O revogável António Costa

Screen Shot 2015-09-15 at 13.41.18Screen Shot 2015-09-15 at 13.34.05

Screen Shot 2015-09-15 at 13.36.14

Screen Shot 2015-09-15 at 13.35.22

 

 

 

 

Responde assim António Costa numa entrevista à Visão, datada de 2006-11-09. O líder do PS que não ia, queria ou perspectivava ser líder. O candidato a Primeiro Ministro que afirmava peremptoriamente que nunca seria candidato a líder do PS. Infelizmente para António José Seguro, António Costa revogou o que havia dito antes.

14 pensamentos sobre “O revogável António Costa

  1. waldorf

    “Digo que nunca emigrarei, não são essas as minhas ambições e não percebo a obsessão de se discutir esse futuro improvável da minha existência, que não está na ordem do dia nem se perspectiva que venha a estar.”
    Resposta de milhares de portugueses, a uma eventual pergunta sobre emigração em 2006.

    8 anos é muito tempo, não são dez dias.

  2. docj

    Sou claramente anti Costa e PS mas não gosto de criticas cegas…
    Mudar de ideias é uma virtude e não uma falha. Aquele que não muda de ideias, não aprende, não evolui e portanto não interessa ao país.
    Voltem à crítica objectiva ou não serão mais que eles.

  3. JP-A

    Tretas! O Costa Concórdia está a tentar fazer a Portugal exatamente o que fez no PS. Deixa a parte difícil para os outros resolverem e quando chega a hora certa apresenta-se como salvador de uma situação em que foi parte ativa. Claro que para o fazer, tem de pintar o cenário como sendo de desgraça, para que a sua salvação ganhe sentido. O que é espantoso, é que ainda tem o desplante de ir à quadratura e dizer que estas fases como a 2011-2014, depois da saída do governo, são muito desgastantes para o líder da oposição. Pois é! Tem razão.

    Quando o Seguro avançou já toda a gente sabia que era um cordeirinho com hora marcada para o sacrifício no altar lá do partido. Até os amigos o avisaram. Só que ele, coitado, não acreditou. Quando o PS voltar à estaca zero, vai pagar o preços destas asneiras todas, porque ninguém vai querer liderar aquilo, ainda por cima no meio da manada de incompetentes e responsáveis pela situação à sombra do teto do parlamento.

    Volto a perguntar: porque desapareceram completamente as figuras socráticas do ecrã junto a Costa? Desapareceram mesmo ou estão a fingir que desapareceram? É que qualquer dos cenários tem um significado muito profundo.

  4. Vamos lá defender AC. Não esquecer que em 2006 estávamos em pleno reinado de Sócrates, andava tudo excitado com ele, até alguma direita, ora sendo seu número 2, todo o cuidado era pouco, qualquer ambição de liderança podia ser exemplarmente punida 🙂

  5. JP-A

    Sem que ninguém reparasse (ou fingindo não ter reparado, porque não convém), porque é apenas e talvez a questão mais importante para o futuro de Portugal, as afirmações recentes de Costa sobre a necessidade de o país ter acordos alargados nas questões centrais (que há meses não tinham a sua concordância porque para o partido dele tudo o que é feito no último ano de uma legislatura não tem legitimidade, exceto o licenciamento do Freeport no último dia, claro) foram deitadas ao caixote do lixo. Ele foi muito claro no que disse. O PS não colaborará em nada a não ser que sejam eles a mandar e a ditar.

    Aguardemos para ver a cambalhota do homem com este adiamento do BPN, depois do que andou a dizer sobre outros casos.

  6. Ricardo Monteiro

    Pior: ele aos 10 anos queria ser bombeiro. Enfim. Nunca mais acabam as eleições para podermos vir ao Insurgente sem levar com os Ultras PSD, NN PS ou a Juve CDS.

  7. Revoltado

    Claro que toda a gente tem direito a mudar de opinião. Foscas-se o tanas se assim não fosse. Agora para alguém que, como este “sr.” Costa, anda por aí armado em moralista convém não ter telhados de vidro. Para quem gosta de ditados populares, fica aqui mais um: “quem com ferros mata, com ferros morre”. Perguntem ao Seguro se ele concorda.

  8. Uma nota. Uma coisa é dizer «não estou interessado, não é oportuno, não penso nisso, não me apetece, não é o tempo». Isso muda com o tempo. Outra coisa é dizer «nunca serei». É taxativo. Lá está, nunca diga nunca.

  9. David

    É como aquele que dizia que não ia cortar salários, que nunca tinha pensado em cortar pensões, que as gorduras do estado cobriam coisas disparatadas como cortar o 13º mês.
    Ou ainda melhor, como um tal de Portas que em tempos dizia que nunca seria politico!

    Haja decência na critica pf!

  10. Filipe Figueiredo

    acho que com isto se faz cheque-mate (ou não…), mas aqui http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=27&did=94679 está um bom exempo do demagogo ,´revogável´ e enganador que este líder é.

    ahhh, e depois o bom ´Público´ continua a fazer procuras na internet muito mal (andarão com preguicite?), ou contextualizando e truncando a seu bel-prazer (volta JMF, volta…): http://www.publico.pt/politica/noticia/a-prova-dos-factos-antonio-costa-prometeu-ficar-na-camara-de-lisboa-ate-2015-1707868?frm=pop

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.