Portugal: Um país a caminho da auto-extinção

Número de filhos nascidos de pais que não vivem juntos duplica em seis anos

Portugal continua com um saldo natural negativo. Ou seja, confirmando as tendências dos últimos anos, em 2016 houve mais gente a morrer do que a nascer, fazendo com que a população diminua pelo oitavo ano consecutivo. Do total de 87.126 crianças nascidas, 52,8% são filhos “fora do casamento”, ou seja, de pais que não estão casados. Aumentou a proporção de filhos nascidos de pais que não vivem juntos: quase duplicou em seis anos, passando de 9,2% em 2010 para 17,1% em 2016. No ano passado, 35,7% dos nascidos eram filhos de casais que coabitam.

Anúncios

8 thoughts on “Portugal: Um país a caminho da auto-extinção

  1. Luís Lavoura

    houve mais gente a morrer do que a nascer, fazendo com que a população diminua pelo oitavo ano consecutivo

    Esta dedução é falaciosa. A população diminuir ou aumentar depende não somente dos números de nascimentos e mortes, mas também, e crucialmente, do saldo migratório.

  2. Luís Lavoura

    Portugal: Um país a caminho da auto-extinção

    Confesso que acho este tipo de frases completamente estúpidas. Primeiro, porque o facto de haver mais mortes do que nascimentos não significa que a população vá diminuir, uma vez que há ainda que contar com as migrações. Depois, porque Portugal já teve no passado muitíssimo menos habitantes do que hoje tem e nem por isso deixou de existir. Portugal quando surgiu tinha meio milhão de habitantes!

  3. mariofig

    Luís Lavoura, Encontra aqui um gráfico da população portuguesa nos últimos 9 anos. http://www.tradingeconomics.com/portugal/population.

    Não olhe muito para a dimensão das barras. O gráfico usa uma escala linear muito reduzida de 0.5 milhões de habitantes e portanto pode transmitir a ideia errada sobre os valores relativos da população em cada ano. Ou seja, as barras representam valores absolutos e não relativos. Mas aceita finalmente agora como verdadeira a tendência que este artigo se refere?

    Tem aqui outro http://www.worldometers.info/world-population/portugal-population/. Repare como parece existir um avanço do crescimento da população nos últimos anos no segundo gráfico. Nota? Parece contradizer o que se diz aqui. Mas agora coloque o cursor do rato em cima dessa linha e vai ver que o que se passa na realidade é um avanço sim, mas ainda dentro de uma valor negativo de crescimento da população.

  4. mariofig

    Finalmente, mais grave ainda do que a redução e consequente envelhecimento da população Portuguesa (que coloca sérios problemas ao estado social) aos quais a imigração não dá resposta e que se tem verificado nos últimos anos, é o problema que o artigo se refere da decadência dos valores familiares na nossa sociedade. A noção de família como núcleo da sociedade está-se a perder de uma forma alarmante.

    Mas sobre isso estranhamente o Luís Lavoura não se pronunciou. Preferiu fazer um paralelo estranho e alarmante à nossa população durante a fundação do país. Já agora deixe-me que lhe pergunte, bom-bom seria que esse meio milhão de habitantes já agora fosse todo comunista e divorciado?

  5. mariofig

    Maduro está-se também a preparar para reduzir a população da Venezuela para meio milhão de habitantes, ao armar a sua milícia. Ora aqui está uma ideia para o Luís Lavoura levar aos seus amigos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s