Por uma reforma progressista na contabilidação do défice público

O secretário-geral do PS defendeu hoje que a comparticipação dos Estados-membros no novo plano europeu para o investimento estratégico não deve ser contabilizada para apuramento do défice.

Aproveito para, em complemento, propor que esta contribuição seja feita em notas do monopólio ou conchinhas da praia. Desta forma, para além de não sobrecarregar o défice, não irá gerar necessidades adicionais de financiamento e logo um acréscimo no stock de dívida pública.

Não sei se já repararam que metade das propostas socialistas neste domínio são no sentido de alterar as formas de cálculo do défice (os maldosos chamam-lhe contabilidade criativa). A outra metade são propostas para que terceitos financiem a título gracioso a despesa pública.

9 pensamentos sobre “Por uma reforma progressista na contabilidação do défice público

  1. JP

    Eu gosto do António Costa.
    O António Costa veste-se bem.
    Ele é muito bom.
    Ele fala tão levezinho que parece nem dizer nada.
    Ele fala de coisas que agente entende e a gente entende que ele percebe do que fala.
    Mas a Europa não o deixa trabalhar.
    Coitadinho.
    É preciso mudar o sistema.

  2. tina

    Grande aldrabão, não bastou querer esconder as contas da CML, agora quer aldrabar os portugueses, dando-lhes a impressão que não estão a gastar tanto. Este homem é mau demais para ser verdade.

  3. tina

    Um dos melhores serviços públicos que o Insurgente poderia prestar ao país seria denunciar constantemente as aldrabices de Costa a nível de contas. Poderia ser na forma de uma lista, que seria atualizada regularmente. Não podemos ser apanhados outra vez desprevenidos como aconteceu com Sócrates. MFL era das poucas pessoas que dizia que o défice estava a ser aldrabado e o Teixeira ria-se dela. As pessoas não acreditam que possa haver tanta falta de honestidade e confiam. No final, o último défice que Teixeira dizia que seria 6,9% afinal passou dos 10%.

    Outra maneira também pode ser alertar o Eurostat para possíveis falcatruas. Eles estão sempre atentos e até agradecem. Infelizmente, com o PS no poder é como se voltássemos a uma república das bananas e cabe aos cidadãos exercer um papel vigilante ativo.

  4. O Miguel Noronha, sempre tão bem informado, desta vez ironiza com “notas do monopólio”. Acontece que de ironia não tem nada, um vez que o BCE já veio anunciar, sem qualquer pejo, o “Quantitative Easing”, que traduzido por miúdos significa imprimir notas do monopólio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.