Desejo de morte I

Quando do fuzilamento do Ceaucescu e da Elena fiquei impressionado com o ar de espanto (mais que do medo) do ditadorzinho nas fotos que apareceram. Olhava os executores com o que me pareceu um sincero ar de espanto, de que não podia acreditar que aquilo lhe estava a acontecer, a ele que teria feito tudo pelos romenos que, por sua vez, lhe pagavam fuzilando-o. Não será caso único, os bolcheviques assassinados publicamente por ordem do Lenine e do Estaline devem ter sentido mais ou menos o mesmo. Vem isto a propósito de quê?
Por mais que o tempo passe, parece que há um desejo de morte atávico nas pessoas, não aprendemos nada. Não tenho qualquer espécie de dúvida que, com todos os defeitos, a democracia liberal como a conhecemos desde a WWII é o melhor sistema político que alguma vez existiu neste vale de lágrimas. Nunca fomos tão livres de pensar, dizer ou fazer o que quisermos. E sempre que houve um sistema político que permitia mais liberdade, as pessoas comuns acabaram a abomina-lo e, em consequência, levaram com coisas infinitamente piores. Agora não é diferente. Não faltam entusiastas dos autoritarismos/totalitarismos que vão de coisas como o Bloco, Podemos, Corbyn ou Siriza até ao Wilders, Le Pen ou AfD. O status quo democrata-liberal é uma merda não é?
Os vencedores das revoluções não costumam perdoar a quem os põe no poder. Por muito que os tais entusiastas dos totalitarismos se imaginem a comandar batalhões em parada calçados de botas de montar, ou se masturbem com julgamentos sumários dos capitalistas e burgueses, podem bem acabar com um picador de gelo espetado na testa ou pendurados em bombas de gasolina. É uma tradição dos que recusam a liberdade e lhe preferem a Nacinha ou a igualdade.
Meus caros, a liberdade que nos permite estar aqui a mandar bojardas, não é garantida. E é um bem demasiado precioso para andar com merdas, vejam lá se não vai o bebé com a água do banho, costuma ir.

 

Anúncios

11 thoughts on “Desejo de morte I

  1. rui a.

    Meu caro, à medida que o tempo passa, vai-se perdendo a memória. As pessoas mais novas não sabem, nem procuram saber, como era antes deles e, no caso, depreciam tudo o que tivemos nas últimas décadas, entre o que, a meu ver, se realça a União Europeia. É evidente que nenhum desses petizes (e pelas nossas águas há-os aos montes) teve que estar horas numa bicha fronteiriça para ir comprar caramelos a Tuy (ou a Badajoz…), nem imagina que, nessa altura, havia por cá e por lá uns «Guardias Civis» e «GNR’s» a quem se tinha que mostrar o passaporte e o bi para se poder ir comer uma mariscada a Vigo. São todos muito contra a «burocracia de Bruxelas», mas não lhes passa pela cabeça ficar sem o euro ou sem Schengen (presumindo que saibam o que é). Por conseguinte, é mais do que normal e compreensível que sejam as gerações mais jovens a contestar a «Europa»: não é por não terem emprego; é porque o agradável ócio em que medram não os faz imaginar como era isto antes. Nem como será depois, caso a coisa venha a estoirar. Abraço,

  2. lucklucky

    Na Democracia Social já não há privacidade, não há sigilo fiscal, o dinheiro em espécie é proibido, comer carne será punido, conduzir será proibido – já é punido – , os filhos pertencem ao Estado Social e o controlo do Governo sobre a tua vida é total.
    Tudo é droga, do açucar, ao sal, ao vinho…
    Não é possível publicidade ao tabaco e ao alcool mas o Mein Kampf e o Manifesto Comunista é, o ultimo até é incentivado desde tenra idade.

    O que percebe de quem fala hoje de Democracia Liberal nestes tempos é que não notam a mudança radical dos últimos 20 ou 30 anos.

