Cheios de gente que desistiu

E se os desiludidos destes novos tempos, em vez de álcool afogarem as mágoas com abacates? O meu artigo no ‘i’.

Cheios de gente que desistiu

If you are under 40 and starting to read this, I politely suggest that you turn the page.” Foi assim que o colunista australiano Bernard Salt iniciou o seu artigo no “Australian”, em Outubro. Nascido em 1956, Salt escreveu sobre os cafés hipster difíceis de frequentar por quem esteja na meia-idade: os assentos são demasiado baixos para quem depois precisa de se levantar, o barulho dificulta a conversa e por aí em diante.

Mas o que mais chocou este baby boomer foi o preço. Cerca de 22 dólares australianos (15 euros) por uma fatia de pão com queijo feta grelhado e pêra-abacate esmagada. Com 60 anos, Salt diz pagar isso na boa. Mas a pergunta sai-lhe na escrita e causou polémica na Austrália: porque é os putos não poupam este dinheiro e compram uma casa? Quinze euros várias vezes por semana dá quanto?

As palavras de Salt causaram indignação, mas batem no ponto. E este artigo interessou-me porque, apesar de duas décadas mais novo que Salt, também não percebo. Quando estava nos 20, poupava. Não lanchava em sítios caros nem tomava o pequeno-almoço na rua. Poupava. Pensava no meu futuro, que na altura não tinha fim e valia a pena pensar nele. Divertia-me sem torrar dinheiro.

E o que vejo quando olho para os novos cafés de Lisboa, pejados de gente a gastar dinheiro que eu tenho mas que prescindo de deixar ali, ponho-me a pensar que talvez a questão seja mesmo essa. Os millennials, a geração do milénio, não gosta do futuro que vê e come abacates para esquecer. Aqueles sítios estão cheios de gente que desistiu.

Anúncios

21 thoughts on “Cheios de gente que desistiu

  1. Nem tanto ao mar nem tanto à terra… Tenho 27 anos, e regra geral sou das que poupam. Mas pode bem ser que o André já me tenha visto “torrar” dinheiro em sitios da moda, seja a Confraria ou a Cevicheria. E ainda assim consigo poupar. Esta semana comprei o meu primeiro carro, com as minhas poupanças. E ainda me sobra dinheiro aplicado… Ou seja, eu gasto, mas também poupo. Tudo o que gasto não poupo – obviamente -, mas não é por gastar que não poupo!

  2. Prova Indirecta

    « Os seres mais perigosos para um Estado corrupto , normalmente não perdem muito do seu tempo a acumular propriedades .» * « Quanto mais dinheiro , menos virtude. » * «O dinheiro interpõe-se entre um homem e os seus objectivos , e permite que ele os atinja de forma diversa do que a moralidade consentiria» * «Não vale a pena acumular propriedade.O Estado , através das taxas e dos impostos, confisca e dissipa a propriedade . »

    H.D. Thoreau

  3. Bem observado. Mais de 50% nas escolas, 25% nas universidades, 75% dos desempregados, muitos na função pública, já desistiram.
    O xuxialimo exclui-os sem eles darem conta, afetuosamente, claro.
    Ainda assim o habilidoso lá vai buscar votos. O pão há-de vir de qualquer lado, pensam eles. Tem vindo.
    A denúncia dos pirómanos que se passeam já foi feita por CC.
    A delação total do juíz Sérgio Moro vem a caminho. E se chega cá?
    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/262851/Moro-diz-que-Brasil-pode-n%C3%A3o-sobreviver-%C3%A0-dela%C3%A7%C3%A3o-da-Odebrecht.htm

  4. Uma explicação alternativa – talvez gastem mais dinheiro em pequenos almoços e menos noutras coisas (p.ex, talvez muitos fiquem na internet até altas horas da madrugada em vez de irem a bares), e no total poupem o mesmo.

  5. Caro Helder,
    o 247 é um media do PT, não merece confiança. Habitualmente pegam em notícias verdadeiras e distorcem-nas. Usam a estratégia do bloco cá da nossa terra.

  6. Ha… o celebre fumar durante 20 anos gasta dinheiro suficiente para comprar um ferrari.

    É insultuoso este tipo de raciocinio, uma refeicao por 15 euros na australia pode ser razoavel. Pode nao entrar na cabeca de um baby boomer mas um almoco de 500 calorias pode ser suficiente.

    Convem fazer um estudo do custo de “gastos desnecessarios” de um baby boomer quando tinha 20 anos e agora.
    A gasolina, o tabaco, o cinema estao segundo a inflacao?

    Os custos (tempo e dinheiro) para obter um emprego razoavel sao os mesmos?

    Poupar o dinheiro dos outros é facil, como diria o Costa, é só deixar de fumar, de beber refrigerantes acucarados ou adocicados sem fruta e andar de transportes publicos.

