Uma lição para o PSD

ps-psdDificilmente o país poderia ter um governo mais à esquerda do que este. O governo é liderado pelo PS mais ideologicamente extremado de sempre. É um PS que se confunde com o BE de há 10 anos na retórica, e cujos deputados apoiam abertamente partidos de esquerda radical noutros países. Nunca o PS esteve tão à esquerda desde os tempos do PREC. A somar a isto, o PS apenas governa graças ao aval de dois partidos histórica e assumidamente de extrema esquerda: o Partido Comunista Português e o Bloco de Esquerda. Todos estes factores juntos, tornam este o governo ideologicamente mais à esquerda desde o 25 de Novembro.

Mas a realidade não se coaduna com ideologias. Assim, é este governo ideologicamente tão à esquerda, apoiado pelo PCP e BE, que não aumentou a função pública em 2017, manteve o congelamento de carreiras e continua a limitar o pagamento de horas extraordinárias. Fora um governo de direita a fazê-lo e haveria greves todos os dias. A certas alturas na nossa democracia, houve muito mais greves por muito menos do que isto.

Imaginemos um hipotético cenário em que PSD e CDS tinham tido maioria absoluta nas eleições de 2015 e eram hoje governo. Que diferenças relevantes se notariam? Vejamos:

– Não teriam sido feitas reversões nos transportes
– A deriva ideológica na educação não teria acontecido
– Não teria existido uma queda tão abrupta do investimento público de forma a devolver mais rapidamente os salários da Função Pública
– O Salário Mínimo talvez fosse 10-15 euros mais baixo
– A Caixa teria sido recapitalizada com capitais privados (muitas dúvidas aqui) e a resolução do BANIF talvez tivesse custado menos aos contribuintes

O leitor consegue pensar em mais alguma diferença de política relevante? Dificilmente. Mas convém não nos esquecermos de uma coisa: este governo não é mais à esquerda, não por falta de vontade, mas porque a realidade não o permite. E, para lá das palavras, é dentro dos limites da realidade que se pode fazer política.

Portanto, nós temos o governo mais à esquerda que a realidade permite e, mesmo assim, não se notam muitas diferenças em relação ao que teriam feito PSD e CDS. Isto é preocupante, tanto para os portugueses em geral como para o PSD em particular. Para os portugueses é preocupante porque se apercebem de que não existem grandes alternativas no espectro político. Não existe um projecto político alternativo que não esteja no mesmo cantinho da realidade em que os partidos portugueses se colocam. Mas isto é também uma enorme preocupação para o PSD. Os eleitores começam a aperceber-se que entre o PSD e uma alternativa apenas ligeiramente pior, mas que consegue paz social, talvez não valha a pena o esforço de votar no PSD. Entre a social-democracia do PS e a social-democracia do PSD, pelo menos a primeira garante alguma paz social. Aqueles que, dentro do PSD, querem encurtar ainda mais o espaço entre eles e o PS, talvez devessem pensar melhor. Se a realidade empurra PS-PCP-BE para o mesmo espaço do PSD, talvez seja altura de olhar para o meio da sala.

Anúncios

26 thoughts on “Uma lição para o PSD

  1. Bom tema. Infelizmente tenho dúvidas que o PSD vá aprender a lição, como aliás se tem visto pela oposição que tem surgido à actual direcção.

    A existência de dois partidos que ocupam em muitos casos a mesma área política justifica-se mais por questões de clubite e interesse partidário do que propriamente por grandes diferenças ideológicas. Esta clubite trava uma reorganização do sistema partidário que na minha opinião seria benéfica:
    juntar de vez os ofendidos senadores do PSD à ala mais centrista do PS; colocar quem gostaria de deixar os banqueiros alemães de “pernas a tremer” nos partidos de extrema esquerda de onde nunca deveriam ter saído; criar finalmente um partido que não tenha vergonha de se assumir de direita.

    Pena que a política tenha muito pouco de lógica e bom senso.

  2. Manuel Assis Teixeira

    Eu não estou exactamente de acordo. Apesar de ser votante do CDS e não do PSD gosto de Passos Coelho e acho que o Carlos Guimarães Pinto se esquece de um factor essencial . É que para além da governação stricto sensu onde diga-se há mais coisas que se fariam diferente o eleitorado do centro e da direita está farto deste teatro ,deste branqueamento ,deste completo embuste que é este governo e esta geringonça. Não aguenta ouvir o sonso e seráfico Costa e seus aparatchiks. Não aguenta ouvir os Louçãs e as Mortaguas com aqueles ares arrogantes e professorais. Não aguenta ouvir toda esta esquerdofilia caviar muito seguros de si! Não aguenta mesmo ouvir o Prof. Marcelo- até quando – a ” descrispar” e a defender a geringonça. E tudo isto faz ganhar eleições. Basta que o PSD e o CDS saibam fazer oposição e saibam demonstrar ao povo como o rei vai nu!

