Os 62 mortos e a ausência de responsáveis

Só há responsabilidade para as boas notícias? Por Rui Ramos.

O fogo de Pedrógão-Grande pode ter tido as origens mais extraordinárias, mas ocorreu numa região, numa época do ano e num contexto meteorológico em que os incêndios florestais não são extraordinários. É difícil, por isso, não admitir a hipótese de ter havido uma falha da protecção civil. Não se previu o risco de incêndio florestal, não se pôs a população em alerta para a possibilidade do fogo, não se prepararam meios para uma eventualidade, e quando o incêndio rebentou, não se tomaram todas as providências, como, por exemplo, controlar a circulação automóvel. Ao contrário do que disse o Presidente da República, não parece ter-se feito tudo o que se pôde.

Mas neste país, só há responsáveis para as boas notícias. Para a saída do défice excessivo, não faltaram pais, mães e até avós. Ninguém invocou a conjuntura externa favorável, nem o ajustamento de 2011-2014. Mas para uma tragédia como a de Pedrógão-Grande, os tomadores de responsabilidades são escassos. Nestes casos, prefere falar-se da natureza, da temperatura, do vento, da conjugação misteriosa de todo o tipo de fatalidades.

É curioso notar, a este respeito, o contraste entre o regime português e o regime britânico, perante dramas de dimensão semelhante. Em Londres, morreram a semana passada 58 pessoas no incêndio de uma torre de apartamentos. O fogo começou com um acidente (a explosão de um frigorífico). Mas para a sua propagação rápida e avassaladora, terá contribuído o revestimento exterior, mais barato do que outras opções, mas perigosamente inflamável. A partir daí, começou a discussão, a primeira-ministra foi confrontada, exigiram-se demissões. Como em qualquer democracia, quando alguma tragédia acontece que podia não ter acontecido.

(…)

Não se pode andar a dar lições sobre o aquecimento global, e depois não conseguir sequer dar uma impressão de previsão e de controle perante um fenómeno que se repete todos os anos, nas mesmas condições, como são os fogos florestais. É nestes casos que o vazio de liderança política em Portugal, disfarçado pelo preenchimento regular dos cargos, se torna óbvio. É também nestes casos que fica à mostra a fragilidade extrema do país artificial do optimismo e das boas notícias.

Anúncios

14 thoughts on “Os 62 mortos e a ausência de responsáveis

  1. JP-A

    Nas próximas horas poderemos ver em direto e a cores na TV os responsáveis, quando aparecerem com as habituais ladainhas das espécies e da limpeza das florestas quando mesmo à nossa frente, em todos os canais e jornais, temos as imagens dos armazéns de material altamente combustível em que se transformaram as estradas, ladeadas ao longo de Km por filas intermináveis de mato, árvores de grandes dimensões cujas copas chegam a estar sobre a própria faixa de rodagem, e mesmo pilhas de árvores cortadas que entretanto secaram. São estas pessoas que nos vão inundar com discursos sobre a limpeza das ervas e do mato em redor das casas, sobre o pinheiro e sobre o eucalipto, quando as vias de escape e de acesso ao socorro estão num estado absolutamente inacreditável, como se pode constatar pelo google na região onde decorreram os desastres. O próprio IC8 é um armazém de material combustível nas imagens do google.

  2. JP-A

    Este IC8 não é o que está no google. Eu quero saber quem é que faz esta limpeza e estas margens consciente da importância da segurança e que depois deixa as coisas chegarem ao ponto que lá podem ver retratado. O que lá está são Kms de árvores com 10 a 15 metros de altura e que na primeira década de 2000 já lá estavam a crescer. Obviamente, as autoridades que mandam nisto vão desaparecer todas e vão-se transformar em ninguém, que é o que sempre acontece quando alguma coisa corre muito mal. Nas estradas nacionais daquela região é muito pior. Desgraçado daquele que por lá passe quando alguém acender um fósforo. Claro que tudo isto seria levantado num país como a Alemanha, porque a comunicação social ia já fazer um levantamento exaustivo, mas nós temos esta sina de uma comunicação social que se perde à volta das selfies e dos abraços ternurentos.

