Tradução da entrevista de António Costa

“As negociações à esquerda estão a correr bastante melhor do que à direita”

Tradução: Se eu conseguir um acordo à esquerda, serei primeiro-ministro. Se eu conseguir um acordo à direita, Passos Coelho será primeiro-ministro e eu serei mais um defunto político devorado por aqueles que me apoiaram.

“Eu ando na política desde os 14 anos”

Tradução: Eu não ando há 40 anos a trabalhar para ser primeiro-ministro apenas para desistir agora só porque fui derrotado numas eleições.

“Não quero o poder a todo o custo”

Tradução: só quem quer o poder a todo o custo precisa de vir dizer que não quer o poder a todo o custo.

“A coligação anda a esconder a realidade do resto do país”

Tradução: Independentemente do meu programa, ou do que acordar com o BE e PCP, a austeridade é para continuar, mas a culpa é do anterior governo que não fez austeridade suficiente para agora podermos gastar à vontade.

8 pensamentos sobre “Tradução da entrevista de António Costa

  1. JP-A

    Ou eu ou a revelação do caos que aí vem = retrato de um patriota. Na última Quadratura a declaração de Jorge Coelho é muito clara, apesar de envergonhada: o doutor Costa esperava que a proposta da direita o considerasse como Ministro. Ainda o vamos ouvir (ou melhor, os seus agentes oficiosos, porque esta gente não o faz diretamente) enxovalhar o presidente. Preparem-se para o homem dos estaleiros de Viana do Castelo e afins.

  2. oscar maximo

    Muito bem, mas a mim bastou-me esta: não foi o PS que chamou a troica.
    Tradução: sou um grande vigarista.

  3. JP-A

    Outra coisa muito interessante no discurso é a maneira manhosa como ele coloca a decisão nas mãos dele e do actual PM em função dos resultados da formação de uma maioria, que é um processo liderado, imagine-se, por ele próprio, sendo ele o único com condições de o fazer, como vai avisando. O PR torna-se num mero objeto, que se submeterá ao resultado obtido, e a quem cabe ajoelhar-se perante o doutor Costa Concórdia e o PS, procedendo à mera formalização. É nestas alturas que gostava de ter o Alberto João Jardim como PR por cinco minutos.

  4. queima beatas

    Ultimato a António Costa. Justifica e demonstra a atoarda que lançou de que o governo está a esconder a verdadeira situação financeira do País ou acaba-se desde já com qualquer conversa escrita ou falada. Aqui fica este recado para Passos Coelho que deve em definitivo dar um nó cego a este aventureiro de pacotilha que ao fim e ao cabo está a menorizar a condição do PCP E Bloco como partidos de protesto, assumindo de forma disfarçada essa liderança vestido de pânico e desespero para salvar a própria pele de politico falido. Procure no sector privado ocupação compatível com as suas duvidosas competências.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.