O sucessor de Pinto da Costa

Já há mais de 10 anos que se discute quem será o sucessor de Pinto da Costa. É bastante provável, no entanto, que nos próximos cinco anos a discussão acabe por ser consequente, dada a idade de Pinto da Costa. Entre todos os nomes que vão sendo falados, parece-me que escapa um que está à frente de todos e deveria ser óbvio: Fernando Madureira. É impossível encontrar um candidato melhor à sucesão imediata de Pinto da Costa. O líder dos Super-Dragões conhece o clube melhor do que ninguém. Ao longo do tempo já provou o seu amor desinteressado pelo clube. Ele lidera, com sucesso, há largos anos, aquela que será a organização dentro do FCPorto mais difícil de gerir: os Super-Dragões. Apesar da sua posição, necessariamente dada a alguns exageros, é capaz de assumir posições sérias e diplomáticas, como se exige de um líder de um clube. Veja-se por exemplo a forma como calou a claque no minuto de silêncio a Eusébio ou a forma como coopera com elementos de outros clubes no apoio à selecção. Por outro lado, Fernando Madureira deverá ser hoje a personagem mais popular entre os adeptos do F.C.Porto, mesmo à frente de jogadores, treinadores, dirigentes e até, ironicamente, mais popular que o próprio Pinto da Costa. Finalmente, até na vertente académica, Fernando Madureira está bem preparado. Com um mestrado em Gestão Desportiva, e nota final de 17 valores, Fernando Madureira está melhor qualificado para ser presidente de um clube de futebol do que basicamente todos os presidentes de clubes de futebol no país.

Fernando Madureira tem todas as características necessárias de um bom presidente. Apenas por preconceito em relação às claques de futebol, e aos seus membros, pode Fernando Madureira ser excluido do topo da lista de candidatos à sucessão de Pinto da Costa.

Anúncios

15 thoughts on “O sucessor de Pinto da Costa

  1. Francisco

    Que palhacada de post. Legitimar um criminoso… Nunca pensei, pelo menos n’O Insurgente. Gente desta devia ser afastada do futebol, e nao legitimada. Ganhem vergonha, esta bandidagem devia era ir toda presa, sejam do Porto, Sporting ou Benfica.

  2. Acho que o Insurgente se devia limitar à análise política, económica e social.

    “Apenas por preconceito em relação às claques de futebol, e aos seus membros”.
    Preconceito? Em relação a um criminoso que inclusivamente já lançou um livro em que conta as façanhas da sua claque?

    Para citar algumas passagens:

    – “Tínhamos parado numa bomba de gasolina, no Alentejo…Quando olho para fora do autocarro, só vejo entrar carregados de caixas de gelados. Tinham dado a rapadela geral a uma barraca de gelados.”
    – “Aproveitámos e começamos a atacar. Eles contra-atacaram com tochas, acertando nos feirantes. Começou tudo a arder e nós todos á porrada, com as pessoas da feira a gritarem e a fugirem; de facto, não se via nada com o fumo. Foi uma tourada…até que chegou a polícia, que nos separou, isolando-nos com um cordão. Os tonos tinham fugido, mas, quando nos viram isolados, voltaram a juntar-se e armados em otários, preparando-se para nos atacar. nem pensámos duas vezes. Furámos o cordão da polícia e fomos para cima deles. A polícia só nos voltou a separar á bastonada, voltando-nos a isolar. (…) Nós não temos bilhetes. E se quer um conselho, da forma como isto está, acho melhor que nos ponha lá dentro, sem bilhetes…e conforme eles estão vão andar aqui, vão andar aqui o resto da tarde e durante o jogo, a fazer asneiras, de outra forma não vão ter sossego.”
    – “No caminho, o Borrego lançou um concurso que consistia em ver qual era a claque que mais roubava (…) Foi o caos em Andorra! Lojas e mais lojas cheias de máquinas de filmar, roupa, tabaco…Tudo à mão de semear. Ficámos em transe.”
    – ““Foi o caos! Entraram cem gajos pela área de serviço e roubaram tudo o que lhes apareceu à frente. Até que os guardas trancaram 16 (…) Foram todos absolvidos. Foi um final feliz.”
    – “Abri o cortinado das hospedeiras e vi o Alexio e o Caveira aos beijos e aos apalpanços (…) Os outros começaram a puxá-las, a dar-lhes surras no cu e a apalparem-nas… Depois, o co-piloto começou a falar comigo a explicar que tinham roubado a carteira ao comandante.”

  3. Gostava de ter tempo para verificar se estas virgens ofendidas são as mesmas que vêm para aqui dizer vivas ao Trump.

  4. O homem até é doutor e mestre em violência, coação, ameaças de morte, meninas do calor da noite e corrupção. E canta como ninguém o hino do fcp o ” slb filhos da minha mãe”. Está no clube certo. Só não sabe poesia como o mestre da flatulência, mas que tem grandes qualidades lá isso tem. Vai longe o sr. doutor.

