Goldman Sachs erra 5 vezes

É notícia do Financial Times na sua edição do passado dia 12-Fev, que apenas 43 dias volvidos sobre o início do ano, a Goldman Sachs teve que fazer um “stop loss” em 5 dos seus 6 “top trades” para 2016, dado que as tendências dos mercados financeiros se revelaram contrárias às que esperavam os seus estrategas no final de 2015. Para quem ganha milhões com estas previsões sobre os mercados isto não deverá ser um grande problema ainda que a credibilidade pública saia beliscada. Para cada investidor ou agente económico  que se acredita e investe no que a Goldman Sachs diz, há pelo menos um outro que se coloca na posição contrária à recomendação pública .

Seria muito curioso que a sexta recomendação para 2016, a única que se mantivesse correcta neste ano e com ganhos substanciais fosse o de estar longo nos CDS – Credit Default Swaps portugueses ou curto na Dívida Pública  Portuguesa. Algo totalmente legítimo após a decisão do Banco de Portugal de transferir parte da dívida senior do Novo Banco para o BES e perante o potencial de desastre orçamental que se avizinhava.

Será que o único português nos 18 membros do International Advisory Board da Goldman Sachs, ex-governante e sócio da CMS se lembrou em apostar contra a geringonça e num regresso mais rápido da troika a Portugal?

A resposta pode muito bem ser negativa, mas ter funções destacadas num banco internacional que emprestou 680 milhões ao BES antes do BES ser resolvido tem de certeza ângulos e enredos  dignos dos romances da J K Rowlin.

Deixar uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s