Quando o SNS não distribui os remédios

O Carlos Guimarães Pinto, que de uma ortodoxia militante evoluiu para uma ambivalência pragmática de recusa das ideologias, que o levaria, e cito, “a votar PS no [s]eu concelho de residência (…) CDU em Loures e CDS na Covilhã“, (ainda tendo espaço mental para manifestar o seu apoio ao candidato do PSD, Álvaro Almeida), vem aqui, em fim de campanha, mostrar à saciedade porque razão os cidadãos do Porto devem votar em Rui Moreira: porque depois de quatro anos de uma governação que agradou à maioria significativa dos portuenses, todos os partidos do coração do Carlos, à sua imagem e semelhança, optaram por empurrar a campanha eleitoral para um lamaçal onde o centro dos ataques foram a pessoa do atual presidente da câmara da cidade.

O post que o Carlos Guimarães Pinto aqui coloca, que numa tentativa de ser engraçado, se limita a recorrer ao insulto básico, é como que a síntese perfeita daquilo que foi o comportamento eleitoral dos partidos da sua simpatia – e mais o Bloco, que caprichosamente ignorou (provavelmente por já não haver por lá candidatas vitaminadas) -, e a prova provada que estão falidos na sua capacidade de fazer política, arrastando para o grau zero um debate que se exigia mais elevado.

Rui Moreira, nas suas qualidades e defeitos, foi capaz de fazer uma gestão financeiramente rigorosa, cosmopolita, e com rasgo, fazendo do Porto uma cidade irreconhecível face ao que tínhamos há apenas quatro anos. Que partidos que optaram por oferecer à cidade candidatos disponíveis a protagonizar campanhas decadentes, o queiram assassinar politicamente, atacando-o na sua pessoa, e não na sua ação política, é sintomático do estado geral das coisas. Votar no Porto nos partidos do costume e naquilo que nos oferecem – terceiras linhas usadas apenas para o ataque pessoal – é ratificar e concordar com o pior que a política partidária nos tem brindado, e empurrar de novo a cidade para as Trevas.

O Porto tem mais uma vez uma excelente oportunidade de nos mostrar porque é apelidada, há vários séculos, de cidade Invicta, e revelar a Portugal e aos partidos que não se brinca com a Liberdade.

Anúncios

4 thoughts on “Quando o SNS não distribui os remédios

  1. Euro2cent

    > porque é apelidada, há vários séculos, de cidade Invicta,

    Deixa ver, foi porque o imperador brasileiro com um exercito de mercenários estrangeiros a quem se renderam ganhou a guerra ao rei de Portugal?

    > não se brinca com a Liberdade

    Santa divindade, santa, santa, santa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s