O meu voto

Bem sei que uma declaração de voto num candidato às presidenciais neste blog prejudica mais esse candidato que o que o ajuda. Mesmo que, como é o caso, só me vincule a mim e a mais nenhum dos mais de trinta colaboradores d’O Insurgente que terão as suas preferências naturalmente diferentes das minhas. Cá vai.

Lido no twitter: “Não voto Henrique Neto nem que isso me fizesse mais rico que o CR7”

É esta a nossa sina e a nossa desgraça. As qualidades que procuramos nos candidatos a nossos pastores são do domínio do indizível e só ao alcance de alguém com um QI abaixo de 90. Um homem que nunca se vergou, com obra feita, que trabalhou, produziu e criou, quase do nada e sem prejudicar ninguém e apenas à custa dele próprio, que é o único candidato a um cargo político em 40 anos de democracia, que me lembre, com Mundo e vida além das sinecuras e rendas do Estado, da Academia e dos Partidos, é um proscrito. Um homem para quem a ética não “depende” nem “é a lei”. Um homem cuja autoridade vem do que fez e construiu em mais de 70 anos de vida e não dos cargos, lugares ou tachos que nunca desempenhou. Os debates têm mostrado isto mesmo, do lado do Henrique Neto a simplicidade e o conhecimento de alguém com vida além do Orçamento e da choldra, do outro lado, gente que não existe nem presta para coisa nenhuma sem o Estado e a “tacharia” que lhes afaga a conta bancária.

Há uns anos, o Professor Pedro Arroja, ainda no blog Blasfémias, definiu o conceito de “autoridade livre”. Definiu-a como uma autoridade não imposta, livremente aceite por quem se lhe submete sem a discutir e de que são exemplos a autoridade da mãe e do pai e, num contexto mais vasto, a do Papa. Pode extrapolar-se esta autoridade para os que por via de feitos heróicos ou fora do comum a podem deter. Esmiuçando todos os candidatos, do Professor Marcelo ao Tino de Rans (que foi meu recruta no RE3 em Espinho) só um candidato é detentor de “autoridade livre”: Henrique Neto. Pelo que construiu, pelo que viveu, pelo que conhece. Mais nenhum.

Por mim, não me resta qualquer dúvida: Henrique Neto é um dos meus, come como eu, vive como eu, trabalha como eu, tem mais Mundo que eu e, por isso mesmo, o meu voto. Por muito que discorde dele em muita coisa que seria importante se ele fosse candidato a PM, bem sei que não é nada liberal, é um social-democrata. Para o cargo que se candidata, interessa-me pouco e não me esqueço e sei que o cargo de Presidente da República é um cargo unipessoal e que o exerce vale-se essencialmente da sua própria autoridade individual. Não há lugar onde a “autoridade livre” seja mais importante.

28 thoughts on “O meu voto

  1. Zervas

    O Henrique Neto acredita piamente no trabalho honesto como único método (legítimo, sustentável, louvável) de conseguir a prosperidade.
    Não acredita em fábulas que tentam convencer a população de que o sucesso – seja qual for a sua forma, pois cada de um nós crê num tipo de sucesso à sua maneira – virá, não do trabalho, não da virtude, mas da Constituição, do subsídio, de outra coisa qualquer feita de balelas, de roubo. Somos dos povos mais cripto-socialistas da Europa. O português comum elogia e gaba a necessidade, vexa e censura o sucesso.
    Jamais alguém como o Henrique Neto, para mais quando necessitar do voto do português comum, ascenderá a um cargo relevante. É a vida. É o que explica o porquê do português comum respeitar bastante o estado de paralisia quase total em que o país se acha desde há muito tempo.
    Também eu vou votar nele. A minha consciência demanda-o.
    O facto de certa Esquerda o detestar é, para mim, um bom sinal.

  2. Apesar de me ter desiludido ontem no debate com Marcelo (limitou-se a repetir o que já havia dito noutras intervenções, acrescentando apenas uns ataques a Marcelo, para o qual o último já vinha preparado), em princípio terá o meu voto. Os dois são sociais democratas, nenhum me satisfaz, mas do outro lado é tudo pior.

  3. Joaquim Amado Lopes

    Marcelo Rebelo de Sousa já deve andar a fazer as contas a quantos votos “da direita” perdeu a favor de Henrique Neto. Esperemos que sejam os suficientes para termos o Presidente de que precisamos (embora não o mereçamos).

