As ingerências do BE na vida do PSD

Quando se faz parte de uma solução governativa de esquerda anti natural na sua formação e bases, as melhores ideias que conseguem ser reproduzidas na comunicação social pelos líderes daqueles que não fazem parte da máquina eleitoral do Governo, são as políticas de ingerência/comentário  nos nomes que fazem parte de Comissões Políticas (vice Presidências) dos partidos da oposição. De facto não me lembro nem do líder do CDS nem do PSD quando eram governo falarem de quem é que António José Seguro, António Costa ou Francisco Louça, ou a própria Catarina Martins tinham como vice Presidentes nos seus partidos quando acabavam os Congressos do PS ou do BE.

É falta de bom senso, Catarina Martins acusar Pedro Passos Coelho de falta de bom senso por nomear A ou B para a Comissão Política do PSD. Ela não é o José Manuel Fernandes no seu papel de comentador e analista político, mas sim a líder do BE que tem os seus próprios temas e que seguramente não entenderia se o líder do PSD fosse criticar a escolha de um ex – LUAR para uma vice presidência do BE .

Se tivessem um mínimo de razoabilidade naquilo que dizem no seu habitual discurso de protesto falariam do aumento da idade de reforma introduzida pelo ministro Vieira da Silva à sucapa. Ou falariam da preocupação com que encaram um plano B do seu Primeiro Ministro que o FMI está a exigir.

Mas o que conta são os Soundbytes do momento e a nossa imprensa vai fazendo eco de uma forma de ser e estar na política que contribui para as aparências mesmo que não sejam  as verdades. A verdade é que o PSD saiu com um líder forte e uma comissão política forte e sem pressa. Vão durar quer custe muito ou pouco à líder do partido que apoia esta solução que nos conduz pelo caminho errado da governação.

As maçãs podres caem por si só e cá estarei para o comentar na altura.

14 pensamentos sobre “As ingerências do BE na vida do PSD

  1. tina

    O que se pode esperar de uma peixeira senão meter-se na vida dos outros? Para além da incompetência e da bancarrota, a geringonça ameaça o país com toda a espécie de comportamentos de baixo nível, abusivos, desleixo, mediocridade, etc.

  2. Luís Lavoura

    É falta de bom senso, Catarina Martins acusar Pedro Passos Coelho de falta de bom senso por nomear A ou B para a Comissão Política do PSD.

    Concordo plenamente.

    Infelizmente, porém, o PSD também tem propensão para se imiscuir na vida interna de outros partidos, por exemplo quanto pretende proibir as votações de braço no ar típicas do PCP.

  3. tina

    “exemplo quanto pretende proibir as votações de braço no ar típicas do PCP.”

    isso terá que ver com procedimentos gerais e não internos.

  4. JMS

    Enquanto tivermos uma comunicação social rasteira, enfeudada a interesses menos claros, que trata qualquer pessoa que não seja do PS pra esquerda como um perigoso salazarista ou pior ainda, não veremos nunca “maçãs podres” a caírem, pelo que, pode esperar sentado por esse dia.

    A esmagadora maioria dos portugueses acredita cegamente naquilo que os media propagam. Não têm massa crítica, estão-se a marimbar, comem tudo. É uma “guerra” desigual que uma minoria minimamente informada e interessada pelo seu país e o seu futuro trava “contra” uma maioria distraída, vamos chamar assim.

    Não nos admiremos portanto, do rumo que o país está a tomar, sempre acompanhado da respectiva lavagem cerebral a que estamos sujeitos diariamente.

    A hipocrisia de esquerda, brilhantemente retratada pelo BE na pessoa duma pequena idiota com tiques de autoritarismo, é algo com que teremos que viver nos próximos tempos. Infelizmente.

    “É a vida…” 🙂

  5. O facto da Catarina Martins questionar nomes da Comissão Politica do PSD só abona a favor dos mesmos…
    Ficaria preocupado se dissesse bem !
    O que é efectivamente sintomático da parcialidade de certa comunicação social é que esta acabe por dar tanto espaço a este tipo de declarações sobre a composição de um orgão interno de um partido em vez de, por exemplo, dar mais conta das ideias e das propostas politicas que mais marcaram este congresso.
    A “fulanização” é, de resto, uma das taras do confronto politico em Portugal e a comunicação social alimenta-a alegremente.

    A “fulanização” no discurso politico participa quase sempre do método baseado em considerações “ad hominem”, que consiste em questionar aspectos da personalidade, do carácter, da vida pessoal e activa dos adversários para tentar descridibilizá-los e fragilizá-los e, deste modo, atacar as forças politicas a que pertencem ou estão hipotéticamente ligados.
    Este método é mais ou menos utilizado em todas as áreas politicas.
    Mas é verdade que, por razões de DNA idéologico e politico, uma certa esquerda sem principios éticos, para a qual vale tudo e os fins justificam sempre os meios, é a que mais usa e abusa.
    Uma excepção curiosa é a do PCP que, embora não estando completamente isento, tende a evitar a “fulanização” e a concentrar-se mais exclusivamente nos argumentos politicos.

  6. jo

    Na sua opinião os políticos não deveriam falar de política. Pelo menos se fossem do BE.
    Quantos comentários à forma de sucessão de Seguro por Costa foram produzidos por figuras do PSD?
    Note que o PSD tem todo o direito de comentar o modo como os seus adversários políticos se organizam. Tal como o BE.
    Um partido político, sobretudo um partido com ambições de governar, não é uma casa particular onde não é educado falar mal do dono da casa.

  7. O que disse é que o líder de um partido (neste caso o BE) não deveria comentar a organização dos outros (vice Presidências) pois há coisas mais importantes para comentar. Não comentei acerca de lideranças dos outro partidos, assunto com mais relevo na medida em que falamos de potenciais candidatos a PM. Mas claro que cada qual é livre de fazer os comentários que aprouverem. Fica isso sim, a educação política ou a falta dela, com quem os produz.

  8. jo

    Então o líder de um partido não deve comentar as vice-presidências dos outros partidos, mas pode comentar as lideranças dos outros partidos.

    Se a vice presidência não faz parte da liderança, para que serve?
    Só se servir para trazer o cafezinho. A senhora em questão já andou a treinar no Eurogrupo,

  9. Clap, clap, clap… mas o PSD tem de fazer um esforço por conquistar melhor comunicação social.. também reparei que o Vieira aumentou a idade da reforma e do PSD ninguém disse nada…

  10. EAGLE01 : “reparei que o Vieira aumentou a idade da reforma e do PSD ninguém disse nada…”

    Por sinal até disseram …
    A começar pelo seu Presidente, PPC, no discurso de encerramento do congresso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.