Aceitar ‘os nossos’ é fácil

Podemos não concordar com ela, mas todos têm direito à sua opinião. É quando não concordarmos que o respeito se torna, não importante, mas indispensável. Aceitar quem pensa como nós é fácil. Tentar compreender, debater, contradizer as ideias daqueles de quem discordamos, isso sim é o que nos torna em verdadeiros amantes da liberdade.

Anúncios

39 thoughts on “Aceitar ‘os nossos’ é fácil

  1. Mas pelo menos inspirou uma nova estirpe naciona: OS QUEIXINHAS!!! Elas vão fazer queixinhas à Ordem dos Médicos. A outra queixinhas (por tanto se queixar é que não engorda) foi-se queixar ás primeiras e depois o rol nunca mais acaba. São os/as queixinhas de merda!

  2. Segundo a teoria evolucionista em vigor a selecção natural da espécie humana acontece porque o nosso ADN nos predispõe biologicamente para interagirmos entre sexos com vista à reprodução e selecção da espécie. A atracção mutua entre sexos diferentes tem a sua explicação cientifica nesta teoria. Como tal a homosexualidade à vista da biologia é uma anomalia pois não contribui para a evolução da espécie humana. Independente da tolerância que a sociedade deve ter para com os homossexuais, estes também devem aceitar e ser tolerantes para quem não faz a promoção do seu estilo de vido. Caso contrario, a seguir ao Dr Gentil Martins terão que pedir a censura dos livros de biologia e a prisão dos defensores da teoria da evolução espécie humana.

  3. Um cavalheiro exprimiu uma opinião. Outras pessoas são da opinião de que ele está errado. O clube ao qual o senhor pertence pondera se o quer manter como membro.
    Não vejo onde está o drama.

  4. Mas o que é que a OM tem a ver com assuntos que actualmente nada têm a ver com medicina ? Todo o médico tem o direito de gostar ou não de pretos, homossexuais , comunas, nazis, e outras classes. É que se a OM tomar atitudes fora do seu âmbito, deverá começar por sancionar os médicos comunistas.

  5. Euro2cent

    > não contribui para a evolução

    Sem querer dar esmola para o peditório da moralidade cientoina, há quem aponte que sacrificar uns quantos machos excedentários em prol da tribo funciona bem.

    E, no limite, todos os machos depois do primeiro de uma geração são excedentários … é só perguntar aos criadores de gado …

  6. Cuidado JC, fui ameaçado de morte por dizer mais ou menos essas palavras. Os gays não gostam de discutir biologia básica.
    Foram aliás essas ameaças, a mim e aos meus, que me fizeram mudar de tolerante, e, até certo ponto, apoiante, para o campo oposto.
    Não se pode ser tolerante com intolerantes, acabamos debaixo do jugo. Têm os direitos que vêm na Constituição, e tudo o resto é privilégio, logo, demais. Chamam homofóbico a qualquer um, quando a realidade é que são heterofóbicos.

  7. Biologia… básica… parece que a homossexualidade foi observada em cerca de 600 espécies, incluindo vários primatas. O que falta descobrir é o propósito da ignorância!

  8. Vergonha a desOrdem dos Médicos envolver-se na polémica como se algum deles chegasse aos calcanhares profissionais e éticos do Prof. Gentil Martins

  9. a melhor forma de discutir com essa malta é levar a sua lógica ao extremo:
    não há nada de errado com o incesto
    nem com o casamento poliamoroso
    desde que sejam adultos a consentir e no primeiro caso não tenham filhos
    é so amor,
    beijos.

  10. Gabriel Orfao Goncalves

    Alguém me arranja declarações, manifestos, quaisquer expressões da Sra. Deputada Isabel Moreira sobre o que os russos ou os sauditas fazem aos homossexuais? Antecipadamente grato.

  11. Caro Gonçalves.

    Basta procurar na net que encontra várias “expressões” da Isabel Moreira sobre o assunto.

    “DIREITO À INDIGNAÇÃO
    Acaba de ser aprovado um voto de repúdio pelo que está a acontecer à população LGBT na Chechénia mais de 50 anos depois do nazismo. O PCP votou, isolado, abstendo-se. (correção). Não posso deixar de registar este horror. O PCP que enche a boca contra o nazismo, foi hoje conivente com quem afirma que não há perseguições de gays na Chechénia “porque não há gays na Chechénia”.
    Isabel Moreira”

  12. Luís Lavoura

    JC

    a homosexualidade à vista da biologia é uma anomalia pois não contribui para a evolução da espécie

    O problema é que essa anomalia está bastante expandida, entre muitas espécies. A biologia não sabe porquê, mas o facto é que a homossexualidade já foi amplamente documentada em muitíssimas espécies.

