O que une a esquerda e a direita?

Caro André,

Por isso é que nos 14 subscritores há gente que vai da esquerda à direita! E eu a pensar que o que unia gente de quadrantes ideológicos tão distintos (ou talvez não) fosse o benfiquismo ou, até, mesmo, uma noção distorcida de interesse nacional… Afinal, é uma defesa do “emprego”. Faz mais sentido.

Obrigado!

RAF

10 pensamentos sobre “O que une a esquerda e a direita?

  1. JP

    O baba tocou e cantou, entretendo e enrolando a classe política toda, que foi uma categoria. E eles dançaram. Mas a festa acabou.

  2. João de Brito

    Esquerda e direita?!
    Mas o que é isso?!
    Há muito que a disjuntiva é outra:
    – Há tacho ou não?!…

  3. Baptista da Silva

    Mais profundo que o caro Pedro Quaresma é questionar se existe algum Partido de Direita, ou meramente liberal, em Portugal. Eu já procurei e não encontrei.

  4. antonio

    A direita em Portugal é conservadora: corporativa, jaconina, socalista, cristã. Depois há uns pintasilgos com tiques liberais (uns na economia, outros para liberdades individuais, outros só para serem diferentes…). Mas são poucos.

    Nunca o PSD, e muitos menos o PP, foram liberais. Nem serão.

    Um partido realmente liberal em Portugal seria dificil, porque seria dificil conciliar os poucos liberais de direita (liberais para a economia) com os poucos liberais de esquerda (liberais para as liberdades individuais). Como é que se juntaria membros da Opus Dei com… gays e bons vivants hadonicos?

    Vejo mais facil que um partido nacionalista faciszoide ou um partido nacionalista comunistoide ascendam quando isto rebente do que algo do tipo liberal.

    Lembremos que até as revoluçoes liberais tiveram pouco ou nada de liberal…

  5. Miguel A. Baptista

    De facto é Portugal muito pouco liberal. De um modo geral o povo português troca de bom grado a sua liberdade por alguma “diminuição da incerteza”. Os estudos transculturais de Hofstede mostram bem isso (http://geert-hofstede.com/portugal.html). Portugal tem o score mais baixo em individualismo e o mais alto em “diminuição da incerteza” (If there is a dimension that defines Portugal very clearly, it is Uncertainty Avoidance. Portugal scores 99 on this dimension and thus has a very high preference for avoiding uncertainty.)
    Antes de haver estudos transculturais já Salazar tinha, há muito, chegado essa conclusão.

    O corporativismo e o socialismo têm bastante em comum. O darem um cenário de “uncertainty avoidance” (nem que seja de estabilidade podre e que não produza riqueza) é um deles.

  6. tina

    Bem, até agora ainda ninguém disse quem foram as pessoas de direita que assinaram e também ninguém deu um link para a lista completa.

  7. tina

    Já sei afinal quem é a pessoa de direita! A Maria João Avilez dá uma malha brilhante a Bagão Félix no Observador. A não perder!…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.