‘Cause Christmas ain’t the time for breaking each other’s hearts

Confesso que a história de Cristo me fascina, quer se creia que Deus existe quer não, a ideia de Cristo é uma ideia de redenção que não me deixa indiferente e não creio que possa deixar indiferente seja quem for que reflicta sobre ela.
Não sei se o homem cá andou para nos salvar ou não, não sei se não passou de uma fraude, mas sei duas ou três coisas. Sei que é com Cristo que a espécie se liberta do jugo dos deuses, sei que é com ele que se cria esse extraordinário conceito do livre arbítrio, sei que é com ele que pela primeira vez os homens se tornam iguais, sei que é na ideia de Cristo que pela primeira vez os homens se libertam de um destino pré determinado. E sei também que é com Cristo que todas as portas se abrem a todos, ricos, pobres, criminosos, santos, mulheres, homens, prostitutas e beatas. E isto é uma coisa extraordinária de cuja importância raramente nos apercebemos se é que alguma vez nos ocorre.
Não meus caros, o Natal, em que bem ou mal se celebra o nascimento deste personagem extraordinário, não é uma época de hipocrisia, pelo contrário, é um dia em que quase todos estamos predispostos à bondade, à celebração dos nossos e à presença do outro. Um dia em que ateus, crentes e agnósticos (excepção feita a tolos) nos abrimos aos outros. E nem que seja só isso, nem que seja só um dia em 365, é bom. Não apaga todas as cagadas que fazemos nos outros 364 dias, mas redime-nos. E tudo por causa de um gajo que viveu há 2 mil anos e nunca viajou mais de 100km. Não sei vocês, mas gosto da ideia e conforta-me. Um Feliz Natal para vocês todos, os que me gramam e os que não me gramam também, bem hajam.

Advertisements

9 thoughts on “‘Cause Christmas ain’t the time for breaking each other’s hearts

  1. Muito bem. Cristo defendeu a liberdade das pessoas , a liberdade de escolha entre o “bem” e o “mal” , a responsabilidade por essas escolhas e respectivas consequências , a emancipação do ” Homem” , a tolerância perante os outros , a ajuda voluntária aos outros .
    Cristo, Cristianismo , revela um respeito muito grande pelo individuo , emergindo como uma proposta libertadora e emancipadora da humanidade, ao contrario de outras religiões onde incluo o socialismo e comunismo (e outra mais óbvia ainda : islamismo) que oprimem as pessoas , fazem escolhas por elas , infantilizam-nas com doses maciças de propaganda e repressão física e psicológica
    Não sou Cristão praticante mas sou fã da sua base filosófica e reconheço os elevados princípios subjacentes , ao contrario dos inferiores e rastejantes princípios marxistas ou outros cuja finalidade é a opressão e controlo de todos os outros. .

  2. Guna, o Sr. deve saber que a escravidão e outras barbaridades são um problema dos homens e não de Cristo. Agora a abolição da escravatura c/ certeza tem tudo a ver com Cristo.
    Releia o post do Helder e o comentário do Castanheira.

  3. Não caro JR, a abolição da escravatura tem tudo a ver com os que lutaram por ela, atribuir isso ao JC está a mijar em todos que se sacrificaram por isso.

  4. retirando a maneira petulante, grosseira e mal educada como se refere a Jeus Cristo o texto até tem ideias que se aproveitam ainda para mais escritas por um mal educado ateu

  5. Foi Deus quem criou a individualidade, Jesus espalhou a irmandade. É assim que a sociedade funciona bem, como indivíduos que se preocupam com o próximo. O socialismo não funciona pois foi pensado pelo homem comum e baseia-se na inveja do próximo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s