Deve Ser Isto O Que Significa “Companhia Estratégica E De Bandeira”

Onde existe uma necessidade; aparecerá sempre um mercado para satisfazer essa necessidade – ainda que possa implicar que a Joana Amaral Dias tenha que fazer escala em Madrid para se deslocar a Recife ou a Luanda. Com o suprimento/redução das rotas do Porto servidas pela TAP, a Ryanair já anunciou a intenção de realizar novos voos novos/adicionais para essas mesmas rotas.

Nos dias de hoje não se justifica a propriedade pública (mesmo que parcial) em companhias aéreas ou outro tipo de empresas de transporte. É fácil invocar o “interesse nacional”, o “interesse estratégico” ou a “companhia de bandeira” para não se ter que justificar o injustificável. Na prática, querer manter na posse do estado empresas para as quais existem empresas privadas que oferecem serviços equivalentes em situação concorrencial não faz sentido; e apenas pode ser justificado pelo populismo assim como pela vontade de manter o poder e de exercer o controlo político de empresas à conta dos contribuintes.

TAP_Ryanair

Anúncios

12 pensamentos sobre “Deve Ser Isto O Que Significa “Companhia Estratégica E De Bandeira”

  1. Baptista da Silva

    Eu entendo o Rui Moreira, já tinha preparado o cenário, apenas se aproveitou.

    Óbviamente que existindo concorrência, os operadores vêem negócio e actuam, hoje quando ouvi o Rui Moreira percebi o assunto. Disse apenas que se for Companhia privada, que decida o que quiser, mas sendo Pública e sendo pago pelos contribuintes, exige-se serviço publico.

    Matou 2 coelhos com uma marretada, criticou o governo e ganhou votos regionais.

  2. Hélder Pinho

    Num país civilizado teria que justificar-se a presença do Estado numa empresa em dificuldades que, vendo bem, não presta serviço público. Se alguém indicar um motivo para viajar na TAP, agradeço.
    Mas percebo. O Costa tinha que tentar comprar a TAP, ainda que só o tenha conseguido parcialmente e num negócio ruinoso, para agradar o PCP.

  3. JP-A

    Mais asneiras, desastres, milagres, e milhares de milhões: “Segundo o Jornal de Notícias, a gestão dos transportes do Porto deverá ser assumida pelos seis municípios servidos pelos STCP que se vão associar para o efeito. Estado pode financiar défice no início.”

    E mais gente com carreira para as administrações. Parece que estamos a voltar à década de 80 e a começar tudo de novo.

  4. Jartelhos

    A TAP tem capital publico sim. Mas não recebe um tostão do erário publico, logo como bons insurgentes e libertários que somos convém começar a calar a boca sobre a TAP.
    A TAP é uma empresa privada que toma decisões de acordo com aquilo que são os seus interesses estratégicos. Não é pelo facto de o estado ser detentor de 50% da SGPS mas com a clausula de não ter qualquer participação na SA que muda isto. -Era uma TAP completamente privada que queríamos é isso que vamos ter.

    A pergunta que fica no ar é que conversa é essa do Rui Moreira andar a negociar com a Ryanair?! – Que lhes está a oferecer “do nosso dinheriro”? Mas que “subsidiação” está para ali a ocorrer. Nós somos liberais e acreditamos na livre concorrência. OU não?

  5. Jartelhos

    Hélder Pinho em Fevereiro 16, 2016 às 22:11

    O negócio não é ruinoso nem deixa de ser. Ter 39% ou 50%, com as clausulas que aquilo (acordo) agora tem não muda nada.
    O estado não manda nada nas decisões da empresa. Aliás nem lá está! Quem não está lá….
    Ter “senadores” numa “comissão de acompanhamento” que é o que vai ter, mas que não participa na gestão da empresa… é a mesma coisa que não estar. Porque só em alterações d estatuto ou decisões se assembleia (como vender, etc) é que o estado vai ter vós. De resto o Rui Moreira que fique muito feliz com a Ryanair. Aliás não é o que o “porto” sempre quis?

    E o resultado prático é que para a TAP agora tudo é “centeio”. Coloca 20 voos em ponte aérea mas não se iludam. Se a taxa de ocupação não se justificar, calmante os programas informáticos vão sugerir o cancelamento progressivamente e mais nada.

    Cá para mim o problema é outro…
    É que a ryanair não vai para Milão (linate ou malpensa).. vai para bergamo e quando aterras em bergamo depois andas quase 1 hora de comboio para chegares a Milão em vez de um voo de 40 minutos para lisboa! – Pois!

    e também não vai para Fiumicino… vai para Ciampino…. 50 minutos até roma…

    A realidade é uma cabra, não é?!

  6. Luís Lavoura

    “Nos dias de hoje não se justifica a propriedade pública […] de empresas de transporte”

    A maior parte das empresas de transportes municipais em Portugal são propriedade pública. Elas são necessárias para que, por exemplo, os alunos se desloquem diariamente às escolas localizadas nas sedes de concelho.

  7. Pingback: Deve Ser Isto O Que Significa “Companhia Estratégica E De Bandeira” | Exílio de Andarilho

  8. Jartelhos

    MaisEstadoNaoObrigado em Fevereiro 17, 2016 às 08:12 dis

    A ryanair a fazer serviço publico e a ser subsidiada. Já a TAP a fazer os mesmos voo não tinha nada de apoio do Junta de Turismo do Porto, câmara municipal, aeroporto, etc.

    Somos todos bué da liberais não é?

  9. Joao

    Jartelhos,

    Temos muita piadinha não temos???

    A TAP e 50% do estado a força mas é tudo mentira não é???

    Somos muito estadistas não somos???

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.