Ramiro Marques sobre controlo da linguagem e do pensamento

Reproduzo de seguida um texto enviado por Ramiro Marques:

Controla a linguagem e és dono do pensamento

Ramiro Marques

“Two programmes taught at Washington State University have set out clear restrictions upon the language students can use, banning terms such as “The Man”, “Coloured People” and “Illegals/ Illegal Aliens”. The terms have been forbidden by certain professors on the basis that they are “oppressive and hateful”, according to one of the syllabuses reported by Campus Reform.” (Fonte: The Independent, 31 de agosto de 2015).

A intolerância cresce nas universidades sob o lema e o programa político “controla a linguagem e és dono do pensamento”. Como é que os novos marxismos totalitários estão a usar o controlo dos departamentos de ciências sociais e humanas das universidades para impor uma nova linguagem ao serviço de um projeto político e ideológico que visa arrasar com o cânone cultural ocidental? A principal estratégia é o reforço da censura sobre a linguagem. O controlo da linguagem é a primeira fonte de doutrinação. Uma vez amestrados, os jovens estudantes ficam preparados para aceitar a censura como natural porque imposta sob o pretexto da promoção da igualdade. Quando a domesticação cultural e linguística estiver concluída, os próprios jovens se encarregarão de, através da autocensura, fazerem uso acrítico da nova linguagem sem se aperceberem que são sujeitos passivos de um experimentalismo político que visa o controlo total da sociedade através da destruição da “velha” cultura, tida como opressora das minorias, e a sua substituição pela mais radical das igualdades: a ausência de masculino e feminino como resultado da diferenciação biológica. Tome-se nota: “Tutors have been requested to consider asking students which pronouns they wish to be addressed by, warning against assuming gender-binary pronouns “he” and “she”. (Fonte: The Independent).

O objetivo último é impedir os estudantes do uso do pensamento crítico. Ao contrário do que pensam os neomarxistas, a linguagem é uma criação espontânea que resulta numa ordem constantemente reinventada pelas pessoas comuns que constituem o universo dos falantes. Não é a elite que cria a linguagem. Tão pouco a elite académica. A norma linguística impõe-se pela tradição e não pela pela autoridade de uma elite, ainda que essa elite se apresente como iluminada, portadora do futuro ou representante de grupos oprimidos que precisam de ser resgatados. O controlo dos departamentos de educação e ciências sociais pelos neomarxistas, através das suas inúmeras máscaras, permite-lhes inverter a realidade, impondo aos jovens estudantes critérios de avaliação que incluem a penalização dos que resistem a alinhar no processo de destruição/reconstrução linguística imposto pelos iluminados. Tome-se nota: “A further course entitled “Introduction to Comparative Ethics Studies” taught by Professor Rebecca Fowler also states that the use of “inappropriate terminology” will impact on students’ grades, “with the deduction of one point per incident”. (Fonte: The Independent).

A norma linguística deixa de ser o resultado de um lento processo de criação feito pelas pessoas comuns ao longo de muitas gerações e passa a ser o resultado do experimentalismo político tutelado pela elite académica que, para isso e quando necessário, usa a autoridade para reprimir os resistentes ao processo de destruição/reconstrução linguística tutelado por extremistas iluminados.

Fonte: http://www.independent.co.uk/news/education/education-news/university-to-mark-down-students-who-say-illegal-immigrants-in-class-10478643.html

Anúncios

13 thoughts on “Ramiro Marques sobre controlo da linguagem e do pensamento

  1. Joao Bettencourt

    “The Greek myth [o rapto de Persefone] has been recounted for thousands of years in hundreds of languages, scores of countries and countless works of art. It’s considered a cultural touchstone for Western civilization: a parable about power, lust and grief.

    Now, however, it could be getting a treatment it’s never had before: a trigger warning.

    In an op-ed in the student newspaper, four Columbia University undergrads have called on the school to implement trigger warnings — alerts about potentially distressing material — even for classics like Greek mythology or Roman poetry.”

    ““Ovid’s ‘Metamorphoses’ is a fixture of Lit Hum, but like so many texts in the Western canon, it contains triggering and offensive material that marginalizes student identities in the classroom,” wrote the four students, who are members of Columbia’s Multicultural Affairs Advisory Board. “These texts, wrought with histories and narratives of exclusion and oppression, can be difficult to read and discuss as a survivor, a person of color, or a student from a low-income background.””

    http://www.washingtonpost.com/news/morning-mix/wp/2015/05/14/columbia-students-claim-greek-mythology-needs-a-trigger-warning/

    Como se pode ver, o objectivo do multiculturalismo (aka marxismo cultural) e o de destruir a civilização ocidental.

  2. Kubo

    George Orwell sempre:

    “Se o pensamento corrompe a linguagem, a linguagem também pode corromper o pensamento”.

    Como de há muito o pensamento das Elites está corrompido, segue-se impôr a corrupção da linguagem…

    Desta forma ninguém discerne a corrupta indigência das Elites predominantes…

  3. Fernão Magalhães

    Muito rapidamente as nossas universidades vão importar estas ideias do EUA; ok é o famoso vilão da esquerda “EUA” mas como agora tem um commy como presidente já vai interessar… e nas nossas universidades se não se defender os ideais de esquerda é posto de lado… veja-se o António Borges criticado pela suposta “comunidade académica” por dizer a verdade e que cujo cv equivale a 1% do dele.

  4. Gaius Octavius

    Longe vão os tempos em que a luta dos intelectuais de esquerda era “somente” tentar fazer com que os inocentes e angélicos proletários se virassem contra os malévolos e exploradores patrões que lhes sacavam a “mais-valia”. Actualmente as causas da esquerda estão num patamar de absurdidade completamente novo.

  5. lucklucky

    O centro do Marxismo mundial são hoje os países Anglo-Saxónicos como os EUA e a Inglaterra.

    Não é por acaso que as pessoas de Esquerda vão para os Media e as Universidades.
    O Puritanismo só se pode existir com propaganda.
    A Religião do Puritanismo hoje é a Política e os seus padres os Jornalistas e Professores…

  6. Joao Bettencourt

    “guna em Setembro 2, 2015 às 05:25 disse:”

    Seria cómico se não mostrasse uma triste e cavalar dose de ignorância. Da RAE:
    zorro.
    4. m. coloq. Hombre que afecta simpleza e insulsez, especialmente por no trabajar, y hace tarda y pesadamente las cosas.
    perro2.
    3. m. Persona despreciable.
    aventurero, ra.
    2. adj. Dicho de una persona: De oscuros o malos antecedentes, sin oficio ni profesión, y que por medios desconocidos o reprobados trata de conquistar en la sociedad un puesto que no le corresponde. U. m. c. s.

    Como vê, a língua castelhana e infinitamente mais rica do que as suas palas lhe permitem perceber.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s