Donald Trump e “A Era da Desmiogarquia”

 

Um texto meu no site britânico CapX:

“Sullivan’s words might sound overly-dramatic, but there’s some validity to them. Not in the sense that America’s first orange president will become a true tyrant, but that his election does say something about the predicament of the American Republic. It is a symptom of the American democracy’s degeneration into a desmiogarchy – the government of the shackled, of those in bounds.

This degeneration has been a feature of European politics for several years now. All over the continent (Austria, Poland, Sweden, Denmark, Portugal), an increasing number of voters have transferred their support from mainstream, “centrist” parties to extremist, populist ones, or have elected not to participate in the democratic process at all. The pattern will likely be repeated in future elections in the continent, whether in Germany, Italy or most particularly in France.

At the root of this “desmiogarchization” of European democracies lies the exponential growth of the state. Since the turn of the century, across the continent, public spending has soared as a share of national income – from 51.6 per cent in 2000 to 55.9 per cent in 2012 in France; from 45.9 per cent to 49 per cent in Italy; from 41.6 per cent to 46.9 per cent in Portugal.

(…)in the end, these welfare states created a series of problems that seem difficult to overcome. They’re ineffective: they respond not to the needs of those who use them, but to the bureaucratic goals of political decision-makers. They’re unsustainable: there is an ever smaller number of workers paying for an ever-growing number of beneficiaries. And they’re unfair: because they try to provide for those who need it and those who don’t, they end up giving too much to those who don’t need it and not enough to those who do.

On the one hand, the inefficiency of these services feeds the electorate’s high – and growing – level of dissatisfaction with governments and politicians. On the other, European electorates seem pretty reluctant to give their support to any reform that might mean they would have to give up some of the things they take for granted.

The combination is lethal: most voters make their electoral choices on the basis of who they believe will be capable of keeping things as they are, but at the same time, those voters who want to keep the statist status quo intact grow unhappy with the practical results of that same statism. So voters blame the traditional governing parties for not being able to give them the statism of plenty they long for.”

O resto pode ser lido aqui.

Anúncios

13 thoughts on “Donald Trump e “A Era da Desmiogarquia”

  1. Nuno

    O problema é que, para meter esses gatos todos no mesmo saco, só mesmo recorrendo àquela definição moderna de populista: tipo de que não gosto, popular junto das massas, que só podem ser estúpidas se toleram o gajo. Basta dividir o mundo em “gosto”/”não gosto” e está feito.

    Com que plataforma é que o Obama foi eleito? Quais os resultados económicos? O Trump é populista, o Obama é o quê?

  2. lucklucky

    Se o autor pensasse um pouco poderia começar por fazer uma lista em como os politicos “mainstream” e “centristas” defendem inúmeras políticas extremistas.

    Desde de dívida record, imigração record, ataques à liberdade. Quando alguém protesta contra a imigração ilegal está a ser um conservador moderado, a defender a lei contras os radicais e extremistas Obamas, Clintons, Bush, Merkels & Co.
    Mas aqui já não temos as choraminguices do Bruno Alves contra o extremismo.

    “It happened because you banned super-size sodas. And smoking in parks. And offensive ideas on campus. Because you branded people who oppose gay marriage ‘homophobic’, and people unsure about immigration ‘racist’.

    Because you treated owning a gun and never having eaten quinoa as signifiers of fascism. Because you thought correcting people’s attitudes was more important than finding them jobs. Because you turned ‘white man’ from a description into an insult. Because you used slurs like ‘denier’ and ‘dangerous’ against anyone who doesn’t share your eco-pieties.

    Because you treated dissent as hate speech and criticism of Obama as extremism. Because you talked more about gender-neutral toilets than about home repossessions. Because you beatified Caitlyn Jenner. Because you policed people’s language, rubbished their parenting skills, took the piss out of their beliefs.

    Because you cried when someone mocked the Koran but laughed when they mocked the Bible. Because you said criticising Islam is Islamophobia. Because you kept telling people, ‘You can’t think that, you can’t say that, you can’t do that.’

