Grécia, um caso perdido

Cu-JzbjXYAAjz0t.jpg

Segundo o GreekAnalyst, que disponibilizou e traduziu a notícia das alterações a serem preparadas, uma empresa recém-constituída na Grécia e que aufira um lucro de 100 mil Euros terá de pagar:

— 36 mil Euros de imposto sobre os rendimentos
— 36 mil Euros de pagamento especial por conta, valor mínimo para projectar lucro futuro
— Mil Euros de taxa sobre actividade económica
— 10 mil Euros de imposto de solidariedade
— 27 mil euros de contribuições para a segurança social

Total: 110 mil Euros.

A situação da Grécia há muito que deixou de ser cómica, é apenas trágica.

Anúncios

21 pensamentos sobre “Grécia, um caso perdido

  1. 36000 euros é o pagamento especial por conta, lucros do ano por antecipação calculados de acordo com o lucro do ano anterior.

  2. Por acaso (ou não) nesse artigo / apresentação há diversos erros técnicos em matéria fiscal.
    É mais um com intuito de criar alarido e incendiar os média e o povo.
    a vida já é difícil, dispensam-se incendiários.

  3. O grande desígnio da extrema esquerda é acabar com o capitalismo. Logo é preciso acabar com as empresas que deem lucro e com o empreendedorismo individual. A seguir vem a colectivização dos meios de produção e as nacionalizações. O resultado final será a pobreza, a fome e o medo uma vez que nessa altura o estado se transformou numa ditadura.

  4. E move-se a Grécia. Cada dia esta mais perto deste lugar a beira mar plantado mal frequentado por bolcheviques e mencheviques em 42 longos anos. Considerando as duas classes sociais, a que paga impostos e a que vive dos impostos, eles ainda acreditam que a classe que paga impostos é infinita! Ah!Ah!Ah!Ah!

  5. Euro2cent

    E ainda não sabem o que paga uma empresa tuga que tenha um prejuízo de 1 euro.

    (E de quem isso foi obra.)

  6. Pedro

    Também não sejamos demagogos: o pagamento especial por conta é dedudível no IRC do ano seguinte e a SS é um custo do trabalho, pelo que já foi deduzido antes de se chegar ao lucro. Portanto tiveram lucro de 100k e pagaram 47k de impostos – 47%. Já é suficientemente alto para ser um problema sério, não é preciso cair na demagogia

  7. Não é por nada mas “contribuições para a SS” sobre o lucro? Parece-me exagerado. Isto parece-me inventado, não é por nada. Mesmo sem esses 27K não deixa de ser uma autêntica tragédia grega…

  8. Mário, genericamente, penso que tens razão. Porém, traçando um paralelismo com a realidade portuguesa, não é correcto ao afirmar que, para um lucro de 100 mil euros, a empresa terá de pagar, no mesmo período fiscal, 110 mil euros. Na realidade portuguesa, o PEC (pagamento especial por conta) é, realmente, sobre lucros futuros, sendo calculada no ano n, relativamente aos lucros do ano n-1, e dedutível à colecta do ano n. Podes ver aqui: http://www.pwc.pt/pt/pwcinforfisco/guia-fiscal/2016/irc/pagamento-especial-por-conta.html

  9. @ANTONIO GARCIA

    Também acho.
    Confundir impostos sobre os lucros (1+2) com os correntes é um erro (e um deles é uma caução).
    Os outros impostos dependem da actividade da empresa. Qual a facturação, qual o numero de trabalhadores?
    Posso estar errado mas este tipo de posts não se adequa a este blog. Se fosse o twitter do Gambala…
    Eu ainda ia mais longe e diria que todas as empresas davam lucro se não pagassem impostos? Ou empresas que não pagam impostos dão lucro.

  10. Mário
    Afinal há quem saiba destas coisas e já deu um excelente contributo para o esclarecimento destas questões.
    Os enormes aumentos de impostos troikianos são sem qq duvida um garrote para o desenvolvimento da economia e da geração de meios libertos, muitas vezes confundido com geração de riqueza.
    Contudo parece-me que a ideia que queriam passar de uma taxa de 110% de imposto estava completamente errada e desfasada da realidade.
    Sobre o lucro incide apenas IRC ou IRC (+ derramas e taxas especiais sectoriais se for o caso).
    Tudo o resto vem antes do apuramento de lucro.
    Frequentemente é trocada a noção de REVENUES e PROFIT.
    Se tivesse por base os Revenues, sim teriam toda a razão, dado que estariam em causa tanto impostos directos como indirectos e esse resultado seria mesmo possível.
    peço desculpa pela delonga…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.