  3. Ana Catarina

    Essa paz social que refere é uma paz podre.
    Quando o tumor rebentar de vez o fedor é incomensuravelmente maior.
    Quanto ao resto estou de acordo

  4. JMS

    “Paz social”?

    Mas completamente podre. Desta não precisamos, obrigado, até porque ja começa a cheirar…

  5. André Miguel

    “Basta que o PSD e o CDS saibam fazer oposição e saibam demonstrar ao povo como o rei vai nu!”

    Como um povo ignorante e anestesiado como o nosso, a melhor oposição agora é estarem sossegadinhos e deixar arder em lume branco. Qualquer denuncia que PSD e CDS façam é visto pelo povo como botabaixismo, só aprendem quando virem a casa arder. E já faltou mais.

  6. MP

    Isto vai abaixo, e isso simples. Um governo que não faz reformas estruturais para mudar a composição do crescimento da nossa economia para crescer através das exportações e investimento e tendo um governo que mata qualquer tipo de iniciativa de investimento que possa haver neste País estamos condenados ao fracasso. O défice estrutural com o Passos piorou -0,5% em 2015(teve que dar umas flores eleitorais normal), com o Sr.Costa a melhoria foi nula, bruxelas berrou com o Passos e o Sr.Moscovici com o Bosta nem reclama, a Comissão está mais politicalizada do que nunca, ninguem quer barulho até ás eleições na Alemanha, até lá, o Sr.Draghi diminui as compras de divida os juros vão escalar para lá dos 5% e se acabar mesmo(a inflação parece ser consistente), vão parar aos 6% e se o Sr.Costa estiver a (des)Governar e ter o resgate… o Marcelo e o Costa vão levar um banho! Mas até o jornalismo em Portugal tipo Eduardo Ferreira do Sol e proxenetas Baldaias e Pântanos Galâmbas estiverem a encher a cabeça a este povo burrinho… resta saber se a maioria silenciosa dos 38,5% de 2015 se mantêm e se a base dos descontesntes com o próximo resgate aumente e leve a ex-coligação á vitória, Passos Coelho pode ter muitos defeitos, mas de dar o peito ás balas e de tentar reformar o País tem esse mérito!

  7. lucklucky

    Pelos comentários demonstra-se que não percebem nada.

    Qual a cultura que a Direita produz em Portugal? tirando blogs como o Insurgente e um ou outro artigo de jornal nada. Zero.

    Que cultura o PSD produz ou defende? Nada.

    Agora salto para o D.Sebastião de certa Direita Passo Coelho que não passa de mero gestor sem pensamento e com interesses como demonstrou em várias das suas decisões. Eh o herdeiro de Cavaco Silva II , calado , como não diz nada logo não tem presença cultural, não tem valor.
    E quando pensa em alguma coisa é preciso atirar uma moeda ao ar para saber se vem alguma asneira de esquerda ou não.

  8. lucklucky

    “mas de dar o peito ás balas e de tentar reformar o País tem esse mérito!”

    Foram reformas a perder de vista…

    -taxa sacos plástico
    -acabar com alguns feriados
    -taxa “da cópia privada” directamente para privados
    -privatizar a ANA mantendo o monopólio.

  9. MP

    LUCKLUCKY, conheces a palavra pragmatismo? Qual o lider em Portugal da direira á esquerda melhor para exercer as funções que Passos Coelho? Eu disse que ele era o algum:”D.Sebastião de certa Direita”? Afirmo o que disse, Passos Coelho tem muitos defeitos: não fez como deve ser a reforma do Estado(verdade que o tribunal dos xulos não ia deixar muito mais), teve os erros que mencionaste acima das taxinhas xuxa, mas continua a ser uma restia de esperança pela forma integra como comandou o País num dos momentos mais difceis de sempre em que muitos ratos fugiram! A direita liberal em Portugal não tem um carisma, é um dos problemas que temos que resolver, só que vai demorar tempo e a cabeça deste povinho está formatada por muitos anos de lixo de socialismo é preciso ter paciência e introduzir o conceito pouco a pouco, vejo já muitos jovens(14-18 anos) a perceberem o conceito de liberalismo e estão mais centrados á direita(especialmente no Norte), a Sociedade de Abril não presta e é burra(tou a ser o mais honesto que posso) e só aprende(e…e..) com bancarrotas! Enquanto não houver melhor(não vai haver…) Passos é o melhor para o País.. o resto são Anões!