    Because you turned politics from something done by and for people to something done to them, for their own good. Because you treated people like trash. And people don’t like being treated like trash. Trump happened because of you.”

    http://blogs.spectator.co.uk/2017/01/trump-how-did-this-happen/

  3. Essa citação do Brandan O’Neill (uma espécie de liberal a fingir que é trotskista, ou trotskista a fingir que é liberal, acho que não se percebe muito bem) é o género de coisa que, bastando alterar as pessoas referidas, seria chamado de “politicamente correto” (“disseram coisas que ofenderam os sentimentos das pessoas e as fizeram sentir-se excluidas” – 90% do texto é isso; tirando as super-sodas e o fumar, ele praticamente não critica decisões politicas concretas, mas sim um “dizem isto, chamam aquilo…”; quase que parece um argumento a favor de safe spaces numa universidade)

  4. Lá está o Bruno Alves outra vez… só sabe escrever sobre o Trump, so tweeta sobre o Trump, só retweeta sobre o Trump.. e ainda não conseguiu arranjar namorada…

  5. lucklucky

    E o Miguel Madeira a fazer-se desentendido como se atrás da opinião de alguém de Esquerda não viesse sempre uma nova lei, uma nova perseguição.
    Que tal talvez olhar por exemplo para Title X, a perseguição a pais que deixaram crianças ir da escola para casa sozinhas, ataques terroristas Islamicos transformados em workplaces incidents para não entrarem nas estatísticas, o realizador de um vídeo anti-Islâmico colocado na cadeia, vários “cientistas” a quererem os “deniers” colocados atrás das grades e punidos pelas suas opiniões.

  6. “Que tal talvez olhar por exemplo para Title X”

    O que é o Title X (fiz uma busca no Google, mas não sei se cheguei a perceber o que era)?

    “a perseguição a pais que deixaram crianças ir da escola para casa sozinhas”

    Isso terá a ver com Esquerda vs. Direita?

    Quando no Senado foi proposto (é verdade, por um senador de direita) uma regra garantido que a legislação federal sobre educação não poderia ser usada para proibir os pais de autorizarem os filhos a ir para a escola sozinhos, foi aprovada por por unanimidade (tanto por Republicanos por Democratas)

    https://www.congress.gov/amendment/114th-congress/senate-amendment/2234/actions

    E indo aqui, a uma sondagem, não sobre ir à escola, mas sobre estar num parque sem supervisão (o que penso medir mais ou menos o mesmo mindset), a opinião de Democratas e Republicanos parece praticamente idêntica (aos 6 e 9 anos, os Republicanos são ligeiramente mais permissivos que os Democratas, mas por coisas de 3 pontos percentuais; aos 12 anos a situação inverte-se e os Republicanos são os maiores defensores – por uma margem de 10 pontos – de ser obrigatório estarerem supervisionados

    http://reason.com/assets/db/14079740144268.xlsx

    [Ir às linhas 352 a 372]

    Suponho que, mais que uma questão esquerda vs. direita, é uma questão em que de um lado está a direita “os pais têm o direito de escolher como educar os filhos” e a esquerda “os pais devem incentivr o livre desenvolvimento da personalidade das crianças”, e do outro a esquerda “as crianças são frágeis” e a direita “é só bandidos e tarados lá fora”

    “ataques terroristas Islamics transformados em workplaces incidents para não entrarem nas estatísticas”

    O que é que isso – por mais reprovável que seja – tem a ver com novas leis e perseguições?

    [os pontos a que eu não respondo é porque admito que aí o efetivamente o ponto é pertinente]

  7. lucklucky

    Desculpa erro meu , Title IX.

    http://www.nationalreview.com/article/419344/title-ix-all-purpose-leftist-excuse-david-french

    O caso da RollingStone e o comportamento da Universidade, Duke Lacrosse, há inumeros casos de usurpação da justiça pelas universidades.

    “O que é que isso – por mais reprovável que seja – tem a ver com novas leis e perseguições?”

    Tem que ver com a manipulação da lei.

    “Isso terá a ver com Esquerda vs. Direita? ”
    Tem que ver com o Poder do Estado e o poder dos Pais.
    Como as esquerda é que domina o poder social do estado é Direita que lhe mais resiste.
    Ref à sondagem: Eu até posso ser muito cuidadoso com filhos meus mas não quer dizer que deva existir uma lei para obrigar todos os pais a serem-no como eu.

