Notas breves sobre a cimeira do G20

1. Como se previa, Trump foi toureado por Putin no encontro do fim de semana. Alegadamente Trump acusou Putin de interferir nas eleições americanas, estamos seguros que com grande convicção, já que veio depois de várias tiradas tonitruantes de Trump assegurando que o hacking russo não existiu e não influenciou as eleições. Mas apesar de não ter existido nenhum hacking russo – Putin disse que não e alguma vez o senhor faltaria à verdade? Trump, a grande custo (vide as tiradas tonitruantes), lá acreditou em Putin – Trump e Putin resolveram criar não sei o quê de cibersegurança (pelo meio vai o reconhecimento de que os States não conseguem garantir a sua segurança sozinhos, pelo que se aliam aos que mais põem em perigo essa segurança; é tudo muito lógico, se virem bem depois de beberem uns dez gins tónicos) para prevenir que não volte a acontecer aquilo que nunca aconteceu – o hacking russo nas eleições americanas. De caminho, negociou-se um cessar fogo que mesmo que se efetue não cessará quase fogo nenhum. Uma vitória diplomática americana, portanto. Só ensombrada por outra, a daquele acordo de comércio (cof) com a China, verdadeiramente groungbreaking, em que um país vendia carne ao outro e, em compensação, recebe os seus cartões de crédito. O mundo não será igual depois de um entendimento desta dimensão entre os Estados Unidos e esta potência. Em Hamburgo, Trump não só concedeu tudo que tinha para conceder a Putin, sem nada de retorno, como o elevou à categoria de par do POTUS. O que, em boa verdade, neste momento é.

2. Merkel – com o seu rolar de olhos com Putin e o scolding a Trump por causa dos acordos de Paris – mostra como é, atualmente, A Líder do mundo ocidental, sem reverência por quem não merece reverência, e sem problemas em constatar publicamente que aquilo que a Europa, no seu melhor, é, está muito acima de produtos políticos como Trump ou Putin.

3. O estado da administração Trump vê-se por termos uma Ivanka a substituir o pai nas mesas dos líderes quando este estava ocupado. Ivanka não percebe nada do que se passa naquelas mesas (ok, não é muito diferente do seu pai, mas este foi eleito), e pelo menos teve o bom senso de ficar calada todo o tempo e não se embaraçar. Mas das duas, uma. Ou Ivanka pediu muito ao pai para ir ela para a mesa, apesar de nada saber do que lá é dito, e o pai disse que sim, da mesma maneira que os pais deixam os filhos criança sentarem-se nas suas secretárias nos seus escritórios para brincarem aos donos ou diretores de empresas – o que, enfim, mostra que Trump devia ter ficado com o seu robe no seu quarto da Casa Branca a tuitar em vez de ir à cimeira. Ou, em alternativa, Trump não confia em absolutamente ninguém da sua administração e teve de mandar a filha, em quem confia absolutamente apesar de não perceber nada, para espiar o que se passa na sua ausência e, quem sabe, impedir que fosse gozado pelos seus pares nas suas costas.

Anúncios

5 thoughts on “Notas breves sobre a cimeira do G20

  1. “TOUREADO”…sim senhora, é só classe. E que tal falar nos 3 milhões de ilegais que votaram na Clinton ? pois é, não dá muito jeito falar de coisas sérias. É melhor continuar com a narrativa dos russos inventada após as eleições pelos clintonianos. Se isso a faz feliz .

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s