Breve glossário do esquerdismo moderno

agência (de rating), s.f. 1. estabelecimento que, através de agentes patogénicos e mediante retribuição, se destina a prestar serviços de propaganda a agiotas e austeritários.

agiota, s.m. 1. o m. q. credor 2. o m. q. judeu.

arrependido, s.m. 1. que ou aquele que se converteu a uma forma de pensamento não neoliberal ou austeritária 2. que ou aquele que viu a luz e renunciou às trevas.

austeridade, s.f. 1. conjunto de acções, meios e estruturas que visam estabelecer ou consolidar o domínio do capital sobre as pessoas 2. doutrina económica e política que visa esmagar os mais pobres aliviando os mais ricos 3. agente infeccioso capaz de transformar um ser humano num monstro 4. [política] qualidade ou carácter de direita.

austeritário, s.m. 1. defensor ou patrocinador da austeridade  2. o m. q. canalha 3. adj. que é desagradável à vista, repelente, indigno.

banqueiro, s.m. 1. chefe capitalista encarregado de cortar a carne.

capital, s.m. 1. toda a riqueza capaz de produzir renda especulativa 2. artifício ou engenho para capturar ou torturar pessoas 3. substância, preparado ou pó usado na confecção de peçonha perturbadora da função moral.

capitalismo, s.m. 1. sistema económico assente na subjugação do proletariado e responsável pelo contínuo retrocesso civilizacional dos últimos 250 anos 2. sistema ecológico baseado no binómio predador-presa.

credor, s.m. 1. o m. q. agiota 2. o m. q. judeu 3. que ou aquele a quem é dado o privilégio de emprestar dinheiro 4. o m. q. ingrato.

défice, s.m. 1. representação abstracta de um conceito relativo, de grandeza ilimitada ou difusa, que visa dificultar o acesso à felicidade 2. arma de arremesso de austeritários contra pessoas.

democracia, s.f. 1. sistema político cujas acções devem atender aos interesses populares de Abril 2. estágio predecessor de Abril.

dívida, s.f. 1. desobrigação moral contraída em nome das pessoas, à qual os austeritários atribuíram um carácter de culpa 2. parte especulativa e desejavelmente perdida das transmissões gratuitas (não reembolsáveis.)

estado, s.m. 1. o conjunto das instituições (governo, forças armadas, funcionalismo público etc.) que controlam e administram uma nação, sob a chefia de um colégio de sábios 2. conjunto de estruturas adequadas a colocar e manter cada indivíduo no cume da sua realização pessoal.

fascismo, s.m. 1. subterfúgio de grande utilidade em situações de aperto e desespero argumentativo 2. o m. q. neoliberalismo.

fascista, adj. 1. relativo ou pertencente ao fascismo 2. que ou aquele que é partidário ou simpatizante do neoliberalismo. etimologia do lat. fassista

humor, s.m. 1. expressão, dito ou exercício jocoso cuja graça ou comicidade está garantida quando dirigida ao antagonista 2. líquido segregado pelo corpo e que era tido, na Antiguidade Clássica, como determinante das condições físicas e mentais do indivíduo. Ex.: o imperador Pachecus Pereira foi muito afectado pelo predomínio da atrabílis.

investimento, s.m. 1. aplicação pública e infalível de recursos alheios em nome do bem comum 2. acto ou efeito de investir nas pessoas quando tem origem em governos progressistas.

judeu, s.m. 1. [plural] os donos do mundo 2. o m. q. agiota.

liberal, s.m. o m. q. neoliberal.

liberdade, s.f. conceito relativo e utilitarista, invocável de acordo com as conveniências 2. estado de disponibilidade para o exercício de cargo público.

mercado, s.m. lugar público (coberto ou ao ar livre) onde credores, banqueiros e agiotas expõem e vendem produtos especulativos, cadáveres e artigos de uso geral.

neoliberal, s.m. 1. defensor da doutrina do neoliberalismo 2. o m. q. verme 3. o m. q. fascista.

neoliberalismo, s.m. 1. o m. q. fascismo 2. doutrina baseada na defesa intransigente da barbárie 3. palavra ou expressão que associa o outro a todos os males do mundo 4. estado propício à propagação do agente infeccioso responsável pelo crescimento de tecido adiposo.

número, s.m. 1. o que não é pessoa 2. relação conflituosa entre uma quantidade e outra quantidade. 3. organismo diminuto, unicelular, de vida livre ou parasita, inflexível e persistente, artificialmente criado, utilizado em operações matemáticas muito complexas que visam servir a causa da austeridade.

pessoa, s.f. 1. o que não é número 2. ser infinitamente bondoso e necessitado, incapaz de vontade própria, defendido pela classe dirigente não austeritária ou, em períodos negros, à mercê da classe dirigente neoliberal.

privado, adj. 1. o que é intrinsecamente mau 2. relativo ou pertencente a neoliberais.

público, adj. 1. o que é intrinsecamente bom 2. relativo ou pertencente a pessoas.

tolerância, s.f. acto selectivo de aceitar ou tolerar, com base em afinidades ideológicas.

traidor, adj. e s.m. que ou aquele que abraça o neoliberalismo. Ex.: A Zita Seabra é uma traidora (cf. arrependido)

2 thoughts on “Breve glossário do esquerdismo moderno

Deixar uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s