    Henrique Neto a Presidente.

  4. JS

    HFerreira , excelente análise.
    Zervas, Muito bom, o dedo na ferida.
    Os bem pensantes de serviço e a corrupta dependente comunicação social continua a ignorar o cidadão candidato H. Neto.
    E a glorificar a omnisciência balofa de MRdSousa. Mariza demonstrou que com um simples contraditório o reizinho mete os pés pelas mãos, vai, fica nu.

  5. Ccs

    Também eu me identifico com Henrique Neto e nele votarei. Acredito que se mais portugueses o ouvissem, mais nele votariam. Infelizmente os media metem-nos intriguistas marcelos, venenosas marias de belem e novoas abeculas pelos olhos dentro. Para contrariar os media vou convencer tantos familiares e amigos quanto possível a votarem H.Neto. E já reuni um punhado deles.

  6. António Ferreira

    É o único candidato sério. Pelas mesmas razões o meu voto vai ser igual. Mas concordo com o comentário que diz que se está a tornar demasiado repetitivo.

  7. Anonimo

    RE3 é em Paramos! Grande terra, não sabia que aqui tinha gente que por lá tinha passado! Completamente a favor, Henrique Neto destaca-se pelo seu percurso e pelo seu discurso! Receberá o meu voto sem dúvida!

  8. overdork

    Olhem também para o candidato Paulo Morais, presidente da TIP – Transparência e Integridade.. Não sejam tão imparciais..

  9. tina

    Afinal, também vou votar em Henrique Neto. Marcelo é igual aos outros, não tem a fibra necessária para convocar eleições, mesmo que o país esteja a descambar. Marcelo é apenas um artista de circo.

  10. Vasco

    Gostei do discurso, mas Não confio no Henrique Neto.

    Não acredito que seja muito diferente dos candidatos da esquerda. Depois de lá estar vai ser mais um a levar o socialismo ao colo

    Claro que votar na direita do martelo e da foice vai-me dar azia. mas….

  11. tina

    O Baptista da Silva lembrou-se uma anedota. Um homem resolveu casar-se e perguntou a 3 mulheres em que gastariam elas 1 milhão de euros. Uma disse que comprava um apartamento e investia o resto na bolsa. Outra disse que comprava um apartamento e gastava o resto a viajar. A terceira disse que comprava um apartamento e dava o resto à caridade. Com qual ele casou? Com a que tinha as mamas maiores.

  12. Fernando S

    Henrique Neto ainda é membro do Partido Socialista.
    Henrique Neto também não deu qualquer garantia de que convocaria novas eleições uma vez eleito.
    De qualquer modo, a probabilidade de Henrique Neto ir à 2a volta é minima.
    Assim sendo, votar em Henrique Neto à 1a volta é aumentar a possibilidade de ser eleito à 2a volta um candidato da esquerda, provávelmente Sampaio da Nóvoa ou Maria de Belém.
    Eu conto votar em Marcelo Rebelo de Sousa desde a 1a volta.

  13. Eusebio Augusto Alves

    O Baptista admira a Marisa, mas ela não mostra nada! Gosto do que o Neto diz e da coerência com aquilo que fez! No meu sentido de ética não vejo melhor e como não gosto de me abster deve ter o meu voto. Merece!

  14. ainda

    O populista “professor marcelo”.
    Este homem foi educado em berço de ouro de valores morais e sociais. Seus Pais foram pessoas bondosas, de excepção.
    Ele é sem dúvida inteligente. Mais correcto, não será inteligente mas esperto.
    Tem sido um mentiroso e um pulha. Começou com a entrada para o PPD, tendo “renegado” os Pais. Passou pelo expresso onde “dizia mal” do colegas de partido. Com a televisão percebeu o furo porque, na altura, tinha um fácil “bombo da festa”: Guterres. Depois, veio ao de cima a canalhice com as críticas a Santana Lopes e a ausência de críticas a Pinto de Sousa.
    Quem tem vivência cristã poderá sentir o que é um politiqueiro vendo, nos vídeos da Pastora Nacional para a Cultura, a sua entrevista/rábula. E compará-la com as de Assunção Cristas e de Fernando Santos (estes cristãos a sério no meu sentir). Em https://www.youtube.com/user/PastoralCultura/videos há outro exemplo de politiquice: a entrevista de Belém Roseira. Todas as entrevistas conduzidas por M João Avilez.