    Há anomalias que a biologia não sabe explicar, porém existem…

  13. @ GUNA
    Sim, a heterofobia começa logo pela total incapacidade dos gays (não todos) admitirem que dois espécimes do mesmo sexo não se reproduzem pelo coito. E isso não é uma opinião, é um facto, é biologia básica, e você está a contestar esse facto com 600 argumentos inúteis neste caso. São exactamente intolerantes como você que me levaram a mudar de idéias – isso e as ameaças.
    Já agora, quantas dessas 600 espécies onde foi observada a homossexualidade se reproduzem com coito homossexual? Esclareça a minha ignorância.

  14. “Sim, a heterofobia começa logo pela total incapacidade dos gays (não todos) admitirem que dois espécimes do mesmo sexo não se reproduzem pelo coito. ”

    WTF!! O “AB” acredita mesmo no que escreveu?
    Acho que nunca me ri tanto numa caixa de comentários.

  15. O que noto nesta discussão é que quase todos os intervenientes estão a defender o Gentil Martins dizendo que concordam com ele (ou seja, para eles também não é difícil aceitá-lo, porque é dos “deles”)

  16. Luís Lavoura, o facto da homossexualidade ser encontrada noutras espécies é a prova de que não é uma doença? Eu vejo exactamente na perspectiva contrária.

  17. A homossexualidade saiu da lista de doenças da OMS em 1990 por votação (que por sinal foi renhida) de especialistas e após um acalorado debate. Não, não foi após uma descoberta científica qualquer.
    A decisão, pese embora tenha sido tomada por especialistas, foi essencialmente política.

    Não concordo com esta frase repetida do “a ciência diz que”. A ciência não diz nada. A ciência não é um tabelião com tábuas de dogmas a dizer o que está certo e está errado, o que é verdade ou mentira. Nesta questão em especial há estudos para todos os gostos. O “consenso científico” não existe. É um oxímoro. O que existe é um discurso politicamente correcto que usa a ciência para tentar impor “verdades”.

  18. Na psicologia, definir o que é doença ou não tem muito de juízo de valor e não apenas de juízo puramente científico – há muitas coisas consideradas “doenças mentais” que, em ultima instância, pouco mais são do que questões de gosto pessoal (veja-se, p.ex., a “perturbação da personalidade esquizóide” – essencialmente introversão em alto grau – as várias “adições”, etc.).

  19. Mesmo a famosa “epidemia de autismo” tem provavelmente muito menos a ver com vacinas ou “toxinas” e mais com ter-se alterado o ponto a partir do qual uma criança deixa de ser considerada “com interesses um bocado diferentes das outras” para passar a ser considerada “autista”.

  20. Exacto Miguel. O que leva à seguinte questão: porque esta repulsa quando Gentil Martins, Margarida Cordo ou outra pessoa defende que, na sua opinião, a homossexualidade é uma doença? É a opinião deles. Podemos concordar ou não com ela. O que não podemos é querer proibir esse tipo de opiniões.

  21. Só para que as florzinhas do politicamente correcto não se zanguem : segundo o dicionário, anomalia é : “o que se desvia da norma, da generalidade”.

  22. “JC
    Só para que as florzinhas do politicamente correcto não se zanguem : segundo o dicionário, anomalia é : “o que se desvia da norma, da generalidade”.”

    Ou seja, de um ruivo, de canhoto ou de um fulano com 1,98m podemos dizer que são anormais uma vez que se desviam da norma, da generalidade.
    Mas ao fulano com 1,98m será sensato não lhe dizer isso.

  23. AB

    @GUNA
    Certo, portanto 0,1% do universo considerado de 600 espécies. E partenogénese não é coito homossexual, mas vá lá.
    Só que voltamos à mesma; 0,1% é estatísticamente anómalo.
    @EMS
    Você pode concordar comigo, ou não. E sabe que mais? Eu também.

    A conversa acaba aqui, mas também é minha crença que alguns homossexuais prestam um péssimo serviço à sua causa – a intolerância só gera intolerância.

  24. Gabriel Orfao Goncalves

    As declarações do Dr. Gentil Martins calharam que nem ginjas a um governo com dificuldade em lidar com Pedrógão Grande e com Tancos.
    Essa é que é.

    Não tenho a homossexualidade ou a bissexualidade por doença ou anomalia.
    Sou heterossexual, exclusivamente heterossexual, e dou-me com toda a gente, seja qual for a orientação sexual. Mas poupem-me a bichonas, a machos latinos, a mulheres fatais (notem que os dois últimos exemplos são de heterossexuais), e a outras pessoas cujas trombas, maneira de estar ou de falar tem forçosamente de evidenciar em permanência que a grande pulsão das suas vidas, mais do que a sexualidade, é a exibição da sua sexualidade, seja ela qual for.

