Pela regulação do alojamento de estudantes


A educação superior é muito importante para o país. A expansão das universidades a cidades do interior tem tido muitos efeitos positivos para essas regiões, mas não se pode ignorar os efeitos nefastos sobre a população local. A invasão de estudantes destruiu a calma que antes reinava nestas localidades. Em nenhuma outra área se nota mais esse efeito do que na habitação. O preço do arrendamento no centro das cidades universitárias disparou, obrigando a população trabalhadora local a deslocar-se para zonas menos centrais.

Mas é entre os que ficam que os custos mais se fazem sentir. Zonas habitacionais que antes só alojavam famílias, agora alojam grupos de jovens sem horários fixos de trabalho que entram e saem a toda a hora, convidam permanentemente amigos para as suas casas e organizam festas barulhentas regadas a álcool que duram até altas horas da noite, mesmo durante a semana. Este entra e sai de desconhecidos nos prédios, barulho durante a semana de trabalho e jovens que não percebem o que é viver em condomínio está a ter um efeito devastador sobre a vida das populações locais. Tudo isto para que os senhorios possam fazer algum dinheiro extra metendo 6 estudantes num T3 onde antes habitava uma família de 4.

Esta situação tem que acabar. Um prédio habitacional não é uma residência de estudantes. Temos que aceitar que a mudança na distribuição etária dos residentes de um prédio tem efeitos sobre a qualidade de vida. O direito ao descanso dos residentes habituais deve sobrepôr-se à lógica economicista dos benefícios da educação superior. Por isso é importante impôr quotas no alojamento a estudantes e exigir uma autorização do condomínio antes que um apartamento possa ser alugado a estudantes. Há que salvar o centro das nossas cidades universitárias.

Amanhã voltarei ao tema, desta vez para falar sobre o alojamento de refugiados (sim, aquelas pessoas que metem 4 filhos num T2 e acordam às 5 da manhã para rezar).

Anúncios

11 thoughts on “Pela regulação do alojamento de estudantes

  1. Luís Lavoura

    aquelas pessoas que acordam às 5 da manhã para rezar

    Um conhecido meu arrenda casa a trabalhadores asiáticos que, na região da Póvoa de Varzim, trabalham nas estufas agrícolas. Esses trabalhadores são oriundos de países como o Nepal e o Bangladeche. O que os vizinhos lhe dizem é que eles têm costumes muito estranhos, em particular o deitarem-se e levantarem-se muito cedo. E rezarem, muito. Mas esses vizinhos dizem também que são uma excelente vizinhança, não incomodam ninguém, não chateiam ninguém.

  2. Luís Lavoura

    Eu já arrendei uma casa, ora a estudantes, ora a jovens profissionais. E o facto é que tive queixas dos vizinhos em relação ao barulho e à má educação de alguns jovens profissionais (já bem passados dos 30 anos de idade), não dos estudantes.

  3. O Patriarca

    O que me preocupa em artigos como este é que facilmente encontraríamos um qualquer esquerdinha a argumentar isto com uma cara séria.

  4. Carlos Guimarães Pinto

    Eu posso garantir que, como turista, também nunca incomodei ninguém noa alojamentos locais em que fiquei.

  5. Luís Lavoura

    como turista, nunca incomodei ninguém noa alojamentos locais em que fiquei

    Pois, aquilo que pretendi com os meus comentários foi, precisamente, dizer que quem (não) incomoda os vizinhos não é muitas vezes quem mais se espera. Boa parte dos preconceitos são infundados.

  6. Até que enfim, está na altura de acabar com os padres andarem pelas ruas com sinos durante as manhãs dos Domingos de Páscoa, procissões e semelhantes.

  7. mariofig

    “quem (não) incomoda os vizinhos não é muitas vezes quem mais se espera. Boa parte dos preconceitos são infundados.”

    Mas os inquilinos do arrendamento local incomodam sempre. Essa bandalha tem mas é toda de ir para hotéis onde é permitido incomodar os clientes dos quartos ao lado.

  8. AB

    Querem pôr os condomínios a decidir sobre o alojamento local? Boa sorte. A maior parte dos condomínios que conheci nem se conseguem pôr de acordo para mudar uma telha.

  9. Não tomo posição, no entanto relato factos. Um filho meu estudou durante 6 anos num quarto alugado. Haviam mais 2 quartos alugados a estudantes. Durante as muitas visitas que fiz, nunca ouvi barulhos ou desacatos. Tudo sempre em ordem.

  10. mariofig

    @Maria, o texto de Carlos Guimarães Pinto é uma sátira à lei de regulação do alojamento local.

  11. Maria,

    “Durante as muitas visitas que fiz, nunca ouvi barulhos ou desacatos. Tudo sempre em ordem.”

    E nas sextas de manhã, os desarranjos do estômago que o seu filho tinha era de ter bebido uma coca-cola fora de prazo…. Aconteceu-me tanta vez quando andava a estudar, beber ….. coca-colas fora de prazo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s