Há disciplina de voto no PS

António Costa, depois da reunião com o Presidente da República, disse que “estão criadas condições para que o PS possa formar um governo que disponha de um apoio maioritário na Assembleia da República e que assegure condições de estabilidade no país”.

Dúvida: Costa fala por todos os deputados do Partido Socialista? Com a divulgação de várias críticas internas talvez fosse bom esclarecer isso primeiro. Mas o melhor local é mesmo no Parlamento.

13 pensamentos sobre “Há disciplina de voto no PS

  1. Daniel Marques

    O Antonio Costa perdeu as eleicoes porque pensa que os portugueses (ou se calhar, todos os outros que nao ele) sao burros e ainda nao se deu conta que ja o topamos. Esperemos que o Cavaco nao se deixe enganar, tal como os portugueses nao se deixaram.

  2. Gil

    É isso que, em minha opinião, vai ser feito: Passos Coelho terá oportunidade de submeter a sua proposta de governo ao Parlamento. Desse modo, Cavaco tira teimas quanto à dúvida avançada por BZ. Isto porque o PR sabe que a única hipótese de “estabilidade” (seja isso o que for) de que a coligação pode beneficiar, depende mais do PS do que de si própria (dando como certo, claro está, que não vai contar com qualquer cedência do BE ou do PC). Ora, esta evidência é, também, o que torna absurdos muitos dos argumentos que por aqui têm circulado que quase parece defenderem que a oposição tem a obrigação de suportar um governo e um programa com que não concordem.

  3. tina

    Tem de dizer “há condições” porque não pode dizer que há acordo, pois não há nenhum acordo. E julga que é assim com este paleio superficial e enganador que pode formar um governo. Está tão viciado em enganar as pessoas, o discurso dele não passa disso, como dizer coisas de uma forma habilidosa. Não é um homem, é uma minhoca.

  4. Há acordo na Segunda, desacordo na Terça, desavenças na Quarta, beijinhos na Quinta e alguém dorme no sofá na Sexta.

    Por mais do que uma razão, não gostaria de ser casado com a Catarina. (aliás, se o fosse seria o primeiro proponente do chador em Portugal, menos por decoro que por vergonha)

  5. Georgina Santos Monteiro

    @ Gil
    Não! As coisas, o tema é muito mais complexo, e não se resume só à festa do parlamento. A oposição burra vai se lixar, como os pobres costumam dizer? A realidade não se conforma com as irresponsabilidades dos Costas, dos Ferros Rodrigues e dos demais.

    Esta esquerda vai perder.

    @ tina
    Exacto, muito bem!! Minhoca!!

  6. jo

    Se não há disciplina de voto para votar o OE, então não há disciplina de voto para nada. Não me parece que seja isso que o PSD e o CDS defendam para os seus deputados.

  7. Pinguinhas da Atalaia

    Limpinho.
    Socialistas costistas, socialistas verdadeiro, comunas, bloquistas metido no mesmo saco vai sair gataria pela certa.
    O senhor césar diz que só mostra o acordo depois da indigitação.
    Grande trafulha
    Grande aldrabão
    Cá está um exemplo de socialista costista

  8. PBS

    A mim parece-me que António Costa sente que basta convencer o BE a entrar, que à partida o PCP será obrigado a ir atrás porque não quer ficar com o onus daquele que impediu um governo de esquerda.

  9. Carlos

    Suponho que no máximo irão haver algumas “abstenções violentas” mas que não ponham em causa o essencial… tirando isso, a aritmética tem mesmo muita força.

  10. Nuno

    Independentemente de haver disciplina de voto, a constituição diz que os deputados exercem livremente o seu mandato. Logo, o PR não pode presumir como vão votar. Além de que é positivo que votem, e que fique para a história como votaram.

    Tiveram 15 dias para se entender. Chegaram à reunião com o PR sem um compromisso escrito de que votam favoravelmente o orçamento.

    O país pode perfeitamente esperar mais 15 dias (enquanto chumbam o governo PSD+CDS) pelo dito compromisso, antes de indigitar o Costa, que neste momento aparenta ter tantas condições de aprovar um orçamento como Passos.

    PS+BE têm menos 3 deputados que a PSD+CDS. Assumindo que PSD+CDS votam contra (e é legítimo que o façam), o Costa precisa dos votos favoráveis do PAN, do PEV e da abstenção do PCP para aprovar o orçamento.

    Qualquer coisa a menos que o compromisso do PS, BE, PAN e PEV (de votar favoravelmente) e do PCP (de se abster) é inadmissível.

  11. Fernando S

    Ninguém é bruxo mas o cenario mais provavel está-se infelizmente a desenhar.
    O PR vai empossar Passos Coelho como PM.
    O programa do novo governo PàF vai ser chumbado no Parlamento.
    O PR chama Antonio Costa.
    O programa do novo governo passa com os votos favoraveis do BE, PEV e PAN e a abstenção do PCP.
    Com um governo de esquerda e a aplicação das medidas anti-austeridade já anunciadas a situação financeira e economica do pais vai degradar-se rapidamente.
    O governo vai ter de tomar medidas para tapar os buracos financeiros.
    A “maioria de esquerda” vai ficar em frangalhos.
    Os partidos da coligação vão viabilizar algumas das medidas de emergencia.
    Mas novas eleições vão ser inevitaveis, mais cedo ou mais tarde (vai depender da avaliação do PR).
    A direita vai obter a maior maioria absoluta de sempre.
    Mas entretanto iremos certamente pagar um custo elevado pela aventura em que Antonio Costa e o PS estão a querer embarcar o pais.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.