  10. lucklucky

    O Tribunal iria impedir a ADSE a todos os Portugueses?
    O Tribunal iria impedir o cheque educação?
    O Tribunal iria impedir a privatização dos serviços por aeroportos para concorrerem?

    Passos não é melhor para o País é só menos mal por uma curta distancia, com a ressalva que menos mal faz durar mais o mal.

    A questão é cultural. Passos só quer gerir o país deixando-o nas mãos da esquerda. Por isso está calado. Não tem nada a dizer, pois não é diferente.

  11. lucklucky

    A lição(1) para o PSD é que este teve durante 40 anos o PS a servir de bloqueio a Extrema Esquerda , logo o PSD nunca precisou de ter ideologia.
    Por exemplo geriu durante décadas o Ministério da Educação sem fazer coisa alguma.

    Essa barreira que o PS fazia acabou.

    O mais provável é o PSD se tornar num partido de Esquerda e Extrema Esquerda.
    O voto, abstenção para o ditador Fidel Castro, o voto contra Trump já demonstram parcialmente isso.

  12. mariofig

    Eu consigo entender as criticas de Lucky. Nisto estamos perfeitamente de acordo. A solução para a direita em Portugal não passa por um maior liberalismo da social democracia, tal como representado por Passos Coelho. Passa, isso sim, pela negação da social democracia, que não é mais do que simplesmente uma outra forma de socialismo.

    E isso significa que não é preciso uma reforma dentro do PSD ou do CDS. Não interessa a nenhum liberal de direita estar amarrado a princípios social-democratas. Em vez disso, aqueles de nós que defendem uma direita liberal sabem bem que o que é necessário é a criação de um novo partido à direita com ideologia própria e de uma vez por todas liberto da pesada e pobre herança ideológica do 25 de Abril.

    Uma voz forte, bem articulada, com presença e carismática, que não tenha medo de questionar o 25 de Abril, não pela conquista da liberdade que ninguém pode ou deve negar, mas pela horrível herança política que despoletou, é o que nos está a faltar. Talvez nas gerações mais jovens desponte. Nos filhos dos nossos filhos. Porque esses serão a 3ª geração após o 25 de Abril e já estarão melhor preparados para questionar essa vitória pirríca e conseguir o apoio popular. Ou seja, o que é preciso para uma grande e forte direita em Portugal, francamente, é que a minha geração e a dos meus filhos deixe de importar.

  13. lucklucky

    O Ricardo Arroja acabou de colocar um post que mostra o que o PSD+CDS( o autodenominado partido dos contribuintes nos dias em que o vento está de feição) tem feito aos Portugueses.

    O que é que o Passos fez?

  14. André Miguel

    Lucky e Mariofog,

    Vocês percebem que com esta CRP é impossível liberalizar seja o que for, certo?

    Percebem que o Constitucional não saiu de cima do anterior governo, certo?

    Constatam que esse mesmo constitucional fica caladinho quando governa o PS, certo?

    Lembram-se de quais os governos que mais aumentaram o funcionalismo público, aumentando assim a dependência do Estado, certo?

    Viram a berraria dos sindicatos e da imprensa sempre que governa o PSD, certo?

    Viram que as 3 bancarrotas foram TODAS resolvidas pelo PSD, certo?

    Nota-se claramente um afastamento, em direcção aos extremos, do PS e PSD, só não vê quem não quer. Até a imprensa já usa a expressão “direita radical”!

    Então que diabo é que vocês não entendem??????? É preciso um desenho????

    Entre as opções à escolha, parece-me clara qual é a óbvia!

    Eu também preferia partir para a desobediência civil, queimar as lojas maçónicas, as repartições de finanças e as sedes dos partidos, mas como sou um reaccionário da velha guarda limitei-me a emigrar.

  15. mariofig

    Eu emigrei também André. Estamos no mesmo barco. Mas as criticas têm de ser feitas a quem de direito. E não pense que tudo se resume a um simples “mas eles não podem fazer nada”, ou pior, “mas os outros fazem pior”. É mais do que isso. Como comprova a oposição a Passos, o PSD é ideologicamente um partido à esquerda. Se Passos realmente representa um certo liberalismo mais saudável dentro do PSD que não deixo de reconhecer, também não tenho dúvidas que se encontra muito aquém do tipo de solução política que desejo para Portugal.

    Não sei que tipo de ideologia o André defende. Mas certamente não é a de uma direita liberal. Não sei porque acha que me deve fazer um desenho. Vivi os últimos 53 anos de governação em Portugal e observei os dois partidos no poder. Eu fico com os seus desenhos e em troca dou-lhe os meus óculos.

  16. André Miguel

    “Não sei que tipo de ideologia o André defende. Mas certamente não é a de uma direita liberal.”

