texto que contém spoilers

Ninguém me perguntou – o que é uma grave falha – mas eu também tenho um livro que emprestei e não me foi devolvido e sofro horrores por isso ao fim de para aí vinte anos. Geralmente odeio emprestar livros (mais vale comprar e oferecer) por causa desta mania coletivista de não se devolverem livros que foram emprestados. O último que emprestei foi uma preciosidade da Teolinda Gersão ao Henrique Raposo, mas só porque a pessoa com quem o Henrique é casado me tinha devolvido, ou para devolver, o Life After Life da gigante Kate Atkinson. São pessoas de boas contas em livros, portanto. Os outros que emprestei e não me foram devolvidos são livros de substituição fácil (ainda que, enfim, não tenham sido os livros que eu li, e não têm as minhas marcas, o que parecendo que não faz toda a diferença), exceto em dois casos, mas um era sobre assunto de que entretanto perdi o interesse e outro não tinha qualidade literária que me provocasse luto. De qualquer modo, lembro-me dos empréstimos todos e só devido aos bons ensinamentos cristãos da minha vida não aponto inquisitorialmente os nomes.
Mas vamos à ovelha bibliográfica transviada. Emprestei o Escalas do Levante, de Amin Maalouf e népias de devolução. Não é fácil encontrar o livro por aí, pelo que tenho sobrevivido sem ele. Com frequência dou por mim a rogar pragas ao autor pela falta de informação da cena final, em que o narrador se recusa a coscuvilhar (para melhor nos informar) como termina o reencontro descrito. Se tivesse permanecido com o livro, certamente iria reler aquela cena muitas vezes, com a esperança irracional de lá encontrar afinal uma clarificação. Lembro-me que na adolescência mais tenra tive de ler muitas vezes o final de Os Três Mosqueteiros para acreditar que a Constance Bonacieux morria mesmo. Algo semelhante se preparava para ocorrer com Escalas de Levante. Mas este curso natural das coisas foi interrompido pelo malfadado empréstimo. Também dou por mim com frequência a rogar pragas à pessoa a quem emprestei o livro por me ter privado da vivência deste pequeno comportamento compulsivo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.