  5. c3lia

    Quando li o post, penseu “que tonteria!”, mas depois de ler os comentários anteriores, começo a achar q ele ia ser um bom presidente. Quanto mais não fosse, ia incomodar imenso benfiquistas e sportinguistas alike, e não há nada que eu goste mais! 🙂

  6. Depois do Vale e Azevedo, o Gomes da Selva ou o Pneumático Vieira no Estado Lampiânico ou o Bruno do Carvalho, ex- Juve Leo, ou o outro que fazia concessões lucrativas de Paquetes-hotel que se quedaram praticamente vazios durante a Expo nos Tarecos, eu digo porque não?? Tem uma desvantagem – como é jovem nunca andou a sustentar a propria bazófia do maior ou “mais grande” em ordenha á Banca – se formos ver os buracos de alguns dos nossos “Flagships”, talvez se encontre por lá uma hipoteca ou um leasing automóvel….

  7. Luís

    Carlos: eu também quando falo de ballet só digo asneira. Deixe lá…. mas quando puder volte a falar de economia. .. aquela dos 17 valores é muito boa…. se fosse eu tinha-lhe dado 20 valores para ele não me riscar o carro…. eheheheh

  8. Eu tenho preconceitos contra as claques, todas as claques. São associações criminosas. Pura e simplesmente deviam ser proibidas, como se exige num estado de direito, e os seus chefes investigados e condenados se fosse caso disso. O postal é apenas imbecil, não merece mais nenhum comentário.

  9. Pelo menos devias de ter em consideração que as gentes do porto separam política do futebol, vê os exemplos da câmara do Porto e Rui Rio, por isso julgo que no FC Porto nunca um criminoso será presidente, já tú defendestes um criminoso enquanto foi presidente de um clube, não vendas licções, aprende com as gentes do Porto.

  10. Francisco

    Hoje um senhor chamado Bruno Mendes, destacado membro dos super dragoes e grande amigo do Dr Mestre Macaco Madureira, esta nas noticias pelas piores razoes. Onde e’ que ja tinha ouvido falar de Bruno Mendes e do Sr Dr Mestre Macaco?

    Noticia de 2010:

    O tribunal dos juízos criminais do Porto condenou hoje o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira (‘Macaco’) a uma pena suspensa de um ano de prisão por resistência e coacção a agentes da PSP.

    Os membros da claque portista, Hélder Mota e António Oliveira, foram condenados a penas também suspensas de um ano e seis meses de prisão e um ano e dois meses, respectivamente, por terem igualmente praticado o crime de resistência e coacção sobre funcionário em conjunto com Madureira.
    Ficou provado que estes três elementos, acompanhados de mais 20 indivíduos desconhecidos da claque do FC Porto, impediram a actuação de agentes policiais a 12 de Outubro de 2005 junto de dois elementos (também arguidos condenados neste processo) que se encontravam a proceder à venda ilícita de bilhetes.
    Nesse dia, pelas 15.10 e junto à porta 22 do estádio do Dragão, o arguido Adriano Silva estava a interpelar transeuntes a quem propunha a venha de bilhetes para o jogo FC Porto-Benfica do dia 16 de Outubro ao preço de 50 euros, sendo que os ingressos marcavam um custo de 20 euros.
    Adriano, que recebeu os bilhetes do também arguido Bruno Mendes, acabou por fazer essa proposta a agentes da PSP à paisana que logo se identificaram e o informaram que “tinha de ir à esquadra ” por “estar a vender bilhetes a preço de especulação”, refere a sentença hoje lida.
    Os agentes ainda “conseguiram colocar Adriano Silva na carrinha” mas é então que ‘Macaco’, Hélder e António se juntam no local, acompanhados de mais 20 elementos, “com o objectivo conjunto de soltar Adriano e impedir a actuação da PSP”.
    “Rodearam os agentes e a carrinha e, em estado de exaltação, deram murros e palmadas na carrinha a qual abanaram”, sustenta o veredicto.
    Com esta actuação “conseguiram que Adriano saísse da carrinha e, assim, não fosse levado à esquadra”.
    O tribunal deu, assim, como provado que os três elementos identificados agiram “com dolo intenso e directo” e “empregaram violência para impedir actuação dos agentes”.
    “No final dos acontecimentos, Fernando Madureira apaziguou os ânimos dos presentes, apelando à calma, o que contribuiu para a saída em segurança dos agentes”, razão pela qual viu a sua pena atenuada.
    Pelo crime de especulação na forma tentada, Adriano e Bruno foram, por seu turno, condenados a uma pena de multa de 140 dias à taxa de cinco euros (total de 700 euros), sendo que a acusação lhes imputava o mesmo crime mas na forma consumada.
    O advogado de Fernando Madureira mostrou-se surpreendido pela sentença afirmando que “não estava à espera de um desfecho destes”. “Há algumas incongruências entre o que foi dito em julgamento e o que foi dado como provado”, destacou o causídico sem querer avançar se irá ou não apresentar recurso da sentença.

    Caro Carlos, em relacao a’ sua credibilidade, acho que nao e’ preciso fazer mais comentarios.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s