  3. Manuel Assis Teixeira

    Neste caso tudo é estranho! Pobres mortos. Querem entregar ao acaso, ao azar as vossas mortes, mas estas têm que ser imputadas à mais escandalosa falta de coordenação e de comando! Morreram porque simplesmente vos mandaram circular por uma estrada de morte ! Morreram porque pura e simplesmente houve omissão de actuaçao e em alguns casos omissao de auxilio como foi dito por muita populaçao. Pode o Sr Presidente – imprudentemente aliás- vir rápidamente dizer que tudo foi feito! Pode o sempre circunspecto director da Judiciaria na mais rápida investigaçao de que há memoria vir dizer que a culpa é da arvore! Pode a Sra Ministra querer por-se a jeito na fotografia empurrando o choroso secretário de estado para trás, pode o presidente da liga dos bombeiros desdizer hoje o que sempre disse e defendeu que foi a milionária aposta no combate! Podem os ” comandantes” das protecçoes civis vir passear as suas estrelas e fazer os seus briefings para impressionar jornalistas mal preparados para perguntar. Podem tudo! Mas sessenta e dois mortos devem ter perguntado no estertor: porque é que nos deixaram entrar nesta estrada? Porque é que não acudiram as nossas aldeias cercadas quando tanto pedimos ajuda? Os ministros os Secretarios de Estado, os ” Comandantes” têm que saber responder a esta pergunta! Senão tenham vergonha e demitam-se! 62 mortos exigem-no!

  4. Bando de ratazanas no conforto dos seus sofás brancos aproveitam a morte alheia para fazerem ataques a Presidente da Republica ao Primeiro Ministro a Proteçao Civil aos Bombeiros a população destas pequenas aldeias .

  5. Manuel Assis Teixeira

    O Rocha é isso mesmo. Uma rocha! Inerte imovel fossilizada! E os fosseis não pensam! Pobre fossil! Pobre Rocha!

  6. JP-A

    O tipo que passou na TV a explicar que as populações não podem desobedecer à ordens de evacuação (alguns certamente porque sabem perfeitamente que depois das palmadinhas nas costas vem nada) não foi confrontado com as notícias que aparecem separadamente sobre pessoas que dizem ter pedido socorro sem que ninguém aparecesse. Sobre a questão da GNR também não vi nada no rol de perguntas à Ministra.

    Fica aqui a notícia de 2013, só para não esquecer:
    “Incêndios: PS acusa Governo de se tentar «desresponsabilizar»”

  7. Manuel Ribeiro

    Sim, há que encontrar os responsáveis pela liberalização da plantação massiva de eucaliptos.

  8. Gabriel Orfao Goncalves

    h t t p : / /
    expresso.sapo.pt/sociedade/2017-06-18-Estaremos-condenados-a-ver-as-tragedias-repetirem-se-

    de que destaco

    «…este fim-de-semana boa parte da rede de comunicações de emergência falhou no momento mais crítico porque o SIRESP (parceria público-privada que gere a Rede Nacional de Emergência e Segurança) depende em parte de antenas e estas (tal como as dos telemóveis) podem arder e arderam de facto.»

  9. Luís Lavoura

    não se tomaram todas as providências, como, por exemplo, controlar a circulação automóvel

    O Rui Ramos queria que se tivesse aprisionado as pessoas em suas casas, impedindo-as de tentar fugir de carro? E quem garante ao Rui Ramos que, aprisionadas, elas não teriam igualmente morrido? E como se controlaria a circulação automóvel – pondo de helicóptero uma brigada da GNR em cada aldeia, a bloquear a estrada? E os GNR que controlassem a circulação automóvel, não teriam eles também morrido no fogo?

    O Rui Ramos desde as burrices que disse no caso da invasão do Iraque que não para de dizer mais burrices.

  10. Gabriel Orfao Goncalves

    h t t p s : / /
    sol.sapo.pt/artigo/568580/governo-alertado-para-ameaca-de-inc-ndios-de-risco-elevado-desde-maio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s