Os custos de uma falência

O site de propaganda oficial do governo fez um bom vídeo que sintetiza os custos de uma falência, os ajustes que isso implica, os aumentos de impostos necessários e os cortes requeridos.

O vídeo revela bem a importância de não deixar que o PS leve novamente o país à falência.

17 pensamentos sobre “Os custos de uma falência

  1. Gostei da música. Cá estaremos para a próxima.
    Claro que as dívida não são para se pagar.
    As consequências de não se pagarem as dívidas é outra história.
    Os encantadores de serpentes são exímios até ao dia em que a flauta entope.
    Os bichos não ouvem o som da flauta com urina de rato na ponta. O cheiro é atrativo para as serpentes, e ajuda a manter sua atenção fixa no instrumento.
    Mais dia menos dia enjoam o cheiro.

  2. O Governo de Direita tomou 78 medidas negativas para o contribuinte porque…

    … o governo do PS se divertiu a criar uma dívida que não era para pagar, era para se ir pagando!

  3. André Miguel

    Fresquinhas logo pela manhã:

    http://24.sapo.pt/economia/artigos/ocde-mais-de-um-terco-dos-portugueses-sem-dinheiro-para-cobrir-as-necessidades

    Ora o que é que o geringonços vão dizer? É para isso que estão a devolver rendimentos, não é? Não, não é. Ora como nem toda a gente é ignorante para ir em conversas de treta, os geringonços deviam saber que há gente que sabe o que é o esforço fiscal relativo. Os que não sabem o que é continuem a votar nesta gente: merecem toda a miséria que vos cair em cima.

  4. Para este video de propaganda do Governo da Geringonça há outro video interessante para ver no YouTube:

    Fica-se com a ideia correcta de quem foi responsável primeiro pelos 4 anos de sacrifícios dos portugueses.

  5. Ricciardi

    Pois eu acho que este governo não deve subir a carga fiscal tomando por base o desconcerto da gestão económica do país nos últimos 5 anos.
    .
    O que significa que o anterior governo não deveria ter assaltado os portugueses em termos fiscais (como bem ilustra o vídeo) na tentativa de debelar um crise comum a todos os países de todo o mundo.
    .
    Países houveram que geriram a crise de forma seria e competente. Como a Irlanda e a Espanha. Que atacaram os problemas verdadeiros que agora lhes permite crescer. Outros houveram, como Portugal, que empurraram os reais problemas com a barriga e limitaram-se a subir impostos, reprimindo a economia.
    .
    Rb

  6. «Kamaradas!

    Tende fé no Querido Líder Antonov Kosta!

    Se a direita fassista aprovou 78 medidas – 78! – de agressão aos trabalhadores, as Kamarad@s do BE estão cá para sufocar o Querído Líder Kosta até que ele as reverta.

    Só os inimigos do Povo poderão insinuar em que a demora na reversão dessas medidas é falha do nosso grande ideal Socialista! Só os inimigos da Fraternidade poderão afirmar que o Socialismo não triunfará, como triunfa em pleno neste momento na Venezuela, na Coreia do Norte, em Cuba, e até na China, onde infelizmente, mas só numa pequena região que está por ser tomada pelas brigadas revolucionárias, ainda o capitalismo obriga as pessoas a trabalhar em fábricas até desfalecer!

    Kamaradas! Havemos de levar o tempo que for preciso. O tempo que for preciso! Mas o socialismo triunfará! Se as 78 medidas fassistas de perseguição fiscal não forem revertidas a culpa será dos inimigos do Socialismo! Sempre e só dos inimigos do Socialismo!

    Socialismo… ou Morte!»

    Encontrei um papel com este escrito à porta da minha datcha.
    Estou a pensar seriamente que afinal é possível reverter estas medidas todas, estas medidas de “perseguição fiscal”.
    Fico à espera.

  7. Pingback: Falir custa – O Insurgente

  8. RICCIARDI, a crise comum a todos os países do Mundo só deu em resgate em 4 deles. Dos cerca de 200 países do Planeta apenas Grécia, Espanha, Portugal e Irlanda precisaram de resgates.

    Como escreve, e bem, a Irlanda e a Espanha já saíram das águas turvas do resgate e recuperaram as suas economias. Apenas Grécia e Portugal, que seguem políticas estatistas (ou socialistas, é o mesmo,) é que não saem do buraco. Pelo contrário: continuam a cavar para aumentar o buraco.

    É só ver o vídeo que postei acima para percebermos que os responsáveis pelos últimos 5 anos de sacrifícios são o PS e Sócrates e sus muchachos, nos quais se inclui António Costa e vários ministros do actual Governo.

