Uma Europa dona do seu destino?

A minha crónica de hoje no ‘i’. Não está referido mas, entretanto, o primeiro-ministro da Índia está na Europa, com paragem em Madrid, Berlim, Paris e São Petersburgo.

Uma Europa dona do seu destino?

Dias depois de Trump regressar aos EUA vindo da Europa, Putin chegou a Versalhes. O pretexto foi a inauguração da exposição sobre os 300 anos da viagem de Pedro, o Grande, a Paris. De acordo com Vladimir Fedorovski, escritor de origem ucraniana e um dos maiores especialistas franceses sobre a Rússia, a visita de Putin põe termo à frieza com que Hollande marcou as relações com o Kremlin.

A vinda de Putin a Paris não é o único sinal de mudança na Europa. Na cimeira do G7, a primeira com Trump, que teve há dias lugar na Sicília, o presidente dos EUA afirmou que os alemães “são maus, mesmo muito maus”. Parecia a esquerda radical a alimentar os ódios na Europa, mas não, era mesmo o presidente da América.

Depois desse episódio, Merkel afirmou que “o tempo em que podíamos contar totalmente uns com os outros acabou, em certa medida. Verifiquei isso nos últimos dias”, e concluiu: “A única coisa que posso dizer é que nós, europeus, temos de tomar as rédeas do nosso destino.”

Nós, europeus. Merkel di-lo agora, que sabe ter em Macron um aliado válido. Mas que europeus são estes a que se dirige a chanceler alemã? Europeus de uma Europa sem o Reino Unido? De uma Europa sem o guarda-chuva norte-americano? De uma Europa que investe na defesa? E que se associa a quem? À Rússia, ao mesmo tempo que conta com os EUA? Uma Europa una e, se sim, em que termos? E Portugal, aquele país atlântico, aliado tradicional do Reino Unido e dos EUA, como é que fica? É assim que se percebe que ganhar a Eurovisão não basta.

3 pensamentos sobre “Uma Europa dona do seu destino?

  1. É tempo de que a Europa tenha uma liderança.
    Ninguém por si só tem condições de negociar com o Trump, e a GB não votaria o Brexit se este coirão do Trump lá estivesse..

  2. Euro2cent

    O camarada E. Morcon devia ser nomeado primeiro consul da República Europeia o mais rápidamente possível.

    Divorcia-se da actual legitima, e casa com a camarada Angela M. Juntos adoptam muitos refugiados (sobretudo umas “crianças de 12 anos” que parecem ter 20.)

    Prontes. Futuro assegurado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.