Querida , encolhi o Orçamento

Enquanto assistimos a debates televisivos como se fossem combates de pugilismo acerca das virtudes e capacidades da (pseudo) direita e da esquerda (radical) para fazerem orçamentos e gerirem o nosso dinheiro, continuamos no processo de empobrecimento intelectual em que os agentes políticos se encontram envolvidos há dezenas de anos, em que ninguém é capaz de dizer alto e bom som o que todos sabem mas não praticam: ” O ESTADO PORTUGUÊS OCUPA UM PESO EXCESSIVO NA ECONOMIA PORTUGUESA” .

Citando o João Miguel Tavares no Público de 11 ‘ Fevereiro : “socorro, quero um partido liberal (…)” e eu acrescento , que me defenda do Estado Glutão e que encolha os gastos do OGE. Deixem-se de tacticismos com as sociais democracias do PPC e as democracias cristãs da AC.

Por favor, querida, encolhe o Orçamento GERAL do Estado…

10 thoughts on “Querida , encolhi o Orçamento

  1. Fernando S

    “quero um partido liberal (…) … Deixem-se de tacticismos com as sociais democracias do PPC e as democracias cristãs da AC. ”

    Pois…
    Mas enquanto não houver o tal “partido liberal” em condições de governar sózinho e sem compromissos tacticistas, se é que alguma vez vai ser o caso (espero bem que sim mas sendo a condição humana o que é !…), antes os “tacticismos com as sociais democracias do PPC e as democracias cristãs da AC” do que a abstenção ou o isolacionismo purista face à alternativa da esquerda socialista mais ou menos radical !!

  2. ecozeus

    Por regra a sociedade tem assumido que os primeiros 100 dias de mandato são de “estado de graça” mas, pelo que se vê, o governo da geringonça, excepcionalmente para confirmar a regra, já se encontra em “estado de desgraça” e, isso tudo, muito antes de serem atingidos os 90 dias de governação!

  3. Vai ser preciso um santo suar para chegar o dia em que um politico propor um Orçamento de défice ZERO e que este ajuste seja feito pelo lado da despesa e não da receita.

  4. Luís Lavoura

    Citando o João Miguel Tavares no Público de 11 ‘ Fevereiro : “socorro, quero um partido liberal (…)”

    Se quer, verdadeiramente, um partido liberal, então trabalhe para o criar.

    Ou, pelo menos, comece por não apoiar partidos que não são liberais.

  5. Fernando S

    CsA : “chegar o dia em que um politico propor um Orçamento de défice ZERO e que este ajuste seja feito pelo lado da despesa e não da receita.”

    Para podermos ir diminuindo a divida publica acumulada precisariamos mesmo de ter orçamentos excedentários.
    Seja como for, o ajuste pelo lado da despesa não se fará nunca de um dia para o outro, sem avanços e recuos, e sem que diferentes correntes politicas, incluindo as “sociais democratas” e “democratas cristãs”, que ainda são incontornáveis em qualquer solução politica viável de governo que não seja em torno da esquerda “socialista”, aceitem e assumam a sua necessidade e se empenhem efectivamente para que tal aconteça.
    Quero dizer com isto que, sózinhos e sem alianças e compromissos, os “liberais doc” não teem, nem vão ter durante muito tempo, se é que alguma vez vão ter, condições politicas para levarem a cabo um programa de governo que consiga equilibrar e consolidar o conjunto das nossas contas públicas.
    Quero dizer com isto que é um exercicio fútil e desmobilizador estar recorrentemente a lamentar a inexistência de um “verdadeiro” partido liberal e a desprezar e menosprezar aquelas correntes e forças politicas sem as quais as ideias e as propostas liberais pura e simplesmente não teem qualquer possibilidade de influenciar o rumo dos acontecimentos.

  6. Fernando S

    Luis Lavoura : “Se quer, verdadeiramente, um partido liberal, então trabalhe para o criar. Ou, pelo menos, comece por não apoiar partidos que não são liberais.”

    Quais são as credenciais “liberais” do Luis Lavoura para estar a dar conselhos a liberais assumidos ?!…
    Na verdade, os conselhos do Luis Lavoura não são sinceros nem desinteressados.
    O Luis Lavoura gostaria que os liberais não apoiassem os ditos “partidos que não são liberais” apenas porque o Luis Lavoura apoia outros partidos que são bem mais iliberais e que ele deseja possam ter sucesso em “reverter” tudo aquilo que os ditos “partidos que não são liberais”, muito ou pouco, melhor ou pior, até fizeram nos últimos 4 anos !!

  7. honi soit qui mal y pense

    Só uma sociedade onde se ajudem as pessoas a serem positivas e criarem riqueza pode ter espaço para ser uma sociedade liberal.
    No uso dos Orçamentos para criar uma politica social ou um Estado Social , radica a compra de votos quando ela é necessária para a formalização do poder instalado , ou indispensável á existência de ditaduras , de esquerda ou de direita .
    O assistencialismos deve ser positivo , deve existir para ajudar o homem a se superar , não para ser um mero votante fiel .Um peronista .
    Muito há a calcorear para uma sociedade ser liberal .Nunca pode ser liberal se o povo não é livre .
    E o povo não é livre.
    É mantido servil com subsidios , e metadona .
    Depois passa lá a camioneta do municipio , ou da assiciação recreativa para irem votar nos partidos de sempre.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s