  15. Joaquim Amado Lopes

    Fernando S,
    “Henrique Neto ainda é membro do Partido Socialista.”
    Marcelo Rebelo de Sousa anda a ultrapassar os candidatos da esquerda pela esquerda.

    “Henrique Neto também não deu qualquer garantia de que convocaria novas eleições uma vez eleito.”
    Marcelo Rebelo de Sousa já mostrou à saciedade que não convocará eleições antecipadas.

    “De qualquer modo, a probabilidade de Henrique Neto ir à 2a volta é minima.”
    Self-fulfilling prophecy.

    “Assim sendo, votar em Henrique Neto à 1a volta é aumentar a possibilidade de ser eleito à 2a volta um candidato da esquerda, provávelmente Sampaio da Nóvoa ou Maria de Belém.”
    Quem possa deixar de votar em Henrique Neto para votar em Marcelo Rebelo, de forma a este ganhar à primeira volta, votará certamente em Marcelo Rebelo de Sousa numa eventual segunda volta em que não esteja Henrique Neto. E, nessa eventual segunda volta, Marcelo Rebelo de Sousa poderá beneficiar de boa parte dos votos dos que tenham votado em Paulo Morais ou Tino de Rans na primeira volta.
    Assim, a probabilidade de Marcelo Rebelo de Sousa ganhar à segunda volta só será menor se o seu adversário fôr precisamente Henrique Neto.

    A sua “lógica” aplicar-se-ia por exemplo a Sampaio da Nódoa e Maria de Belém (Edgar Silva e Marisa Matias não estão realmente a correr pela Presidência; são representantes partidários a aproveitar o tempo de antena, nada mais). Mas, tendo Marcelo Rebelo de Sousa a segunda volta mais do que garantida, essa “lógica” não se aplica de todo a Marcelo Rebelo de Sousa e Henrique Neto.
    Votar em Henrique Neto apenas aumenta a probabilidade de este ir à segunda volta.

  16. Fernando S

    Joaquim Amado Lopes,

    JAL : “Marcelo Rebelo de Sousa anda a ultrapassar os candidatos da esquerda pela esquerda.”

    Marcelo está sobretudo a tentar evitar aparecer como um candidato de direita contra a esquerda. É a unica maneira de conseguir conquistar uma parte do eleitorado de centro esquerda. Se não for assim o mais provável seria um candidato de esquerda (e não Henrique Neto) acabar por ganhar na 2a volta.

    .
    JAL : “Marcelo Rebelo de Sousa já mostrou à saciedade que não convocará eleições antecipadas.”

    Marcelo, fiel à sua estratégia de campanha, não mostrou nada… Nunca disse taxativamente que não convocaria eleições antecipadas. Disse que não tinha essa intenção à partida, antes pelo contrário. Mas também não a excluiu acrescentando que não é possivel antecipar já o que vai acontecer no futuro. O que, de resto, campanhas à parte, até é sensato.

    .
    JAL : “Self-fulfilling prophecy [a probabilidade de Henrique Neto ir à 2a volta é minima].”

    Muito mais é esperar que Henrique Neto passe à 2a volta … juntamente com Marcelo Rebelo de Sousa !!…

    .
    JAL : “Quem possa deixar de votar em Henrique Neto para votar em Marcelo Rebelo, de forma a este ganhar à primeira volta, votará certamente em Marcelo Rebelo de Sousa numa eventual segunda volta em que não esteja Henrique Neto.”

    Henrique Neto não vai estar na 2a volta. Vai certamente estar um dos candidatos da esquerda. Por isso mesmo é que é importante maximizar as chances de uma vitória de Marcelo Rebelo de Sousa à 1a volta ou, havendo 2a volta, conseguir na 1a volta uma vantagem substancial sobre o 2° classificado.

    .
    JAL : “Votar em Henrique Neto apenas aumenta a probabilidade de este ir à segunda volta.”

    Nunca seria suficiente. Henrique Neto não é uma escolha para o grosso dos eleitorados tanto de direita como de esquerda. Votar em Henrique Neto apenas aumenta a probabilidade de uma vitória do candidato de esquerda que for à 2a volta.

  17. Joaquim Amado Lopes

    Fernando S,
    O que escreve sobre Marcelo Rebelo de Sousa só realça os motivos para NÃO votar em Marcelo Rebelo de Sousa.