    Não sabe porque não pensa, basta ler os meus comentários. Dou uma ajuda:
    Sou Católico, liberal incondicional e um malvado porco capitalista.

    E continua a precisar de desenhos. Todo o mundo evolui (ou devia), mas acredita que o PSD ou o CDS não precisam… LOL

    E depois ainda diz que para a direita se afirmar em Portugal a sua geração e dos seus filhos deixe de importar… Ora à sua geração podemos agradecer as 3 bancarrotas e provavelmente a 4ª. E a dos seus filhos (da qual provavelmente faço parte) há muito que deixámos de importar, emigrámos e deixamos de presente uma bela batata quente, quando a bomba demográfica rebentar: desenmerdem-se.

  17. Aladdin Sane

    Há um ano deixei de usar o Failbook, então perdi-lhes o rasto: que é feito do “Partido Liberalista Português”, o tal que se fez anunciar no Facebook e aqui mesmo, com o belo do manifesto?

    Era “tudo muito bonito”, até terem dito que se comprometiam a nunca fazer parte de uma governação.

    Ainda estão aí? Têm vergonha de se apresentarem? De terem resultados insignificantes em eleições? Vai ficar-lhes mal no CV? Outros partidos também começaram assim (ex: os que formaram o BE). Podia aprender-se com eles (apenas nisso, mas ainda assim…).

    O que é isso de “esperarem que a nova geração…”?

    Tal como o André e o Mário, também emigrei. “Mais vale tarde que nunca”. Não me interpretem mal: adoro o meu país, mas custa-me ver aquilo em que se tornou.

  18. lucklucky

    “Vocês percebem que com esta CRP é impossível liberalizar seja o que for, certo?”

    Se fosse verdade então a Direita tem de dizer isso com todas as letras e sempre e em qualquer altura, demonstrar que a Democracia em Portugal está Amordaçada. Ter jornais, ter TVs , cartazes que o demonstrem. Mas não é.

    É impossível cheque educação? é impossível ADSE para todos?
    É impossível as receitas do Estado devidas ao território serem para as pessoas?
    É só usar a imaginação. Mas a direita não pensa.
    Não pensa porque não tem cultura.
    Quais foram as comissões, fundações etc etc fechadas pelo PSD…?

    “Entre as opções à escolha, parece-me clara qual é a óbvia!”

    Se a sua opção é emigrar qual as razão pelas suas dores pelo PSD? um Partido que sempre que esteve no Governo aumentou Impostos, está muito confortável com 23% de IVA – começou nos 15% – e IRS record.

    Viu alguém do PSD a defender a mudança do paradigma em Portugal?

    Dá ideia que a maioria de vocês só quer pertencer a um clube. Ter uma camisola.

    Pelo andar ainda vos vou ver a defender o Passos nº3 qualquer que ele seja numa altura em que o IVA for 25% o IRS ter subido mais umas décimas, o IMI ter subido exponencialmente, pesadas taxas sobre o turismo mais o fascismo das quotas sexuais ou outras for defendido pelo PSD.

    Mas vão continuar a dizer-se de Direita mesmo que defendam as políticas Socialistas e no extremo Marxistas do PSD.

    Hoje o PSD e CDS também acham que a imigração ilegal é coisa boa.
    E já manifestam apoio ou neutralidade ao Fidel Castro…

    VPV tem um retrato curto mas correcto da Direita hoje http://observador.pt/opiniao/a-direita/

  19. André Miguel

    “Se a sua opção é emigrar qual as razão pelas suas dores pelo PSD?”

    Exactamente as mesmas que as suas, que é não puxar pela cabeça e ter vontade para ser liberal onde há espaço para isso.
    Mas a César o que é de César e os méritos, muito ou poucos, devem-lhe ser reconhecidos, assim como os erros e asneiras (que não me cansei de comentar neste mesmo local acerca do anterior governo: copia privada, taxa dos sacos, manutenção de subsídios a fundações, taxa das grandes superfícies, etc, etc, etc).

  20. lucklucky

    Aí é que está a diferença, para mim deixar as coisas como estão é um erro monumental e as asneiras que você lhes chama que que eu penso que é uma demonstração da cultura da pessoa e do partido reforçam esse erro. Aquilo que Passos e o PSD não querem mudar é muito pior que os Impostos que aumentaram e pior os novos que criaram.

  21. André Miguel

    “Mas vão continuar a dizer-se de Direita mesmo que defendam as políticas Socialistas e no extremo Marxistas do PSD.”

    Totalmente de acordo.
    Como diria Mises: “you’re all a bunch of socialists!”

  22. Pingback: Social-democracia nunca! - Instituto Ludwig von Mises Portugal

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s