Tempo Novo na Autoeuropa…

Trabalhadores da Autoeuropa iniciam greve contra trabalho aos sábados

As compensações financeiras prometidas pela administração da Autoeuropa, um adicional de 175 euros por mês e mais um dia de férias para além das regalias previstas na legislação para o trabalho por turnos, não foram suficientes para demover os trabalhadores da Autoeuropa, que não aceitam a obrigatoriedade do trabalho ao sábado.

AutoEuropa – Fábrica completamente parada (CGTP)

CGTP quer sindicato a negociar com administração da Autoeuropa

“A CGTP está a aproveitar embalagem” do protesto na Autoeuropa

Catarina Martins vê greve na Autoeuropa com “enorme apreensão”

Os trabalhadores da Autoeuropa têm consciência do que estão a fazer? Por Nicolau Santos.

Anúncios

12 thoughts on “Tempo Novo na Autoeuropa…

  1. Manuel Assis Teixeira

    E o Costa? Foge? Ri? Esconde-se! Continua, como diz o Sócrates, sem eles no sítio? Aceita que os seus “compagnons de route” do PCP / Intersindical destruam a jóia da coroa da indústria nacional??

  2. c3lia

    Proposta da Auto Europa:
    – os trabalhadores da Autoeuropa, irão continuar exactamente a descansar dois dias por semana. O Domingo, sempre fixo, e o segundo dia durante os restantes dias da semana consoante o turno: para uma parte dos trabalhadores seria ao sábado, para outros à segunda, para outros à terça, e assim sucessivamente, de forma a que consigam manter laboração 24 horas por dia, e 6 dias por semana, sem que seja necessário parar no segundo dia de folga.
    – Ou seja, não estão a pedir aos trabalhadores que abdiquem de um segundo dia de descanso, nem lhes estão a pedir que trabalhem mais horas por menos dinheiro.
    – Antes pelo contrários, pois a administração propôs passarem a trabalhar como horário normal, menos duas horas por semana, de 40 para 38, mas até aumentando-lhes o salário, pois apresentaram-lhes uma proposta de subsidio de turno, no valor de 25% do salário base, e um prémio fixo adicional (para além da remuneração normal de lei) de 175 euros, como compensação por passarem a trabalhar ao Sábado, e a descansar no Domingo e um segundo dia durante a semana.
    – Não há, horas extraordinárias não pagas, como alguns erradamente andam a dizer, pois nem sequer teriam que trabalhar as 40 horas semanais, mas somente 38 recebendo as 40.
    – Considerando que o salário média na Autoeuropa é de 1320 euros, estamos a falar de de um premio medio de 330 euros + 175 euros, o que perfaz 505 euros mensais de remunerações adicionais, e com uma redução da carga horária em 8 horas mensais (2 horas a menos por semana), e continuam a folgar os dois dias por semana.

  3. JP-A

    Enquanto o comité central não der cabo da Autoeuropa através da CGTP, não desacansam. Quando der, vão aparecer na televisão a clamar por emprego.

  4. percebo o que a PCP/CGTP está a fazer mas daí aos trabalhadores caírem todos na coisa…? já têm todos empregos garantidos na função pública quando a fábrica fechar?

  5. Será que a alegada falta de tempo para a família vai ficar resolvida com uma situação de desemprego?
    Que o pior não volte a acontecer, mas onde e quando é que já correu este género de filme?

  6. Miguel Alves

    Acho que não se deve obrigar de forma nenhuma os trabalhadores a trabalhar ao Sábado, por isso quem não quer trabalhar ao Sábado deve despedir-se e aproveitar para estar mais tempo com a família.

    Se a proposta da Auto Europa é assim tão má, não irá encontrar ninguém para substituir os que se vão embora, nem contratar +2000 que está no plano, e obrigará a administração a propor condições mais vantajosas para atrair colaboradores.

  7. A CGTP explicou aos trabalhadores que estão a ser explorados, dando exemplos da Função Pública, onde não se faz peva das 9 às 5 e aos fins de semana descansa-se. E nalguns casos ganha-se mais. E faz-se greves na mesma.
    Agora a sério, se os números da C3LIA estão correctos, deviam ser cabeçalho de jornai e abertura de noticiários. São quase 2000€ mensais por 38h semanais, num país de salário mínimo. É bom e a greve é um insulto a quem não ganha isso e trabalha mais.

  8. Expatriado

    Cito:

    “Vamos aos pratos da balança de uma greve. De um lado, novo modelo e aumento da produção – mais trabalho -, turnos ao sábado com uma folga fixa ao domingo e outra rotativa durante a semana; do outro lado, um aumento de salário de pelo menos 16%, um bónus de 175 euros, a redução do horário para 38,2 horas/semana e mais um dia de férias.

    Esta proposta da administração da Autoeuropa – condições que foram alvo de um pré-acordo com a comissão de trabalhadores (CT) – foi recusada em plenário por dois terços dos trabalhadores. A esta altura, temos a CT demissionária e diversos sindicatos da CGTP a “trabalhar” o terreno.”…

    Daqui:

    http://www.dn.pt/opiniao/opiniao-da-direcao/interior/quanto-vale-um-sabado-8736172.html

  9. Gabriel Orfao Goncalves

    O camarada Jerómino e o camarada Arménio não gostam da AutoEuropa porque propuseram que esta fabricasse o Trabant e de lá responderam-lhe: “Trabant? Mas estão doidos?”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s