  25. Gabriel Orfao Goncalves

    O início da crónica de Henrique Raposo promete. O resto não sei, porque só pagando para ler, e eu não pago ao Expresso.

    http://expresso.sapo.pt/blogues/Opinio/HenriqueRaposo/ATempoeaDesmodo/2017-07-17-Camaradas-paneleiros

    «Na festa do Avante de 2015, vários homossexuais foram espancados por seguranças do evento. Um destes homens foi agarrado e atirado para o interior de uma carrinha de apoio à festa. Nessa carrinha, foi insultado (“maricas”, “paneleiro de merda”, “porco”), humilhado e agredido com pontapés e murros. Até lhe apertaram o pescoço com uma corda.

    No meio desta humilhação, um dos capangas do PCP teve um momento de caridade e exigiu que se parasse com aquele tratamento propedêutico, visto que a vítima era um “camarada” e não um mero “paneleiro de merda”. A resposta do líder da esquadrão de reeducação foi clara: “não há camaradas paneleiros”. Esta cena não aconteceu no consultório de Gentil Martins neste fim-de-semana, mas sim na festa do Avante de 2015.»

    Pessoal, temos de reequacionar isto. O problema do Dr. Gentil Martins afinal é não ser comuna!

    Espero por uma reacção da ILGA a tudo isto. Uma reacção do género desta:

  26. AB: “E partenogénese não é coito homossexual, mas vá lá.”

    Nessa espécie de lagartixa é mesmo coito homossexual – as fêmeas têm que esfregar os órgãos genitais umas nas outros para estimula a produção de ovos.

  27. A.R

    Obviamente que é uma anomalia. Tanto é uma anomalia que existe tratamento e com bastante sucesso: não é por meia dúzia de psiquiatras se reunirem à volta de uma mesa e dizerem que não, que deixa de o ser. Trata-se tanto de uma anomalia que muitos deles abandonam a “prática”. Trata-se mais de uma moda cultural que é propiciada por disfunções familiares.

    E todos sabemos o tamanho dessa anomalia: disfunções físicas que aparecem, “casamentos” muito mais instáveis que o casamento, mais infidelidade, mais parceiros, mais violência no “casamento” e mais abusos de crianças (há artigos científicos com estas estatísticas mas a verdade é que já tentam normalizar o sexo com crianças). Algo não é natural ali.

    Quem quer pois que o seja mas esta intolerância dos activistas homossexuais para com os outros é típica dos regimes mais déspotas que existem. Aliás basta ver o folclore dos desfiles gay para se notarem as taras.

    Agora o que me surpreende é a casta que se indigna -Podemos, BE, etc- é serem apoiados (O Podemos pelo menos recebe dinheiro do Irão) por tiranias que executam os homossexuais: apedrejamento, lançamento de locais elevados e enforcamento. Este último, no Irão, propositadamente lento pois o condenado morre debatendo-se minutos depois de lhe tirarem a mesa debaixo dos pés. Tanta manifestação à frente de Embaixadas e nunca se lembraram deste protesto em frente da do Irão.

  28. A.R

    ” parece que a homossexualidade foi observada em cerca de 600 espécies, incluindo vários primatas”

    Muito mais de 600 espécies sofrem de doenças de pele … biologia fundamental. O que falta é descobrir uma vocação para a inteligência

  29. A.R. “mas a verdade é que já tentam normalizar o sexo com crianças”

    Se alguma coisa, acho que a direção é exatamente no sentido contrário – mesmo recentemente a APA queria alterar a definição de pedofilia para incluir também a atração sexual por adolescentes (essa proposta voltou atrás face ao clamor de críticas, mas é indicativo de qual o clima predominante).

  30. “e mais abusos de crianças (há artigos científicos com estas estatísticas mas a verdade é que já tentam normalizar o sexo com crianças). Algo não é natural ali.” — já que estamos a fazer generalizações: tem a certeza que não está a falar daquele clube que só aceita homens (com uma certa vocação) e usam uns colarinhos e vestimentas engraçadas???

  31. Toda a polémica está a falhar o ponto central da discussão:

    Antes de tentar apurar se o que foi dito é legítimo ou se faz sentido, interessava salientar que o próprio A. Ventura está-se nas tintas em relação a isso – um hipócrita da espécie mais rastejante que há, capaz de vender a própria mãe, pai e avós, só o disse porque tem quase certeza que assim ganha votos!

    “Não há má publicidade” e tudo isto estava previamente orquestrado – a polémica é lançada, o jornal “I” (especialista em fake news de “notícias” ligadas aos seus lobbies) avança com 1ª página e voilá, um lambe botas da maior sem vergonha que existe, sem qualquer relevância política e que apenas sabe lançar calúnias sobre bola e crimes na CMTV, está projectado para a ribalta dos “temas fraturantes”…

    Raisparta a falta de sentido crítico e memória!…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s