A Hipocrisia dos “Charlies”

Rui Sinel de Cordes no seu Facebook:

Um dia inteiro disto. Quase tão agoniante como o atentado de Paris, é ter passado um dia inteiro a ver e ouvir certos humoristas, produtores, directores de programação, editores criativos e outros agentes artísticos a dizerem que “são o Charlie”.
Humoristas que afirmam que gostam de humor negro mas que fazem outro porque dizem que dá mais dinheiro e menos problemas. Produtores que estão ao serviço de grandes marcas e censuram estilos e temáticas. Directores que me dizem que gostam de mim mas que não me podem contratar por temerem as reacções do público acéfalo. Editores criativos que me pedem humor “que não ofenda ninguém”. E outros agentes artísticos que bloqueiam a minha entrada em salas de Teatro e de outros colegas como eu, porque o nosso stand-up não é clean.
Hoje, são todos o Charlie.
Vocês são o Charlie? Tenham vergonha.
Vocês são é o caralho que vos foda.

12 pensamentos sobre “A Hipocrisia dos “Charlies”

  1. O Rui está é com azia! Está a confundir liberdade de expressão com falta de mercado para o humor dele… Todos somos livres de debitar as baboseiras que quisermos, agora fazer disso vida e viver à conta disso já é mais difícil e não tem nada a ver com liberdade de expressão… Liberdade de expressão não tem nada a ver com obrigar os outros a ouvir as nossas opiniões ou a pagar para ouvir as nossas opiniões.

  2. Eu não sei se é “falta de mercado” ou outra coisa qualquer mas também me parece que o RSC está a confundir a liberdade de expressão com algum tipo de direito sobre terceiros.

  3. lucklucky

    Ele meramente aponta a contradição daqueles que se dizem Charlie mas não querem ofender ninguém,. Então não podem clamar ser Charlie, ou qualquer coisa parecida.

    Neste caso sem sátira ao Islão não se é Charlie Hebdo.
    Um slogan a dizer Je Suis Charlie não significa nada. Um cartoon a gozar com Mohamede já significa ser Charlie, pois é essa a razão.

  4. Miguel A. Baptista

    De facto dizer “Eu sou Charlie”, é ambígua.

    Por exemplo “Eu não sou Charlie” porque entendo que o humor deve ter limites nomeadamente os que podem ferir o outro. Assim entendo que assuntos como a religião, a raça, ou a não-castidade da progenitora do meu interlocutor devem ser abordados com bom senso, simplesmente porque não devo fazer sofrer e causar mau estar ao outro. Mas isso é o que eu penso, e uma sociedade liberal não é exactamente aquilo que um ser humano único pensa, isso é uma sociedade autocrática ou ditatorial.

    Quando falamos em liberdade não falamos em liberdade de ouvir música clássica pois com essa todos concordamos. A liberdade comporta também que as pessoas possam fazer algumas coisas com que eventualmente não concordemos como fumar uns charros ou desenhar cartoons blasfemos. E nesse sentido “Eu sou Charlie”.

  5. Pipo

    O RSC não tem razão.
    Não há nenhum problema em fazer humor “limpinho” ou em não querer ofender ninguém. Há excelente humor “limpinho” que não ofende ninguém. O humor ou a liberdade de expressão não existem porque DEVEM ser isto ou aquilo. A liberdade de expressão não existe apenas para “dizer a verdade” ou “dizer as coisas como elas são”. Se o RSC quiser ser ofensivo, deve ter todo o direito de sê-lo e este direito deve ser defendido por todos.
    Mas o RSC não deve confundir o atentado à liberdade de expressão com o gosto das pessoas, dos profissionais e das marcas. Ele tem o direito de dizer o que quiser. Mas o público não tem obrigação alguma de o ouvir ou pagar.
    São coisas totalmente diferentes.

  6. lucklucky

    RSC limitou-se a comparar quem se diz Charlie Hebdo sem fazer nada do que identifica o ser Charlie Hebdo.

  7. JPT

    Eu acho imensa piada ao Rui Sinel de Cordes, e só alguém que seja de Marte é que ignora que ele está totalmente queimado nesta país dos Charlies de aviário. Têm mais piada 5 minutos de qualquer um dos programas dele para a Sic Radical (que, misteriosamente, repete os antigos, mas não lhe encomenda novos) do que 1 ano de capas de Charlies, os últimos 20 anos da carreira do Herman José, ou toda a programação do Canal Q (por pudor, nem falo dos avençados da PT ou daquele moço da Controlinveste que, se o deixassem, ia a Évora aliviar a tensão sexual do seu ídolo). Sei que me repito, mas mais piada que o Sinel de Cordes só mesmo esta súbita paixão deste país de botas da tropa pela liberdade de expressão.

  8. Marquês Barão

    Nicolau Maquiavel
    “Lembre-se que Deus é terminantemente contra a guerra, mas protege quem atira bem”
    “Quero ir para o inferno, não para o céu. No inferno, gozarei da companhia de papas, reis e príncipes. No céu, só terei por companhia mendigos, monges, eremitas e apóstolos.”
    “Aos amigos os favores, aos inimigos a lei.”
    “Os preconceitos têm mais raízes do que os princípios.”
    “Creio que seriam desejáveis ambas as coisas, mas, como é difícil reuni-las, é mais seguro ser temido do que amado.”
    “Quem num mundo cheio de perversos pretende seguir em tudo os ditames da bondade, caminha inevitavelmente para a própria perdição.”
    “Os fantasmas causam maior medo de longe do que de perto.”

  9. JS

    RSC tem razão. Como sempre zomba directo, cáustico.
    Já não há paciência para tantos berlinenses, Charlies … e carneirada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.