Hillary. Porque sim.

O meu texto de hoje no Observador.

‘Há oito anos, quando Obama ganhou pela primeira vez as presidenciais americanas, Tara Wall – mulher, negra e republicana (donde, votante em McCain) – disse na cobertura da noite eleitoral na CNN ‘today you can’t be black in America and not be proud of what Barack Obama has achieved’ (estou a citar de memória – que costuma ser fiável).

Eu não fiz parte da corte de enamorados do discurso, tão evidentemente vazio que até doía, ‘esperança e mudança’ de Obama. Gozei com fartura nos blogues com a semelhança dos discursos de Obama e as tiradas do presidente Bartlett na série televisiva West Wing e não me surpreendi por ver que o supostamente pacifista presidente tornar o mundo mais perigoso (sim, o querido ISIS) retirando a correr do Iraque. (Se lá deviam ter ido ou não depois do 11 de setembro é outra questão.) A melhor parte (para mim) da presidência de Obama foi a espécie de redenção de um país com uma história de escravatura, de segregação racial, da luta pelos direitos civis e de racismo tão entranhado ao eleger para seu representante cimeiro um negro.

As eleições de novembro também vão ter a sua novidade. Pela primeira vez poderão eleger para a presidência uma mulher (Hillary Clinton), um judeu (Bernie Sanders) ou um latino (Marco Rubio ou Ted Cruz).

Destes todos prefiro a Hillary e não escondo que o sexo da candidata é o fator decisivo. E não, por favor não me macem com a conversa ‘não se deve votar num candidato por ser mulher’. Ser mulher é um fator da identidade do candidato como qualquer outro – na verdade mais marcante do que muitos outros – pelo que o argumento de não se valorizar o sexo tem tanto sentido como não valorizar se tem um doutoramento ou se nem sequer frequentou a universidade, se foi Secretária de Estado ou se foi presidente da associação de pais, se era advogada na vida antes de Washington ou se escrevia livros de poesia experimental.’

O resto do texto está aqui.

17 thoughts on “Hillary. Porque sim.

  1. mggomes

    Infelizmente, o texto nada, mas rigorosamente nada, acrecenta ao título.
    Um discurso do Sampaio da Nóvoa arrisca-se a ter mais conteúdo que isto…

  2. honi soit qui mal y pense

    Olhe lá ?
    da sua lista , há lá algum americano em quem se possa votar ? , só americano , não precisa de ser mais nada
    há !?

  3. honi soit qui mal y pense

    já viu os debates ?
    uma pobreza ó minha senhora !!!!
    ainda esperamos por Homer Simpson poder ir a votos … ou o senhor do bar Moe que deve ser da familia do Sanders … ou o Mrs Skinner que parece um wasp Rubio

  4. lucklucky

    Que desastre, mas não é de admirar de uma feminista logo sexista.
    Mas uma feminista que se está nas tintas para as mulheres que acusaram o Marido Bill que pagou quase 1 milhão de dólares de indminização a uma delas.

    E Hillary é a pior pessoa.
    Desde que a vi num vídeo de uma Universidade em Africa criticar os EUA como se fosse um país inimigo. Só Obama se aproxima.

    Nem vou entrar em casos de incompetência como Bengasi e um Embaixador morto, uso de contas de email fora dos registos oficiaisem que provavlemente será acusada, só para falar dos últimos

    Só como pessoa está desqualificada.

    E claro como a autora não está informada nem quer estar pelos vistos tal a ligiereza não nem sabe do Socialismo de Hillary.

  5. Joaquim Amado Lopes

    Maria João Marques,
    “Ser mulher é um fator da identidade do candidato como qualquer outro”
    Empatado com a raça, o género é um factor da identidade d@ candidat@ que deve ser completamente irrelevante na decisão do sentido do voto.

    Os eleitores americanos que votaram em Obama por ele ser negro são tão racistas como os que não votaram nele por esse motivo. Além de racista, esse motivo é ridículo porque Obama é tão negro quanto é branco.

