O desgoverno

Portugal amarrotado, a cronica de Alberto Gonçalves no Observador.

(…)  Apenas na última semana, o dr. César dos Açores, que possui a inteligência de uma anémona e a subtileza de duas, confessou que se encontra a “reflectir” sobre a permanência do governador do Banco de Portugal. O “Público”, após alertar aflito para a “fuga” de capitais e de seguida lamentar os que aludem à “fuga” de capitais, aceitou nova missão: enlamear o pérfido juiz Carlos Alexandre, acusado de pedir 10 mil euros emprestados. Nas televisões, com destacado louvor para a TVI e a RTP, “analistas” esgadanham-se para apurar quem melhor aplaude os poderes vigentes. Nas rádios, ouvir os noticiários da Antena 1 e da TSF embaraçaria os conselheiros do almirante Thomaz. Nas “redes sociais”, os guardiões da moral perseguem blasfemos com afinco. E tudo, do atarantado dr. Núncio aos problemas na suinicultura e às derrotas do Tondela, serve de argumento para tentar enxotar Pedro Passos Coelho. Ao exigir, sem pingo de vergonha, a urgência de a “direita” se habituar a “novas regras”, o dr. Ferro não brinca.

De que regras se trata? Quando, há ano e meio, recebeu a humilhante derrota eleitoral com o belo sorriso que não voltou a perder, o plano do dr. Costa não se limitava à tomada de um mero cargo: o objectivo era o de capturar o país. Uma maioria, um governo e, hoje que se percebe o engodo chamado Sampaio da Nóvoa, um “presidente”. A que acresce a tal máquina de propaganda, capaz de transformar em rosas as misérias, as mentiras e a prepotência que a cada dia nos impõem. Apesar da divertida boçalidade dos protagonistas, convém não nos iludirmos: há aqui uma espécie de “projecto”, e um “projecto” onde a liberdade, seja ela qual for, é parte descartável. E indesejável.

Sei que arrisco a repetição, mas se a casa continua a arder é difícil sentarmo-nos na sala sem mencionar o incêndio: em Outubro de 2015, os portugueses caíram nas mãos de gente perigosa. A julgar pelas sondagens, e por defeito de visão ou de carácter, não consta que preferissem mãos diferentes. Por isso, e porque se gastou o nome para não se reconhecer a coisa, não vou ceder ao impulso dramático e dizer que chegámos ao – esperem um instante – fascismo. O caminho até lá, porém, é parecidíssimo com este.

Advertisements

5 thoughts on “O desgoverno

  1. A poderosa Comunicação Social manda mais que muitos primeiros-ministros por esse mundo fora.
    Os donos das empresas de comunicação social, sendo capitalistas de renome. dão ordens às suas redacções para defenderem editorialmente os valores e interesses dos comunistas e socialistas.
    Porque será? devem ser masoquistas!

  2. Manuel Assis Teixeira

    Muito bom! Grande Alberto Gonçalves! É totalmente verdade! Este assalto ao poder, este branqueamento por um lado, e panegirico da mais pequena boa notícia por outro fedem! Ver a TVI ofende. Quem viu outro dia a senil Constança e o sonso do José Alberto Carvalho a comentarem o caso offshores pôde perceber bem o estado da informação que nos dão! Ver o JAC a entrevistar o Núncio, muito histérico, muito afogado foi outro exemplo! Felizmente o Núncio pô-lo no lugar! Claro que a questão vai dar em nada, porque é nada, mas aí as Constança os Carvalhos os Davíd Diniz vao calar-se caladinhos e continuar outras cruzadas contra ” a direita”! Felizmente existe Alberto Goncalves que ridiculariza esta maltosa, estes aparatchiks sucio-bloquistas ridiculos e pretensiosos . Nós vamos ter que continuar a aguentar! O rei vai nu, mas querem-nos convencer que não!

  3. “há aqui uma espécie de “projecto”, e um “projecto” onde a liberdade, seja ela qual for, é parte descartável. E indesejável.”
    Reforço dizendo que o poder como um todo em Portugal(oligarcas ,politicos e jornalistas) odeia a liberdade dos seus cidadãos , e aproveita todas as oportunidades e todos os argumentos possiveis , desde terrorismo até á fuga e fraude fiscal , para limitar cada vez mais a liberdade da maioria dos portugueses.
    É evidente que o objectivo final é controlar o “rebanho” , apropriar-se das suas poupanças e dos seus ganhos , tudo em benefícios dos mesmos ,os oligarcas e os aparatchiks . Vejo como um grandíssimo avanço nesse sentido a medida que o governo socialista/comunista propos de proibição de qualquer pagamento cash acima de 3000€ e pagamentos de facturas superiores a 1000€.
    É o “triunfo dos porcos” a dar-se antes do colapso final.

  4. IMPOSSIVEL RESISTIR CALADO A TÃO ASQUEROSO ABANDALHAMENTO
    Costa faminto e companhia da mão armada.
    Diz o das emboscadas das encostas que o Carlos BDP é inamovível, mas a ele próprio António DDT que não lhe calharão nem ameaças.
    Uma vergonha, tanto Marcelo como Costa a menorizarem as competências e desempenhos de Teodora Cardoso e Carlos Costa, titulares de cargos independente de tutelas.
    Que estes mostrem a abismal diferença de caráter que os separa de andrajosos pedantes institucionalizados, e sacudam-lhe tal achincalhamento na praça publica para cima do vasto lombo já carregado de nódoas negras.
    Batam-lhe sem pestanejar com a porta nas trombas saindo pelo próprio pé mas ao pontapé.
    Anda a dupla que nos (des)governa e seus compadres promiscuos a alimentar atoardas abjetas com o mórbido proveito de ser nelas que alarvemente se alambazam.
    Só cá faltava o reflexo do César que bem espelha a pantomina que o sustenta.

  5. O caminho para o fascismo é parecido com este? Não, não é. É este.
    Está a haver um ataque simultâneo ao povo e às instituições que podem defender o povo e a democracia.
    Os idiotas que batem palmas pensam concerteza que vão receber um cartão para passar à frente nas filas de racionamento.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s