    Quanto a “Votar em Henrique Neto apenas aumenta a probabilidade de uma vitória do candidato de esquerda que for à 2a volta.”, creio ter explicado no comentário anterior por que razão essa afirmação não faz sentido. Não vale a pena repetir.

  18. Fernando S

    Joaquim Amado Lopes,

    “Não vale a pena [continuar a] repetir” que o que eu afirmo e defendo “não faz sentido” (?!…).
    “Não faz sentido” para si.
    Faz sentido para mim, as sondagens mostram que faz sentido para muita gente, e não é de excluir que os resultados da eleição possam vir a confirmar que faz sentido para uma maioria dos votantes.

  19. Joaquim Amado Lopes

    Fernando S,
    As sondagens não confirmam nem têm forma de confirmar que “Votar em Henrique Neto apenas aumenta a probabilidade de uma vitória do candidato de esquerda que for à 2a volta.”. Apenas indicam que Henrique Neto tem pouquíssimas hipóteses de ir à segunda volta.

    E, como parece que é mesmo necessário repetir:
    1. Os votos que possam eventualmente passar de Henrique Neto para Marcelo Rebelo de Sousa na primeira volta estão mais do que garantidos em Marcelo Rebelo de Sousa numa segunda volta.
    2. Alguns dos votos em Henrique Neto na primeira volta que nunca alinhariam no “voto útil” que o Fernando S defende passarão muito naturalmente para Marcelo Rebelo de Sousa na segunda volta.
    3. Na segunda volta, Marcelo Rebelo de Sousa receberá a esmagadora maioria dos votos em Paulo Morais e Tino de Rans.
    Assim:
    4. Na segunda volta, Marcelo Rebelo de Sousa terá inevitavelmente uma votação maior do que a que teria na primeira volta com o “voto útil” que o Fernando S defende.

    O “voto útil” só se justifica à primeira volta para ajudar um determinado candidato a passar à segunda volta. Como Marcelo Rebelo de Sousa só não irá à segunda volta se ganhar logo à primeira, esse “voto útil” não se justifica.

  20. Fernando S

    Joaquim Amado Lopes,

    Também eu me vou “repetir” …

    Como as sondagens indicam que “Henrique Neto tem pouquíssimas hipóteses de ir à segunda volta” (“pouquissimas” é prátinhamente nenhumas), votar na 1a volta por Henrique Neto e não por Marcelo Rebelo de Sousa diminui a possibilidade de uma vitória deste logo na 1a volta e, caso haja uma 2a volta, diminui a vantagem de Marcelo Rebelo de Sousa sobre o 2° classificado, que será sempre um dos candidatos de esquerda e nunca Henrique Neto, pelo que prejudica uma “dinâmica vencedora” tão necessária a qualquer candidato da área da direita contra a “maioria de esquerda”.
    Ou seja, diminui a probabilidade de uma vitória de Marcelo Rebelo de Sousa tanto numa 1a como numa 2a volta e, consequentemente, aumenta a probabilidade de uma vitória do candidato da esquerda que passar à 2a volta (e que não será certamente o militante socialista Henrique Neto mas sim Sampaio da Nóvoa ou Maria de Belém).
    Se o Joaquim se sente confortável em estar a fazer uma campanha que objectivamente favorece uma eventual vitória da esquerda então continue a apelar ao voto em Henrique Neto na 1a volta.

    .
    JAL : “1. Os votos que possam eventualmente passar de Henrique Neto para Marcelo Rebelo de Sousa na primeira volta estão mais do que garantidos em Marcelo Rebelo de Sousa numa segunda volta.”

    A melhor maneira de diminuir as possibilidades de uma vitória de candidato da esquerda que for a uma 2a volta é … contribuir para que Marcelo Rebelo de Sousa seja eleito logo na 1a volta.
    De qualquer modo, numa eventual 2a volta, o problema não é tanto o que acontece aos votos de Henrique Neto na 1a volta, que o Joaquim garante que irão para Marcelo na 2a volta, mas antes como vão votar na 2a volta os restantes eleitores, votantes e abstencionistas na 1a volta. A “dinâmica vencedora” tem precisamente a ver com estes eleitores.

    .
    JAL : “2. Alguns dos votos em Henrique Neto na primeira volta que nunca alinhariam no “voto útil” que o Fernando S defende passarão muito naturalmente para Marcelo Rebelo de Sousa na segunda volta.”