    Quanto a Hillary, por muito má que seja (e é, como o lucklucky escreveu acima), pode muito bem acabar por ser o mal menor. Do lado Democrata, a alternativa é um socialista da linha dura que, se eleito e não lhe explicarem devidamente os factos da vida antes de tomar posse, pode levar os EUA a uma guerra civil. Do lado Republicano, o candidato melhor posicionado para conseguir a nomeação é um palhaço tão cretino que alienará todos os aliados e criará guerras com todos os outros, podendo muito bem ser o causador da 3ª Guerra Mundial.

    A única (ténue) esperança ainda parece ser a eventual candidatura de Michael Bloomberg.

  6. lucklucky

    O Obama já se encarregou de alienar todos os aliados. E se alguma 3ºGuerra existir essa terá sempre como ultima causa Obama.
    Mas quem lê o jornalismo e TV’s tugas claro que pensa o contrário.

  7. Catarina

    Maria João, ainda que perceba o seu raciocínio, não lhe parece que pode sair o tiro pela culatra? Ie, caso Mrs Clinton faça um PÉSSIMO trabalho (não será impossível), será utilizado o confirmation bias para alegar que, de facto, mulheres nestas posições é too much too soon…

  8. JS

    Trump, se ganhar as eleições em Novembro nos EUA, será um bom Presidente. Para não dizer que será muito bom para os EUA. Muitos eleitores americanos sobretudo trabalhadores da economia privada (não dependentes do Estado) já apoiam Trump e estão a demonstrá-lo.

    Trump obviamente tem adversa comunicação social dentro e fora dos EUA: não é um político de carreira, muito menos de Washington. Sabemos os limites materiais da informação social.

    Quem não conhece bem o que se passa nos EUA sobre estas eleições deverá filtrar a informação que presentemente prespassa nos media sobre Trump. Há excepções.
    Documentadamente 90% da comunicação social nos EUA é pró partido Democrata, a esquerda nos EUA. A esquerda de Obama, dos Clintons e mesmo de Hollywood.

  9. Joaquim Amado Lopes

    JS,
    Trump tem demonstrado de forma consistente que é um palhaço sem a mínima noção do que é o cargo a que se candidata, seja em termos de poderes ou de responsabilidade.
    Obama contribuiu bastante para desestabilizar ainda mais o Médio Oriente mas Trump é muitíssimo mais perigoso.

  10. JS

    Caro JAL. Respeitando, obviamente, o seu pensar sobre o tema proponho que ambos aguardemos por mais dados sobre as capacidades do personagem Trump. Cordialmente.

  11. Joaquim Amado Lopes

    JS,
    Não me pronunciei sobre as capacidades de Donald Trump, apenas sobre a sua personalidade. Por curiosidade, o JS tem acompanhado o tom e conteúdo das intervenções dele? P.e., construir uma parede na fronteira com o México e forçar este a pagá-la, proibir a entrada de muçulmanos nos EUA, deportar todos os imigrantes ilegais (na ordem dos 11 milhões), ele saber mais de estratégia militar (porque frequentou um liceu “militar”) do que quem cumpriu serviço militar, afirma querer defender a economia dos EUA mas os bonés com o lema da sua campanha (Make America Great Again) foram feitos na China e as gravatas da marca Trump são feitas no México, …

    Donald Trump tem demonstrado abundantemente que é um palhaço irresponsável e ignorante. Mas, se eleito, até pode revelar-se um bom presidente. Afinal, o Presidente actual dos EUA começou o mandato a ganhar o Prémio Nobel da Paz e acabou por só contribuir para piorar a guerra no Médio Oriente.

    Mas esta é a minha opinião e vale exclusivamente para mim. Cada um tem as opiniões que quiser e nem sequer tem que as justificar.
    Cordialmente.

Deixar uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s