O extremismo que nos deveria preocupar

O conselho de Estado francês decidiu proibir a emissão deste vídeo sobre crianças com síndrome de Down na televisão francesa. O motivo? Poderia importunar mulheres que optaram por abortar embriões com esse problema.

Nesta busca incessante por extremismo nos outros, talvez devessemos parar de vez em quando e olhar para dentro. Um em cada sete embriões humanos são abortados em Portugal. Um embrião humano com menos de 10 semanas tem hoje menos direitos de acordo com a lei do que um peixe de aquário. Só em Portugal foram abortadas 15 mil vidas humanas com o patrocínio estatal no ano passado.

Anúncios

17 thoughts on “O extremismo que nos deveria preocupar

  1. Pois- mas o politicamente correcto vive destes paradoxos.

    Ao mesmo tempo que proibem o filme por poder impressionar, também vendem a ideia que agora não há diferença entre nada e apenas “pessoas especiais”.

    Há-de ser por isso que a Santa Casa anda a dar formação a uma rapariga com síndrome de cromossoma 15 para cuidar de velhos acamados em acompanhamento de ida a casa.

    É fazer dos velhos menos que gado e usarem a desgraçada para uma palhaçada hipócrita pois ele deita os bofes pela boca para poder andar e fora isso nem um alguidar é capaz de encher com água.

  2. O acompanhamento domiciliário é trabalho duro, com cerca de 10 casas por dia a que têm de ir e implica transferências para cadeira de rodas; sofá, cama e lidar com pessoas doentes e com alzheimer.

    Alguma besta quadrada de esquerda que tem poder e está lá dentro conseguiu impingir esta deficiente para fazer o impossível- com contrato e férias pagas e ordenado de 700 euros mensais.

    Estas coisas têm de ser travadas e denunciadas porque depois as chefias mais abaixo têm medo e tudo come do mesmo- com tutela estatal.

  3. “Há-de ser por isso que a Santa Casa anda a dar formação a uma rapariga com síndrome de cromossoma 15 para cuidar de velhos acamados em acompanhamento de ida a casa.”

    O politicamente correcto entende (porque ele é que sabe melhor que ninguém) que para cuidar de velhos, essa rapariga deficiente serve. Mas se fosse para tratar de animais, já não era apta.

    FDGP!

  4. Se lhe pusessem animais na mão tínhamos revolta do PAN e chamavam assassinos.

    A questão é que até esta hipocrisia é uma crueldade para a própria deficiente.

    Ela pesa toneladas e nem consegue andar na rua. É preciso subirem, muitas vezes, 4º e 5os andares sem elevador.
    E ela pura e simplesmente não faz rigorosamente nada. Anda a estorvar o trabalho das que andam com ela e enquanto elas fazem, ela gasta o tempo todo a tentar enfiar as luvas de borracha.

    Agora digam-me: isto deve ou não deve ser chapado na cara do Santana Lopes?

  5. E o trabalho implica darem-lhe chaves de casa de todas essas pessoas.

    Ela é retardada. Deixar-se um velho acamado nas mãos de uma retardada é um autêntico perigo.

    Dantes era preciso fazer-se testes e ter o atestado de robustez física e mental para qualquer trabalho tutelado pelo Estado.

    Agora temos a ASAE a inventar imbecilidades para que toda a gente não corra o menor perigo de nada e, ao mesmo tempo, temas estas imbecis sem senso comum a conseguirem impor os esquentamentos mentais de que sofrem

    Eu gramava conhecer a monga que impôs esta rapariga ás responsáveis do centro que é obrigado a acatar e a dispensar pessoal para fingirem todos que estão a dar formação a síndrome de cromossoma 15 para ficar com emprego inviável.

  6. Quanto a este caso, é absolutamente impressionante como o Estado francês já consegue colocar a defesa da morte acima da defesa da vida.

    A última vez que li algo execrável a dizer o mesmo foi no Destreza das Dúvidas, onde aquela ateia cientóina texana defendia que aquela criança que nasceu da mãe que estava em coma, não devia ter nascido e devia ter sido morta, porque assim ainda corre o risco de poder vir a ter traumas psicológicos.

    O jacobinismo é o responsável por isto e a terra mãe dele é tricolor.

