da frente a ficar não só com as orelhas a arder mas com todo o corpo a sofrer queimaduras de grau fatalmente máximo.
    Uma moção de censura a surgir no momento decisivo, que para além do mais, a existir uma restea de vergonha obrigará as suas muletas alugadas a mostrar a cara do negócio escabroso e a sair da toca.
    Que o cadáver politico adiado tombe de vez com estrondo no lugar de onde foi içado.
    Sem perdão.
    Com espetos na garganta, o figurão dá corda à saída do saco de pancada na esperança de ainda desta vez salvar a própria pele.
    Devia destroçar à frente, mas com uma pequena gota de reflexão da parca seriedade que ainda lhe reste não se demore a por os próprios calcantes no mesmo trilho.
    A não ser assim terá forçosamente que ser Marcelo a dar-lhe o empurrão.
    Senão não.

  3. JP-A

    Para memória futura:

    Já deve haver novo Ministro e equipe há muito, mas agora vão dar umas horas para parecer que foi tudo repentino. Depois vai aparecer o senhor PM perante o PR para conseguir a tomada de posse até sexta-feira, tentando esvaziar a moção, provavelmente alegando urgência de resolução dos assuntos pendentes do MAI.

  4. c3lia

    Qual quë?! Assim q o PR dos afectos ler o relatório do proximo “focus group” a dizer que o Costa ainda é popular (infelizmente, estamos na República Socialista de Portugal), o PR dos afectos fica logo BFF do nr 2 do Socrates, outra vez!

  5. lucklucky

    “Vergastada impiedosa no conjunto do governo”

    Depois de 65 mortos + 42 mortos?!

    Santana foi para a rua porquê?

  6. Mario Figueiredo

    Sem dívida, C3LIA! Tudo isto é fado.

    Nem por um momento sequer fui assombrado por qualquer sentimento de esperança que este Presidente da República tenha finalmente se tornado outra pessoa. O que vi, isso sim, foi mais um episódio do reality-show presidencial em que o único habitante da casa sabe que está a ser filmado e se comporta em conformidade. Diz e faz a cada momento o que julga ser o que as pessoas querem ver ou ouvir.

    Enquanto considerava que o PM devia um pedido de desculpas ao país, não achou por bem nos lembrar que ainda à dois meses andava a passear-se pelas casas dos familiares dos falecidos a dizer que se fez tudo o que se podia fazer. Enquanto exigia que o governo assumisse responsabilidades, não quis lembrar quem o ouvia que, mais do que assinar por baixo, publicamente defendeu todos os orçamentos de estado apresentados por este governo que conduziram a estas duas calamidades.

    Bem pode este Presidente da República vir para aqui fazer precisamente o que o Costa anda a fazer; sacudir o capote e apontar o dedo para outro lado qualquer. Mas tudo o que sabemos, é que no seu turno — e após dois anos de incessante e incondicional apoio político e institucional ao Primeiro Ministro — morreram 100 pessoas em incêndios florestais. Mais do que em qualquer outro momento da história de Portugal que conste de qualquer registo escrito ou oral.

  7. ecozeus

    O Marcelo sempre foi considerado pelos seus pares jornalistas, ao longo da sua passagem pelo “expresso” e desde o 25 de Abril, como o Maquiavel da política.
    Se o matreiro Costa consegue quase sempre dar a volta ao assunto, o maquiavélico Marcelo tem sempre uma muito bem guardada na manga!

  8. A Intelligentsia do costume está a começar a ficar nervosa segundo o que andei a ler nas redes sociais, se há uns meses defendia o governo a 100% agora está a começar a vacilar, já andam a puxar exemplos do governo anterior, a meter o “mas”, etc.

  9. JMS

    Se alguém estiver à espera que este PR alguma vez demita um governo do “habilidoso” vigarista que se auto intitula PM, bem podem esperar sentados.

    O que realmente conta para esta gente, PR incluído, não é o bem estar dos portugueses nem problemas de famílias partidárias, o que conta mesmo é a “famiglia”.

    Fosse outro PM e já tinha ido de vela na altura de Pedrógão. Até porque já estariam criadas as condições, pelos media (quem mais?) e pela oposição, para que tal acontecesse.

    Que não doa nunca a voz à actual oposição e que não se deixem intimidar pela escumalha que agora grita por aproveitamento político.

    Essa mesma escumalha que já teria fuzilado em praça pública outro PM que nao fosse declaradamente da esquerda boa que tanto gostam.

    Nem vou comentar as novidades de Tancos porque não tenho estômago para tanto. Especialmente à hora de almoço.

    País de merda, como alguém já disse antes.

  10. JP-A

    Diz Carlos César sem se rir que ele e o PM sabiam que isto tinha de acontecer, o que por acaso é exatamente o contrário do que andavam a dizer horas atrás.

  11. Pingback: Encontrado o que, “no limite”, nunca foi furtado – O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s