    Espanha e Irlanda estão bem melhor justamente porque não seguiram, nem seguem, as políticas socialistas de mais gastos do Estado. Exactamente o oposto do que o actual Governo faz. E que vai dar origem a novo resgaste.

  9. André Miguel

    Ricciardi, seja honesto sff! O Tribunal Constitucional permitiu reduzir despesa? Já nem falo no berreiro que os sindicatos fazem sempre que se fala em privatização. Em Portugal só a dívida e o défice são constitucionais.

  10. Ricciardi

    “a crise comum a todos os países do Mundo só deu em resgate em 4 deles.”
    .
    A mim parece-me um número suficiente para afirmar que não foi problema específico de Portugal. Outros não chegaram a ter resgates por razões óbvias. A dimensão. As dívidas soberanas de países mais pequenotes em termos de riqueza são mais facilmente susceptíveis de ataque. Esses 4 (na verdade são 5) não tem possibilidade de contrariar movimentos especulativos sobre os seus títulos sem intervenção dum banco central, como aconteceu em 2013 qdo o bce começou a intervir estabilizando os preços das dívidas soberanas.
    .
    O tc permitiu reduzir a despesa. O problema é q o governo escolheu mal a despesa a cortar. Os rendimentos. E isto suscitou um volume de falências invulgar. Com o Malparado a disparar. A consequência era óbvia: destruição do sistema financeiro.
    .
    A despesa que cortaram, aliás, suscitou mais despesa. Cortaram rendimentos e, com isso, fizeram disparar os encargos com o desemprego bem como uma diminuição potente nas contribuições para a ss.
    .
    Por essa razão a despesa global só baixou um cagagesimo. Puxaram o lençol para cima e restaram os pés.
    .
    E depois, bem, e depois reformas decentes e impactantes não se fizeram. Desde o sistema de pensões.
    .
    Em vez de cortar pensões a quem realmente descontou, o que é inaceitavel, deviam ter iniciado um sistema de capitalização individual.
    .
    Rb

  11. “como Portugal, que empurraram os reais problemas com a barriga e limitaram-se a subir impostos, reprimindo a economia.”

    O Ricciardi é um mentiroso descarado, pois a PáF deixou o país a crescer economicamente, 1,6% do PIB, e o desemprego a baixar.
    .
    O exemplo de Portugal foi muito elogiado e ainda há pouco tempo Mário Draghi lembrou ao balofo Costa como Pedro Passos Coelho tinha sido tão bom para Portugal.
    .
    Quanto mais a geringonça afunda Portugal, mais os seus defensores se tornam desesperados e mentirosos.

  12. RICCIARDI, Irlanda, Grécia, Espanha e Portugal são os países mais pequenotes do Mundo e por isso é que precisaram dos resgates?

    Não leve a mal mas você está precisado de resgate psicológico/psiquiátrico.

  13. André Miguel

    “O tc permitiu reduzir a despesa.”

    A sério??? Não me diga! Pode-nos elucidar sobre qual a despesa que permitiram reduzir???

    ” E isto suscitou um volume de falências invulgar. Com o Malparado a disparar.”

    Mais uma mentira repetida até à exaustão, a ver se tanto repetida vira uma verdade.
    A causa do “volume de falências invulgar” foi o fecho da torneira do crédito para a banca, fruto do aumento das taxas de juro, consequência do endividamento galopante do Estado que resultou num resgate.

    “A consequência era óbvia: destruição do sistema financeiro.”

    Mais uma mentira repetida até à exaustão. O consumo na nossa economia era alimentado a crédito, bastou este acabar todo o sistema ir abaixo. Além disso a banca estava (e está) recheada de activos tóxicos e créditos de alto risco em investimentos de baixa ou nula viabilidade.

  14. «Cortaram rendimentos e, com isso, fizeram disparar os encargos com o desemprego bem como uma diminuição potente nas contribuições para a ss.»

    Ricciardi, se eu lhe der 110%, com desses 34.75% que me dá de volta; e passar a dar-lhe 100%, com a mesma taxa de 34,75%, ainda assim gasto menos 10% consigo.

    E o desemprego começou a subir em catadupa no tempo do quarenta e quatro fotocópias, sendo contida e invertida a tendência no tempo da PaF.

    E, com os socialistas no poder, volta a subir.

  15. «Além disso a banca estava (e está) recheada de activos tóxicos e créditos de alto risco em investimentos de baixa ou nula viabilidade.»

    A maioria deles aprovados por critérios político-compincheiros.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.