Passatempo revolucionário – Parte 2

Qualquer pessoa que analise o actual regime desapaixonadamente, concluirá que foi um fracasso económico. Apesar das oportunidades, o regime fracassou em desenvolver o país e melhorar o padrão de vida dos portugueses. Portugal está hoje, em termos relativos, na mesma posição em que estava em 1974 em relação às economias mais avançadas. As melhorias no nível de bem-estar ocorreram devido ao passar do tempo e não devido ao regime.

Foi assim que iniciei o texto deste post em Abril deste ano. Na altura desafiei os leitores do blog a encontrarem o ano de 1974 num conjunto de gráficos sem legenda nos eixos. Aproveitando a disponibilização de séries longas sobre alguns indicadores materiais em Portugal, proponho aos leitores (principalmente a todos aqueles que acreditam que o 25 de Abril foi um ponto de viragem na qualidade de vida material dos portugueses) uma segunda parte desse exercício.

DEsta vez o nível de dificuldade é maior: todos os gráficos começam e acabam em anos diferentes. Podem deixar as apostas na caixa de comentários. Boa sorte!

A. Salário dos trabalhadores (em termos reais)

saláriotrabalhadores

B. Altura média (cms)
altura2

C. PIB per capita (USD, 1990)

GDPpercapita

D. Desigualdade de rendimentos (índice de Gini – quanto maior, maior a desigualdade)
incomeinequa

E. Taxa de homicídios (por 100.000 pessoas)
homiciderate

F. Número de anos médio de educação
yearsofeducation

G. Esperança média de vida das mulheres à nascença (anos)
femalelifeexpectancy

9 pensamentos sobre “Passatempo revolucionário – Parte 2

  1. k.

    Todos os seus gráficos demonstram que o PREC foi totalmente indiferente para o desenvolvimento do Pais. Ou as “visitas” do FMI.
    É uma conclusão tão válida quanto qualquer outra que queira tirar – tem cuidado com histórias, qualquer um pode inventar uma boa historia para o tramar.

  2. rmg

    k.

    Estude e trate-se.
    José Saramago disse exactamente o mesmo numa entrevista.
    Tenho-a aqui na minha frente.
    Passe bem mais as suas certezas.

  3. lucklucky

    “Todos os seus gráficos demonstram que o PREC foi totalmente indiferente para o desenvolvimento do Pais. Ou as “visitas” do FMI”

    Esta tem piada. O FMI nunca veio clamar que iria desenvolver e trazer a properidade ao país.

    “É uma conclusão tão válida quanto qualquer outra que queira tirar ”

    Esta veio do ficheiro. Deixa cá usar a carta da relatividade.

    Não não é.
    Se você acha que pode concluir OUTRA que queira tirar diga onde está o 25 de Abril nos gráficos.

  4. Carlos Guimarães Pinto

    Spoiler alert. Fica aqui a chave de respostas:

    A – 2
    B – 4
    C – 3
    D – 4
    E – 1
    F – 3
    G – 2

  5. k.

    “rmg em Novembro 3, 2014 às 22:42 disse: ”

    Já estudei, agora é a sua vez – claramente não sabe ler, senão teria entendido que sem contexto, os gráficos validam tudo o que se passou na politica portuguesa nos ultimos anos, “bom” ou “mau”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.