Insultos aos salvadores do governo grego

Greek politics 2015
Pequeno carro da oposição ajuda governo a passar medidas anti-populares do governo do Syriza. Enquanto isso, o Syriza continua a insultar a oposição com insultos como colaboracionistas ou nazis.

Em Portugal também acontece este nível de insultos a quem, mal ou bem, está a salvar o país da bancarrota. Mas na Grécia neste momento ainda é mais evidente: a direita grega apoia o governo do Syriza, sem o qual aquele nem andava, e ainda é “nazi”.

PS: Nazi quer dizer, literalmente, nacional socialista. O que ainda consegue adicionar mais um nível de ironia neste episódio.

 

6 pensamentos sobre “Insultos aos salvadores do governo grego

  1. Joaquim Amado Lopes

    Chama-se a isso “respeito democrático”. É muito comum nos mais vocais, intolerantes e violentos defensores da imposição da sua vontade minoritária a todos os outros.

  2. Joaquim Amado Lopes

    Simão,
    Ainda bem que os gregos estão satisfeitos com o Sr. Tsipras.
    Só por curiosidade, nessa sondagem os gregos dizem que estão satisfeitos com ele pelo fim da austeridade ou por ter assinado um acordo com muita austeridade?

  3. A. R

    “dizem que estão satisfeitos com ele pelo fim da austeridade ou por ter assinado um acordo com muita austeridade?” É o agradecimento ao comandante que ordena não executar o fuzilamento. Mas estas osgas estalinistas sonham sempre ter um respaldo popular tal é a escassez histórica do mesmo

  4. tina

    Os resultados aos fim de 6 meses de Syriza podem então ser resumidos simplesmente como:
    Dignidade = 0 Austeridade = 10. Gente tão bazófia assim nunca se viu.

  5. maria

    Ainda vai haver choro e ranger de dentes.

    “O vice-chanceler alemão e ministro da Economia, Sigmar Gabriel, rejeitou os ataques à forma como o governo alemão geriu a crise grega. Numa entrevista ao canal ZDF, já parcialmente divulgada, Gabriel sublinhou que era irrealista para a Alemanha assumir um risco tão elevado, sem exigir uma mudança de comportamento ao governo grego.

    “Então teríamos de fazer o mesmo com a Itália, Espanha Portugal” e a “zona euro não iria conseguir sobreviver”. Apesar desta defesa da posição de Berlim, o vice-chanceler, que é o líder SPD, partido da coligação que forma governo, criticou a sugestão do ministro das Finanças, Wolfgang Schaeuble, de que a Grécia deveria considerar uma saída temporária da zona euro.

    “Na minha opinião, não é razoável apresentar esta ideia como uma sugestão alemã”. Schaeuble sabe que para o SPD (partido social de democrata), a única altura em que deve discutir a saída da Grécia do euro, é quando os gregos quiserem sair, acrescentou. A entrevista será emitida domingo à noite.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.