iSocialismo

Esta semana, para o i:

Em entrevista ao “Expresso” no último fim de semana, a deputada do Bloco de Esquerda (BE) Mariana Mortágua, veio anunciar-nos aquilo que já todos sabíamos, que este “não é um governo de esquerda”. Jerónimo de Sousa, na festa do Avante, concorda.

De facto, é cada vez mais difícil perceber, afinal, o que é isso do socialismo. É certo que não falta no PS e no BE quem pratique um discurso inflamado de um socialismo impoluto: que a prática governativa diariamente corrompe. Depois de uns meses de namoro ao PCP, feitos à base de presentes caros (pagos pelos contribuintes, sobretudo as famílias da classe média), como a reposição dos salários na função pública e as reversões nas privatizações, o PS foi aplicando com mestria uma série de medidas que as embevecidas noivas à esquerda, ainda inebriadas com o glamour do devoto consorte, fingem não ver. Socialismos à parte, a Geringonça tem vindo a construir toda uma nova semântica ao que pensaríamos ser o conceito indeterminado a que os políticos dão o nome de “justiça social”, essa musa inspiradora supostamente património absoluto da esquerda.

A política portuguesa percorre mares nunca antes navegados. Vivemos os tempos do iSocialismo. Quantos de nós pensariam ser possível assistir, num só ano, e sem protestos do PCP e do BE, à aplicação de medidas que poderiam ter sido emanadas de uma deliberação do FMI? Senão vejamos: na avaliação de imóveis para efeitos de IMI, o sol passou a pesar mais, por elementares razões de … “justiça social”.

Na luta contra a pobreza, a Troika da Geringonça, dá menos aos mais pobres como foi o caso dos aumentos das pensões inferiores a 628€, no final do ano passado; o PS propôs ainda um aumento de 0,60 cêntimos para pensões de 200€ e de quase 2 € para as pensões de 628€. Este é o governo que implementou cortes que não foram necessários nem nos anos mais duros de austeridade, como foi o caso do Imposto Único de Circulação para pessoas com deficiência acima dos 60%. “Afinal não deu golpe”, e o nosso governo de imediato declarou estar disponível para trabalhar com o Presidente Temer.

No caso do BANIF, foi surpreendente a rapidez não hesitante e a submissão com que o Executivo assinou, em nome dos portugueses, um cheque de milhares de milhões, que ajudaram a rechear os cofres dessa instituição caritativa-não-capitalista que dá pelo nome de Banco Santander. Mas a cereja no topo do bolo foi colocada na CGD: um novo Conselho de Administração – ironicamente, totalmente composto por homens, com pedigree no grande capital financeiro – apresentou um plano de reestruturação que prevê despedir (!) milhares de trabalhadores, e que já mereceu criticas da Comissão de Trabalhadores do banco público. Sim, estamos a falar de um … “downsizing”, que faria corar Marx de vergonha. Pelo caminho, e a propósito do IMI, ainda tivemos a oportunidade de ver o PCP defender, qual latifundiário, a sua propriedade privada, acumulada com suor e lágrimas, num discurso de meritocracia a fazer lembrar o Uncle Sam e o “American Dream”.

Antes assim, socialistas sem socialismo. Para experiências falhadas de socialismo real, já nos bastam os relatos e imagens que nos chegam da Venezuela.