    A questão é sempre: existe um ataque e a Esquerda vai querer uma lei para impor a sua vontade. Como vontade única da comunidade.
    Como eu já tinha escrito há um tempo cada vez mais as eleições não podem ser perdidas pela direita sobre pena de ser atacada em todo o lado.
    Agora veremos se a Direita consegue fazer o mesmo à Esquerda..

    http://www.usatoday.com/story/opinion/2017/01/23/trump-election-womens-march-protest-riots-inauguration-reynolds-column/96923492/

    “Interessante – o próprio autor parece realmente achar que o campo trumpista tem uma espécie de “politicamente correto” de sinal contrário:”

    A partir do momento em que o campo de batalha começa na linguagem a resposta ao newspeak é feita na linguagem também.
    Que não haja ilusões quem quer impor o controlo da linguagem aos outros terá dos outros a mesma atenção à linguagem.

  8. “Tem que ver com o Poder do Estado e o poder dos Pais.”

    Tem a ver com muito mais coisas além dessas – há para aqui uns 5 niveis de decisão (sobretudo nos EUA, as coisas são muitas vezes mais complexas do que simplesmente estado vs. setor privado) distintos, possibilitando várias combinações e alianças

    – autonomia das crianças
    – direitos dos pais
    – autoridade dos governos locais
    – autoridade dos governos estaduais
    – autoridade do governo federal

    Neste caso, tanto defensores dos direitos dos pais (uma posição mais de direita) como defensores da autonomia das crianças (um posição comum numa certa esquerda) serão provavelmente contra as perseguições a pais que deixam os filhos ir sozinhos para a escola (tal como tanto os fundamentalistas cristãos como o que sobrou dos hippies são a favor do homeschooling).

    Mas agora um hipotético – quando foi aprovada a tal emenda no senado (proposta pelo Republicano Mike Lee) houve muitos comentários em blogs dizendo “Isso não resolve nada – todos processos foram feitos pelos governos locais, não pelo governo federal”; imagine-se agora que alguém apresentava uma proposta no sentido de garantir mesmo o direito dos pais deixarem os filhos irem sozinhos para a escola (provavelmente redigida em termos “apenas escolas que respeitem o direito das famílias deixarem os seus filhos irem sozinhos para a escola serão elegíveis para financiamentos federais ao abrigo do artº….”); aí aposto que muitos conservadores seriam contra, em nome da autoridade dos estados.

    “Como as esquerda é que domina o poder social do estado é Direita que lhe mais resiste.”

    No caso dos EUA, agora que os Republicanos estão de novo no poder (e um Republicano muito menos small-government do que o “fusionismo” tradicional) imagino que isso em breve mude (e daqui a uns tempos – como no mandato de GWB – teremos de novo autores do Cato Institute a quererem juntar “libertarians” e “liberals”, e à primeira intervenção militar o Lew Rockweell perca o entusiasmo pelo Trump e volte a falar no “red state fascism”…)

    “Ref à sondagem: Eu até posso ser muito cuidadoso com filhos meus mas não quer dizer que deva existir uma lei para obrigar todos os pais a serem-no como eu.”

    Imagino que o lucklucky não tenha ido mesmo ver a sondagem…

    As perguntas eram

    “In your opinion, should parents be allowed to let their [6 year old children] play at public parks unsupervised? Or should the law require they be supervised at public parks?” (igual para “9 years old children” e “12 years old children”)

  9. lucklucky

    “…aí aposto que muitos conservadores seriam contra, em nome da autoridade dos estados….”

    E? isso é uma razão diferente. Eu também posso não gostar nada do Manifesto Comunista mas não o quero proibido.

    O que é diferente é que a Esquerda mudou, e a Esquerda anarco-libertária é muito reduzida hoje.
    Aliás a pergunta que fica é se alguma vez foi ou se essa cultura era apenas para destruir a estrutura social que existia.

    “Imagino que o lucklucky não tenha ido mesmo ver a sondagem…”

    Sim é verdade. Obrigado pela correcção.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s