    Se percebi bem, o Joaquim, que vota em Henrique Neto na 1a volta, não tenciona votar em Marcelo Rebelo de Sousa na 2a volta. É assim ?!…

    .
    JAL : “3. Na segunda volta, Marcelo Rebelo de Sousa receberá a esmagadora maioria dos votos em Paulo Morais e Tino de Rans.”

    Esperemos que sim mas não estou assim tão seguro e, sobretudo, não creio que seja uma “mão cheia” !…

    .
    JAL : “4. Na segunda volta, Marcelo Rebelo de Sousa terá inevitavelmente uma votação maior do que a que teria na primeira volta com o “voto útil” que o Fernando S defende.”

    Efectivamente, é o que acontece normalmente nas 2as voltas quando há uma grande dispersão de candidaturas na respectiva primeira volta.
    Mas isto não garante de modo nenhum uma vitória de Marcelo Rebelo de Sousa na 2a volta. Sobretudo se a votação em Marcelo na 1a volta não lhe der uma vantagem muito expressiva sobre o candidato da esquerda que passar à 2a volta.
    O mais seguro para evitar uma eventual vitória da esquerda é mesmo que Marcelo Rebelo de Sousa seja eleito logo à 1a volta.

    .
    JAL : “O “voto útil” só se justifica à primeira volta para ajudar um determinado candidato a passar à segunda volta. Como Marcelo Rebelo de Sousa só não irá à segunda volta se ganhar logo à primeira, esse “voto útil” não se justifica.”

    Neste caso, o “voto útil” é votar em Marcelo Rebelo de Sousa logo à 1a volta para tentar evitar uma 2a volta, na qual o candidato da esquerda teria à partida uma vantagem teórica, a da “maioria de esquerda” (como se viu recentemente, esta “maioria de esquerda” existe sobretudo para “barrar o caminho à direita”).

  21. Joaquim Amado Lopes

    JAL : “2. Alguns dos votos em Henrique Neto na primeira volta que nunca alinhariam no “voto útil” que o Fernando S defende passarão muito naturalmente para Marcelo Rebelo de Sousa na segunda volta.”
    Fernando S: “Se percebi bem, o Joaquim, que vota em Henrique Neto na 1a volta, não tenciona votar em Marcelo Rebelo de Sousa na 2a volta. É assim ?!…”

    “ALGUNS dos votos”, não “TODOS os votos”.

    Henrique Neto não é de todo o candidato ideal para mim. Não apenas tem uma visão socialista da sociedade como tem já 79 anos. Mas, de todos os candidatos, é claramente o que melhor se adequa ao perfil de Presidente da República e o único que se destaca o suficiente para valer a pena votar nele.
    Dos restantes, Marcelo Rebelo de Sousa até poderá ser o menos mau mas não é suficientemente menos mau para merecer o meu voto. Assim e como já afirmei explicitamente, se houver segunda volta e Henrique Neto não estiver no boletim votarei nulo.
    Ganhar Marcelo Rebelo de Sousa ou Maria de Belém parece-me indiferente e, se fôr Sampaio da Nóvoa a passar à segunda volta e os portugueses o elegerem, teremos como Chefe de Estado exactamente a nódoa que merecemos. Mesmo que seja eleito pela diferença mínima do voto que não darei a Marcelo Rebelo de Sousa.

    E continua a insistir em que uma vitória de Marcelo Rebelo de Sousa será uma vitória da “direita”.
    Bem, será uma vitória do candidato que (não entendo como) os partidos da “direita” apoiam mas definitivamente não será uma vitória da “direita”, já que Marcelo Rebelo de Sousa está a fazer uma campanha “à esquerda” da maioria dos candidatos da “esquerda”. De qualquer forma, ele tem demonstrado uma “flexibilidade” em termos de princípios que tornam irrelevante (hipócrita?) o posicionamento ideológico que reclame.

    Relativamente ao resto, está tudo dito e repetido. Por mim, não vale a pena continuar a insistir.

  22. Fernando S

    JAL : “Bem, será uma vitória do candidato que (não entendo como) os partidos da “direita” apoiam mas definitivamente não será uma vitória da “direita”, já que Marcelo Rebelo de Sousa está a fazer uma campanha “à esquerda” da maioria dos candidatos da “esquerda”.”

