O que é que o PS pensa da nova União Europeia?

Hoje mesmo Jean-Claude Juncker defendeu que a União Europeia deve passar a ter um ministro europeu das finanças. Acrescentou, ainda, que a UE precisa “de um ministro europeu da Economia e Finanças, alguém que acompanhe as reformas estruturais nos nossos Estados-membros.”

O que Juncker disse hoje no Parlamento Europeu não está longe do que Emmnauel macron tem defendido para a Europa e que referi neste meu artigo no Jornal Económico saído no passado dia 2 de Junho. Macron quer um orçamento comunitário para a zona euro direccionado ao investimento estratégico. Um orçamento que implica, necessariamente, um ministro das finanças europeu que tutele todos os demais ministros das finanças. Este orçamento servirá também para apoiar os países que se encontrem numa situação de emergência financeira, como sucedeu com Portugal. A moeda de troca, ou seja, a condição para que um país da zona euro beneficie dessa ajuda e beneficie dos referidos investimentos estratégicos é a apresentação de reformas estruturais: no Estado e na economia, nomeadamente na lei laboral.

A pergunta que então coloquei nesse meu artigo, volto a repetir agora: Como é que o PS, o PCP e o BE vão lidar com este projecto europeu? Considerarão que um orçamento europeu e um ministro das Finanças da zona euro ferem a soberania nacional, ou aceitam os fundos daí provenientes em troca de reformas, como a liberalização do Código Laboral que sempre recusaram?

Anúncios

15 thoughts on “O que é que o PS pensa da nova União Europeia?

  1. lucklucky

    Não tem problemas alguns, assim que o marxismo dominar o que interessa é a manutenção no poder. “trabalhadores” no marxismo são instrumentos.

    Reformas,hahaha. Ocorreu uma grande reforma no BCE e não deu por ela.

  2. Manuel Assis Teixeira

    O P.S. não pensa nessas coisas. O Costa e os seus vários aparatchiks só pensa em como se manter no poder, em como mentir aos portugueses em como manter o embuste da sua paternidade da situaçao actual! E como já se notam algumas brechas no embuste vai ainda aumentar mais a representaçao e o embuste! A Europa é neste momento um problema menor até porque não pode falar muito dela pois pode irritar muito os seus parceiros, onde, pasme-se, o partido comunista diz que pode ir para o governo. Para que pasta? Presumo que para o Interior, pois a da Cultura e Costumes já esta prometida ao bloco! Estamos desgraçados! E o sr Presidente? Ai o Sr Presidente…

  3. André Miguel

    Fácil: como estão tesos vão comer e calar, mas vender ao povo que foi uma grande vitória sobre os malvados interesses neoliberais, imperialistas e outras palermices do género. E o povo, imbecil e ignorante vai na conversa.

  4. Mario Figueiredo

    Para o PS até está bem. Como poderia estar mal? Afinal qualquer partido dito socialista defenderá o reforço do poder governativo do estado junto da sociedade. E nada mais excitante que adicionar mais um player à acção governativa. Neste caso, inclusivamente, um player para o qual o PS pode atirar as culpas quando as coisas correm mal. Assim como tentaram fazer em 2011 dizendo que a culpa da crise era internacional. Neste caso, a culpa não será nunca do Ministro das Finanças português, não. Será sempre do ministro das finanças europeu.

    Já o BE e o PCP a ver vamos, como vão reagir. Mas a julgar pela palhaçada actual, vão apenas continuar a exercitar a sua capacidade para a hipocrisia em nome do que consideram ser o desígnio maior de nunca deixar a direita governar em Portugal.

    E o PSD? Como vai reagir? Também parece entender que a melhor forma de combater a crise de económica e de identidade Europeia não é com menos Europa mas com mais Europa. Portanto nada de novo. Cá estaremos dentro de 4 anos para redescobrir o aumento da extrema direita na Europa.

  5. Mario Figueiredo

    Cá estaremos dentro de 4 anos para redescobrir o aumento da extrema direita na Europa…

    … e para continuar a fazer de conta que não percebemos as causas disso.

  6. Mario Figueiredo

    Gosto particularmente do anunciado orçamento de estado europeu. Uma bonita palavra para substituir “subsidio-dependência”. Ah, como eu gosto do cheiro a União Europeia logo pela manhã!

  7. Mario Figueiredo

    Viva Portugal!… Quer dizer, viva a União Europeia!

    Estava distraído. Esqueci o que é que faz um país ser país.

  8. João

    António Costa em entrevista: “A expressão ‘reformas estruturais’ arrepia-me. Qualquer cidadão normal fica logo alérgico” 4 Abril 2017

  9. lucklucky

    Pior que subsídio dependência Mario Figueiredo. O projecto de tirania dos Unionistas continua em força tal como o da geringonça PCP/BE/PS e o do PSD/CDS.
    Por vezes é difícil descobrir quem quer mais poder sobre “os outros”.

    Até já temos uma femimarxista no insurgente.

  10. Mario Figueiredo

    Sem dúvida, LuckyLucky!

    Mas já nem quis ir por aí porque o artigo pretende colocar o discurso da perca de soberania ao nível do ridículo e contraditório à opção reformista. É o spin típico do AAA (e partilhado por outros tantos centristas pró-europa como ele) ao qual já me habituei. Decidi-me apenas por gritar um “Viva Portugal!”, dado à boa maneira Portuguesa, isto é com o dedo do meio bem levantado a quem acha giro ministros das finanças europeus num país a 11 anos de celebrar 9 séculos. Ao que chegámos!

  11. Saudades dos tempos da TINA em que Passos se ia ajoelhar e beijar a mão a Merkl.
    Desde que Bruxelas não aplicou sanções o PSD amuou.
    Ainda aposto que o Rangel vai dizer “Olhos nos olhos” a Junker para se demitir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s