Spin City

costa juncker
Expresso, 16/07/2016
Grosso modo é uma expressão com grande latitude, aparentemente, é que na (primeira) carta que Costa enviou a Juncker, o primeiro-ministro não evoca, como o Expresso escreve, que o défice de 2015 possa ter ficado em 2,8% do PIB, excluindo intervenções na banca. A defesa dessa argumentação poderia ter levado a que Portugal nunca tivesse que enfrentar a Comissão num processo de sanções. Quem argumentou assim foram Assunção Cristas e Maria Luís Albuquerque repetidas vezes, o que levou o primeiro-ministro a tristes declarações sobre patriotismo.

Mas parece, que enfim, o governo lá reagiu. No Expresso. Uma ou duas semanas tarde demais.

2 pensamentos sobre “Spin City

  1. JP-A

    Os cofres cheios são agora coisa boa, uma garantia e um argumento perante a Europa e os investidores. Melhor, só aquela teoria de um dos grandes vultos do eixo do mal e da tudologia, que se rege por um raciocínio expelido esta semana mais ou menos assim: a Europa vai lixar-nos que e depois vem-nos salvar porque não gosta deste tipo de governo e quer deitar abaixo o Costa 🙂

  2. Fernand Personne

    “enfim, o governo lá reagiu. No Expresso. Uma ou duas semanas tarde demais.”

    Contra factos, não há argumentos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.