João Galamba dixit

Para o Bloco, a solução para a pobreza e para as desigualdades é muito simples: estamos perante um problema de redistribuição da riqueza. É o estafado: existem pobres porque existem ricos. Há quem ache que se deve ir por aqui. Eu discordo. Ou melhor: a redistribuição e necessária, mas não chega. É uma fantasia achar que se resolve o problma da pobreza e das desigualdades criando um escalão de 45% de IRS e um imposto sobre as grandes fortunas. Os nossos problemas também não se resolvem nacionalizando a banca, os seguros e o sector energético — e muitos menos se resolvem introduzindo mecanismos de controlo administrativo e burocratico dos juros.

Em tudo o que cheire a economia a solução do BE é sempre a mesma: estatismo e penalização da iniciativa privada. Estamos perante, se me permitem, um liberalismo invertido: onde estes acham que o privado resolve tudo, o BE acha que o estatismo é a panaceia para todos os atrasos do nosso país. Um e outro, acreditam na solução varinha mágica e reduzem as razões do nosso atraso reside à estafada questão da propriedade dos recursos — e não na utilização dos recursos. Se o PSD tem um preconceito em relação ao Estado, o BE tem um preconceito em relação aos privados. Nenhum destes partidos entende que a relação entre Estado e privados não é um jogo de soma nula.

O PS mostra ser mais inteligente e vai buscar ensinamentos tanto à direita liberal como à esquerda estatista. Daí o PS propor uma solução intermédia que reconhece a complementariedade entre público e privado, isto é, o PS é o único partido que mostra ter aprendido com a crise actual e com a falência do socialismo real. Enquanto o PSD fala como se esta crise não tivesse existido, o BE fala como se só tivesse existido essa crise, como se o socialismo tivesse sido inventado em 2009.

Um dos maiores problemas do BE consiste na ausência de uma política que assegure um crescimento económico que garanta o a sustentabilidade do estado social. Para o Bloco, solidariedade não requer competitividade e crescimento económico. Por outras palavras: a solução para todos os nossos problemas não tem de ser construída, isto é, não depende da criação de um contexto que económico que ainda não existe. Os nossos problemas resolvem-se a partir dos recursos actualmente existentes, redistribuindo-os. Mas alguém acredita que as medidas propostas pelo Bloco garantam os crescimento económico que financie as políticas sociais que a esquerda bloquista deseja? Qual a tx de crescimento necessária para pagar o estado social defendido pelo bloco sem que o défice se torne insustentável? O BE, infelizmente, ignorou estas contas.

Esquerda tradicional vs Esquerda moderna, numa realidade pré-geringonça.

galambamortagua

8 pensamentos sobre “João Galamba dixit

  1. Que tristeza!!!!!!!!!! As voltas que o ps está a dar!!!!! Não achei delicioso nem me dá vontade de rir porque estou a ver para onde este triste e desgraçado país está a caminhar.
    Além disso. João Galamba, ontem e hoje só tem conversa de merda. É um merdoso que nos quer levar para a Venezuela (não sei é porquê) e quanto à outra, sinceramente, quem sai aos seus não degenera e estou farto do protagonismo que a com.social lhe presta. Farto!

  2. JP-A

    Um coisa interessante é que tudo roda em volta de social, política, público, privado, ricos, pobres, taxas, impostos, equidade, justiça, distribuição, etc. O mais próximo que se encontra da economia é o “creximento”. Sobre produção, indústria, exportação ou mercados, nada. É como se se passasse tudo dentro de uma redoma rosa, isolada do mundo, com um buraco em cima do qual pinga o dinheiro de fonte oculta.

  3. Oliveira

    O deputado Galamba é um político “invertebrado”, um ser sem espinha cujo discurso se molda de acordo com as cirscuntâncias. Nível bazófia:100; Coerência:zero

  4. lucklucky

    JP-A

    Como venho a dizer o acreditar na Política é o que na evolução das sociedades sucede ao acreditar na Religião.

    Hoje os padres os proselitistas da Política são os Jornalistas , a missa é das 20H no telejornal.

    E o resultado é Totalitarismo da Política sobre tudo e todos.

    Por exemplo quando alguém diz que a economia cresceu é sempre por causa da política, nunca pode ser por causa da não política.

    Hoje quem quer a Liberdade tem ser contra a Política. Pois Política hoje é Socialismo.

  5. IS

    Bem visto! Já estou com déficit de paciência para as afirmações dessa pessoa basicamente incompetente e/ou de outras similares.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.