  7. Zazie,
    São as quotas para Portadores de Deficiência que o Estado define.
    Veja aqui o que retirei de um anúncio de emprego público ao acaso:

    Requisitos de admissão: Os previstos no artigo 17.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (LTFP), anexo da Lei n.º 35/2014, de 20 de junho:
    a) Nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, Convenção internacional ou lei especial;
    b) 18 anos de idade completos;
    c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;
    d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
    e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.

    “No caso de candidatos com deficiência, devem declarar no requerimento de admissão, sob compromisso de honra, o respetivo grau de incapacidade e tipo de deficiência, e anexar fotocópia de atestado médico de incapacidade, passado pela Administração Regional de Saúde, para os candidatos portadores de deficiência igual ou superior a 60%.”

    Aos candidatos com deficiência é-lhes garantido o direito estipulado no artigo 3.º do Decreto-Lei n.º 29/2001, de 3 de fevereiro, conforme o número de postos de trabalho a preencher nos diferentes concursos.

    Eu até acho bem que os deficientes sejam inseridos no mercado de trabalho mas em funções que sejam compatíveis com a sua capacidade física e mental, o que não é claramente o caso que relata.
    Conheci um sujeito cego que estava no atendimento telefónico.

    Há a rapariga deficiente que não tem culpa de ter nascido assim. E há a “deficiente” que a pôs nesse trabalho e que é uma completa anormal e estúpida porque quer.

  8. “defendia que aquela criança que nasceu da mãe que estava em coma, não devia ter nascido e devia ter sido morta, porque assim ainda corre o risco de poder vir a ter traumas psicológicos.”

    Mas uma criança ser educada por 2 gays ou por 2 lésbicas ou ter um espermatozóide como pai ou uma mãe barriga de aluguer, está-se bem!

    FDGP de hipócritas!

  9. Se quer saber ela escreveu coisas ainda piores e o LA-C também.

    Diziam que a mãe estava morta (chamam estar morto a estar em coma) e que até nem se sabia se não preferia abortar.
    Pelo que a criança não devia ter nascido e o pai nem mandava nada, uma vez que a mãe estava morta e devia ter-se constituído uma equipa médica para decidir cientificamente da sorte da criança.

    Para eles a sorte era terem-na morto.

  10. Pois deve ser isso mas isso das quotas de inclusão não obrigam a que a metam a fazer algo que não pode nem consegue e, muito menos, entregarem os velhos de quem usam as reformas e cuidam, para fazerem de cobaias nesta palhaçada das quotas.

    Eu mandei um mail e disse-as todas. Porque, se queriam admitir a rapariga podiam colocá-la numa série de serviços que também têm e que aí, sim, ela poderia ter lugar.
    Como tratar de roupas, ou limpezas ou ajudar na copa nos lares que eles têm.

    Agora o que é de loucos e porem uma pessoa que mal se consegue mecher e andar (porque pesa toneladas) a andar o dia todo de casa em casa e rua em rua, a subir escadas e depois a ficar a olhar porque o resto é trabalho para o qual está naturalmente impedida.

    Eu acho muito bem que dêm lugar a estas pessoas- mas nunca hipocritamente achando que os velhos é que são o mais indicado para apnharem com elas, precisamente porque estão absolutamente indefesos e nem bufam.

    São menos que gado- como lhes disse por escrito.

    E vou dizer mais e tem de ser ao Provedor porque o Santana Lopes tem de saber o que estas pascácias andam a fazer.

  11. Atendimento telefónico esta não consegue. V. nem imagina o grau de deficiência porque nada tem a ver com a síndrome de down

    É cromossoma 15 e isso é muito mais raro e bem pior.

  12. “E vou dizer mais e tem de ser ao Provedor porque o Santana Lopes tem de saber o que estas pascácias andam a fazer.”

    É assim mesmo. Faça queixa e mande cartas para todo o lado porque assim é que esta gentinha começa a aprender a pensar 2 vezes antes de começarem a fazer m****!
    Eu agora também não perdoo nada: até da trampa dos horários dos autocarros que não são cumpridos à porcaria que vejo na RTP me queixo.
    Devem pensar que para quem é, “palha” basta, mas comigo não.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s