  3. mariofig

    Olhe Hélder, eu realmente não me apetece responder ao seu post directamente. A mensagem que transmite é de tal modo absurda e repleta dos chavões de sempre, que francamente não merece qualquer atenção. O seu tipo de discurso é o costume entre V. Exas.: Serve a câmara de eco à qual pertence e não convence ninguém fora dela. Parabéns por não ter contribuído para o debate.

    Mas apesar de se entreter a criar novelas de terror baratas, uma coisa gostei no seu artigo que foi a forma como se referiu a Ceaucescu. Me lembrou de imediato Maximilien Robespierre. Ainda mais que Ceaucescu imagine a cara de Robespierre quando percebeu que ia ser guilhotinado pelo mesmo sistema que ele criou para matar mais de 16.000 franceses. Segundo consta ele nem queria acreditar quando se viraram contra ele. Fugiu e tentou-se matar duas vezes antes da guilhotina. Mas quis o destino que ele cumprisse todas as formalidades da execução.

    Percebeu a ironia ao seu post?

  4. mariofig

    Afinal apetece-me mesmo dizer mais qualquer coisinha. É que sinceramente… é preciso andar mesmo com as vistas tapadas! Enquanto se entretêm a votar negativamente os post do LuckyLucky, nem se dão ao trabalho de reflectir sobre o que ele acabou de dizer.

    Recusam fazer um mea culpa. Não querem perceber que o chamado extremismo de direita é um efeito, não uma causa. Acham que é a extrema direita que está a colocar em perigo a Europa, quando o sistema que vocês tanto defendem é o grande causador do seu ressurgimento. Nem tão pouco conseguem observar que muitos dos que se revêm nela não o fazem por convicção ideológica, mas porque representa o único escape à DITADURA (leu bem!) do neoliberalismo globalista e de décadas atrás de décadas de um centralismo democrático obeso e corrupto até à medula.

  5. mariofig

    Até temos iluminados como o Rui A. que até acham que é a juventude europeia que anda a votar contra a Europa, quando na realidade todas as sondagens revelam ser na sua maioria os mais velhos. Estão tão desfasados do mundo que vos rodeia que, das duas uma, ou estão mesmo aos papéis com o que se anda a passar, ou então estão propositadamente a desviar as atenções…

    Enfim. Se é assim o “Desejo de Morte I”, valha-nos deus e esperemos que se fique só pelo II, porque até já começa a doer ver tanta ignorância. Ainda se espera este tipo de discurso dos políticos de sempre que olham sempre para o seu umbigo antes de falar. Agora, de uma opinião pública que se desejaria informada?… Epá, desgostem lá o que quiserem. Nisso, de total acordo. Mas ao menos olhem para dentro primeiro!

  6. Euro2cent

    > revelam ser na sua maioria os mais velhos

    Pois. Somos os que foram embarrilados com o canto das sereias, que mentiram, mentiram e tornaram a mentir …

    A malta nova ainda acredita nos publicitários. Mas pouco. Os donos andam a ficar nervosos, e quanto mais depressa renovarem o stock de gado, melhor.

  7. 😀 Caro mariofig, VExa é que não percebeu a ironia do post. Mas faz parte de uma série de 3 ou 4 que oportunamente aqui postarei. Depois dir-me-á qualquer coisa. Agradeço-lhe o cuidado no entanto e, no seu caso, aconselho vivamente prestar atenção ao Rui A.

  8. Lucklucky, há anos que leio os seus comentários com atenção, mas poupe-me, vá. Deixe lá isso para imberbes a cheirar a cueiros, você e eu já vivemos outro tempo. Abraço 🙂

  9. Já agora caro mariofig, a minha ignorância é perfeitamente assumida, descanse, não pretendo saber grande coisa, logo eu que que me vejo aflito para distinguir o fuschia do rosa-velho. De qualquer modo, a ignorância é atrevida e a mim, não me resta outro destino senão o atrevimento 😀 Cumprimentos cordiais

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s