TSF, uma rádio engajada

Para Fernando Alves, que teve o condão de transformar uma informativa rubrica em que se liam as manchetes do dia num apanágio diário a António Costa, o presidente da associação dos hoteleiros é um “vira-casaca” e um “político” (termo perjorativo que não se aplica ao messias de Lisboa). É que este estaria a negociar o patrocínio da sua associação à “taxa Costa” nas costas (no pun intended) dos seus membros. Que afinal estavam contra a medida. E acabou por não existir acordo algum.

11 pensamentos sobre “TSF, uma rádio engajada

  1. Qualquer intelectual de esquerda, sejam dos “puros” que tem intelectual como profissao, sendo na verdade mamadores profissionais, sejam as imitaçoes, como esse Fernando Alves e criticos que criticam e nao apresentam soluçoes, sendo tudo culpa da direita , todos estes tem um orgasmo continuo a ouvir a TSF, a ler o Publicoonline , o ionline ( comprar para contribuir par ao pagamento das despesas dos jornalistas, isso nao.) e vibram nas redes sociais como sendo donos disto..

    Tenho a sensaçao que vao sair as contas furadas.. ou entao levam com um furo nas contas.

  2. Miguel A. Baptista

    Mas o tom da TSF é sempre esse. Essa revista de imprensa foi seguida pelo programa Tubo de Ensaio onde se fazia humor, não com o facto de António Costa ter lançado uma taxa passado um ano de ter dito que não o faria, mas com o facto do PSD Lisboa ser contra.

  3. Miguel Noronha

    Até há pouco tempo (pré-Fernado Alves) a “revista de imprensa” era uma rubrica informativa onde liam as principais manchetes do dia. Agora é uma rubrica onde se faz uma uma selecção bastante enviesada de notícias e colunas de opinião misturadas com a própria opinião do Fernando Alves.

    A TSF tem todo o direito de fazer este tipo de alterações, note-se. Mas que se tratou de uma mudança substâncial na política editorial é um facto. E que o enviesamento político da rubrica é notório também.

  4. numiloses

    Um meio de comunicaçao social deixa de o ser quando segue linhas editoriais tendenciosas, passa a ser um meio de informaçao apenas.

    A TSF , que já deixei de ouvir à algum tempo – e basta 5 minutos a tentar ouvir para mudar de estaçao – é um meio de informaçao partidario, como tantos outros.

    Se assim é, nao pode ser usada como referencia nos outros meios de comunicaçao social, nem os seus funcionarios como jornalistas – têm de passar a ser comentadores..

    E assim é com mais de 50% com os meios de comunicaçao.

  5. Miguel Noronha

    “O DN pelo mesmo caminho.”
    Não consigo ler a notícia completa mas parece-me que se limita a relatar o sucedido. É aliás com base nessa notícia que o FA profere aqueles comentários.

  6. Dervich

    Bom, mas…a notícia é verdadeira ou não?!… Para não se ser “engajado” é preciso apenas destacar notícias verdadeiras de um lado (bom), não de outro lado (mau)?…
    Eu prefiro pensar que rádios “engajadas” são rádios com gajas…A Smooth FM é fixe mas não é “engajada”, é apresentada por um tipo.

  7. Miguel Noronha

    Agradeço a sua valiosa contribuição sobre a Smooth FM mas preferia que a guardasse para o seu blog ou para um post onde esta fosse abordada.

    A notícia é aparentemente verdade. E se ler o post (às vezes, convém) irá reparar que não é isso que está em causa. Limito-me a destacar o enviesamento que que FA aborda o sucedido. O presidente da associação de hoteleiros é criticado por ter rompido um acordo com AC. Pelos vistos se o tivesse assinado mesmo contra a opinião da maioria dos seus associados seria caso para o louvar. Da mesma forma, relativamente ao caso da “taxa Costa” (já foi referida ontem) FA critica os que defenderam aumentos de impostos (por ex, o IVA na restauração) e agora estão contra a taxa. E sobre quem fez o inverso, incluindo o próprio AC? Silêncio completo de Fernando Alves.

    A selectividade é tal que cita o artigo de Bruno Faria Lopes no DE na parte em que este diz que a taxa turistica é algo sem importância. Ficamos sem saber o contexto em que diz isto. Acontece que BFL diz que perante casos bem mais graves no orçamento da CML este será um caso menor.

  8. lucklucky

    A TSF não existiria se o objectivo fosse só uma rádio para informar.
    A TSF é um actor político.
    Ninguém está lá para informar, aliás, raros são os jornalistas que escolhem profissão para informar. A maioria dos jornalistas escolhe a profissão e é escolhido para fazer proselitismo político.

    Jornalistas são os Padres do Séc: XXI, ~guardiões da moral e a nova Religião é a Politica.
    Acreditam que a Política tudo resolve, que nos purificará e absolverá de todos os males.
    Claro se nós pagarmos.

  9. António

    Na TSF e em todos os outros órgão de comunicação social pertencentes ao mesmo grupo manda agora o advogado Proença de Carvalho. Perceberam ou será melhor fazer um desenho…??

  10. António Costa é o salvador

    Na antena 1, à mesma hora, é feita uma revista igualmente pró socialista/comunista/bloquista. Há meses que a deixei de ouvir de manhã, é completamente vergonhoso é tudo menos informação

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.