    Bom, quem define o que é de “direita” não sou eu nem é o Joaquim. Felizmente.
    A verdade é que Marcelo Rebelo de Sousa é o unico candidato elegivel que vem da área politica da direita, que é apoiado pelos partidos da direita, e que a generalidade das pessoas, incluindo as de esquerda, apreende como sendo um candidato de direita.

    Eu entendo o apoio dos partidos da direita.
    Apoio que não é entusiasta mas conformado tendo em conta aquilo que distingue e separa Marcelo Rebelo de Sousa da linha actualmente dominante no PSD, a de Passos Coelho, mais liberal ou menos “social-democrata”.
    Acontece que, de todos os candidatos imagináveis e efectivos, é aquele que, tendo mais probabilidades de poder vencer a eleição, mais se aproxima do perfil que à direita se considera mais adequado para o desempenho da função presidencial.
    Este perfil não é o de uma pessoa que represente simplesmente as posições programáticas da direita (mas não deve estar completamente desalinhada, naturalmente) mas antes o de uma pessoa que seja capaz de estar acima dos partidos e de respeitar e desempenhar as competências previstas na Constituição em vigor (que tenha portanto alguma independência mesmo relativamente à sua própria área politica).
    No fim de contas, Marcelo aparece como o unico candidato que não é de esquerda e que tem alguma possibilidade de vencer a eleição, evitando assim que o pais possa vir a ter nos proximos tempos um Presidente alinhado à esquerda.

    Marcelo Rebelo de Sousa não está a fazer uma “campanha à esquerda”.
    O que está a tentar fazer é evitar que os candidatos de esquerda o colem completamente à direita partidária e programática.
    Porque, desde logo, não corresponde à verdade. É verdade que Marcelo é da área da politica da direita mas, como toda a gente sabe, não é verdade que seja um fiel representante e defensor de tudo o que os partidos da direita teem defendido e defendem.
    E porque, se a esquerda conseguisse colá-lo à direita, isso comprometeria muito sériamente as suas chances de ganhar esta eleição.
    Esta preocupação em conseguir manter uma imagem de indepencia e esta estratégia de alargamento da sua base eleitoral, o que é perfeitamente compreensivel e legitimo, obriga-o por vezes a uma grande “ginástica” discursiva e argumentativa.
    Mas não é por isso que passa a estar mais à esquerda do que a generalidade dos outros candidatos.
    Em geral, o que Marcelo Rebelo de Sousa diz é que, independentemente das suas opiniões e posicionamentos pessoais, no passado e ainda hoje tendencialmente mais à direita, se fosse Presidente não se oporia por razões ideológicas a propostas de lei da competencia do governo que tivessem sido adoptadas por maioria parlamentar : por exemplo, a abolição das taxas moderadoras para IVGs, o orçamento rectificativo por causa do Banif, etc.
    No fim de contas, é aquilo que faria qualquer outro Presidente minimamente equilibrado, incluindo o que ainda está em funções, Cavaco Silva, que não é de esquerda.

  23. Nulo

    Eu não voto em Marcelo porque acho que o objectivo da sua candidatura, manifestação de arrogancia narcísica, não passa de, à laia de cereja no topo do bolo, de pretendido grande final apoteótico numa carreira de cromo pulhítico que pretende que perdure, em nicho próprio, na memória colectiva e conquiste lugar nos curricúlos escolares.
    Não vai para servir mas servir-se!
    Do degrau de Belém só lhe interessa o lugar na parede da galeria da presidência, já deve até ter o artista escolhido, o resto, ao fim e ao cabo, é o preço a pagar, uma chatice que convém não deixar empolar. Marcelo não é opção!
    Para abreviar, Henrique Neto pode não ser óptimo mas é a boa escolha da oferta presente.

  24. Fernando S

    Nulo : “Marcelo não é opção! Para abreviar, Henrique Neto pode não ser óptimo mas é a boa escolha da oferta presente.”

    Mais um que não “chupa” Marcelo como pessoa e como politico mas que se sente confortável com a possibilidade do próximo Presidente ser o candidatos da esquerda que passar à 2a volta e que vai ter então todo o apoio de António Costa e os votos da “maioria de esquerda” !
    Ou seja, mais um passo a caminho do “grand chelem” : um Presidente de esquerda, um governo de esquerda, uma maioria de esquerda !!

Deixar uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s