4 pensamentos sobre “iSocialismo

  1. Anticapitalista

    Mas, Ó Gracinha, afinal em que ficamos, o governo que temos é de esquerda oh não?..
    Ou seja, a Marianita o Jerónimo têm, ou não têm razão quando dizem que não é um governo de esquerda?…
    Eu não tenho dúvidas de que não é, porque tenho presente o que o António Costa sempre afirmou em publico: “não tenho formação revolucionária e reclamo-me da social democracia”, assim como ainda há pouco tempo afirmou rever-se e querer dar continuidade “ao legado de Mário Soares e Jorge Sampaio”!…
    E quem desconhece, ou não se lembra, que a ganância do poder levou o maior charlatão da politica (que ainda em vida, já têm uma placa toponímica com o seu nome) a “meter o socialismo na gaveta”?!?!?…
    E a propósito de socialismo, que a Gracinha diz não “perceber o que é isso do socialismo”, permita-me, com a sua licença, que lhe sugira uma leitura atenta da primeira versão da CR, que resultou do trabalho dos deputados constituintes, eleitos por mais de 92% dos portugueses com direito a voto, dos quais deputados, apenas os do CDS votaram contra, alegando, precisamente, não defenderem o socialismo tal como estava, e esteve durante alguns anos, plasmado na referida CR, porque o que eles defenderam na campanha eleitoral era o “socialismo humanista” que, por acaso (ou não tanto assim), nunca “traduziram por miúdos”, porque, obviamente, até mesmo que desbocadamente lhe chamassem “humanista”, sabiam que seria sol de pouca dura, como se veio a verificar!…
    Não obstante estar lá plasmado durante alguns anos, o dito charlatão não teve vergonha na @uta da cara de o meter na gaveta logo na tomada de posse do II Governo Constitucional. Depois, bom, depois foi um ver se te havias, com os “do arco” durante 40 anos em governanças sucessivas a desbaratar milhões, a dar cabo da agricultura, das pescas, da obsoleta indústria numa incipiente economia, aberta e dependente, sem império e com “estadistas” do gabarito do dito charlatão, do “sr. Silva” ou saloio de Boliqueime, Guterres, Barroso, Santana, Sócrates, Passos&Portas&CIA!… de tal forma foram batalhando e dando (designadamente aos amigos e correligionários) que, do ponto de vista económico e financeiro somos um país de tanga, prestador de serviços nas explorações do Sol e das areias que a mãe Natureza nos deu e onde os turistas se deleitam, andam por aí uns poucos Mexias, Bavas, Catrogas e pouco mais, umas centenas de CEOs bem remunerados pela banca (quase toda falida), seguros, unidades de saúde na maior parte nas mãos de estrangeiros que compraram ao preço da uva mijona, etc., etc., do ponto de vista politico e social uma sociedade em que, pessoas do nível intelectual da Gracinha, por exemplo, “não percebem o que é isso do socialismo”!…
    Mas, contra a vontade, ou não, não sei bem, da Gracinha, a geringonça vai funcionando, para ressabiamento e azia dos pafistas mais aguerridos – porque, a acreditar nas sondagens, os votantes (incautos) pafistas que por ignorância política (como convém aos do sistema capitalista travestido de democracia burguesa materializada no descabelado “socialismo em liberdade” ou na famigerada “social democracia”) votaram na fascistoide “paf” em Outubro último estão a mudar de intenção de voto – e, eleições lusas, vamos ter qualquer dia as autárquicas e depois, lá para final de 2019, legislativas, e nestas, admito, a Maria Luís e a Assunção Cristas muito provavelmente não serão capazes de refazer a famigerada “paf”, pelo que, direita no poder em Portugal no futuro próximo só em Belém (e que a Gracinha não esqueça que o actual inquilino se reclama da “esquerda da direita”…) e no Governo apenas enquanto la estiverem os “socialistas de boca” oriundos do partido dito socialista.
    E, sendo assim, prezada Gracinha, xanax para os e as pafistas normais ainda ressabiados e, complementarmente, mais RENIE para os e as mais aziados!…

  2. Portanto, para o anti-capitalista nem sequer o governo da geringonça é de esquerda ou verdadeiramente socialista ….
    Deduz-se que de esquerda serão quando muito os dois partidos que, embora não estando no governo, neste momento o viabilizam.
    Porquê e para quê ?… seria o caso para perguntar !…
    Mas não é este o ponto …
    O ponto é que, como a expressão eleitoral somada destes dois partidos não vai além dos 20% dos votantes (nas sondagens actuais é ainda menos), é mais do que provável, para não dizer certo, que, a possibilidade de poder vir a existir nos tempos que vêm um governo que, na perspectiva do anti-capitalista, seja de esquerda e verdadeiramente socialista é práticamente … nula !!
    Ou seja, assumindo que o anti-capitalista é mesmo e verdadeiramente de esquerda e socialista, quem parece ter mais motivos para andar sempre aziado é mesmo … o anti-capitalista !!…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.