  7. Bem… mas poupando bastante, mais tarde compra um BMW à maneira e vai passar a ser o fascista, capitalista, o rico lá da rua e não tardará que o carro seja todo riscados e as jantes desapareçam…

  8. André Miguel

    Ora bem Joaquim Brito, tirou-me as palavras da boca. O ponto é mesmo esse. Mas depois de muito poupar e se esfolar a trabalhar (horas a fio a marrar na faculdade e muitas horas extra no escritório) enquanto os amigos bebem copos, esse BMW aos olhos desses mesmos amigos só pode ter sido comprado com esquemas, truques ou mafiosices… Não é à toa que um dos ditados mais antigos e certos sobre a nossa mentalidade é “toda a gente vê os copos que eu bebo, mas ninguém vê os tombos que eu dou”.

  9. Quando era novo poupava para o futuro, agora não gasta dinheiro porque está a poupar para o passado?

    Talvez os jovens pensem que não vale a pena esperar pelo futuro.
    Disseram-lhes que o emprego para a vida era um pecado burguês (ou socialista não sei bem)..
    Os seus salários vão descer sempre para eles serem mais produtivos.
    Viver de uma reforma vai ser proibido porque é explorar os novos.
    O dinheiro poupado pode valer muito ou não valer nada, depende do banco onde ele estar ter um bail-out ou um bail-in.
    Com isto tudo poupar para o futuro parece tolice.

  10. Como se procura arranjar justificações envergonhadas para o que é simples…

    Não poupam porque o adiamento auto-imposto de gratificação custa e dói.

    Porque nunca ouviram falar do teste de Stanford.

    Porque isso “é coisa de judeu”.

    Porque sabe bem gastá-lo e o dinheiro aparece sempre, como garantiu o pai da pátria.

  11. Um dia destes , ainda aparece aqui pelo fórum a Mortágua a pugnar pelo aforro . Afinal de contas , do nosso aforro é que eles precisam para a continuação do forrobodó . E por falar em forrobodó , terei sido eu o único a estranhar aquela imposição de desconto de 5% à facturação do Ministério da saúde ? Anda tudo Venezuelado …

  12. Vama

    De cada vez que olho para as várias paredes da minha casa, imagino as estantes com 15000 livros que poderiam lá estar se eu os tivesse comprado em vez de acreditar na economia e ter investido em acções do bes. Quando agora no meu banco me falam em investimentos, eu atiro de imediato com um palavrão e digo, “nem pensar, quero tudo à ordem, para poder gastar naquilo e quando me apetecer”.

  13. São aos milhares os “meninos” com 40 e mais anos de idade que vivem à custa ou com muitas ajudas dos pais reformados.
    Mas podemos ficar descansados, um dia eles vão perceber porque razão estavam errados ao exigirem mudar de carro de 4 em 4 anos, nunca fazer comida em casa, mandar a roupa para a lavandaria e os meninos para o colégio pago. É que os paizinhos não duram sempre e é muito mais doloroso ir de cavalo para burro do que ao contrário…

  14. André Miguel

    Vama, acreditar em economia e investir em acções do BES são conceitos antagónicos. Aconselho estudar melhor Economia e mais Gestão.

  15. Os pelintras para a vida, vivem à custa do crédito. Os mais afoitos zarpam, para quanto mais longe melhor. Safam-se, arranjam quem mande neles de verdade e lhes pague decentemente.
    Fogem a quem rouba nas faturas, nas compras, nos supers, nos restaurantes no gasóleo, nos hotéis e nos impostos.

  16. Como querem que os jovens acreditem no futuro nesta Europa? O lema “Live fast, die young” não apareceu por acaso. Vou-lhes dar um exemplo:
    Anteontem, estava a ler a notícia do “diz que disse do salário mínimo” e apeteceu-me comentar, mas abstive-me. Vou contar a minha história. Eu e um amigo meu, adoramos vinhos, percebemos do negócio, temos contactos e achamos que estava na altura de montar um negócio. Arranjamos um business angel (um santo patrono diria eu, nos tempos que correm…) e montamos a empresa. O primeiro problema com que nos deparamos é que mesmo estando os dois dispostos a abdicar de salários durante um ano, somos obrigados a pagar um salário mínimo a um de nós. Mesmo assim fomos para a frente e quanto mais para a frente andamos é só taxas e taxinhas, papéis e mais papéis, mesmo sem ter vendido um euro. Como se pode vencer num país assim? Eu vou vencer, porque a mim ninguém me desencoraja, principalmente uma cambada de socialistas que me tenta dizer o que eu posso ou não fazer na vida. Mas sabem o que me custa mais? É que eles, um dia, vão me aparecer em frente ao stand e vou sorrir e ser simpático, quando o que me apetecia mesmo era dizer: ponha-se na rua e volte quando souber o que é um dia de trabalho!

  17. Euro2cent

    > mesmo sem ter vendido um euro.

    Ah, ainda não viu o PEC da camarada Manuela Ferreira Leite (abençoado seja o seu nome entre as mortáguas).

  18. Questão mal formulada. O “mal” não é as pessoas gastarem o seu dinheiro no que lhes der na gana. O “mal” é “aturar os seus direitos” quando se lhes acaba o dito cujo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s