Casamentos forçados

Crianças sem escolha. Um trabalho da BBC.

7 pensamentos sobre “Casamentos forçados

  1. jacarlos

    Os casamentos forçados, tráfico de crianças e escravatura é um questão cultural / religiosa que está no DNA do islão. Na Arábia Saudita só no final dos anos 60 foi abolida a escravatura. Na Mauritânia, Níger , Yeman ela é prática corrente nos dias de hoje. Todos os países aqui visados têm em comum o facto de serem estados islâmicos, logo o mundo treme de medo. Treme a ONU , tremem os media e ONG politicamente correctos, treme Holywood que prefere continua a fazer filmes sobre a escravatura do passado, treme o Vaticano que prefere continuar a pedir desculpa pela Inquisição e pela Cruzadas de 500 anos atrás, enfim, siga a marcha que o islão é paz e tolerância,

  2. 2-al-Zawahri

    Os muçulmanos julgavam que eram os superiores mas agora já foi revelado o super hiper ultra e supra-islam. Onde as pessoas testemunham o mesmo, mais, melhor e a verdade.
    No islam, maomé disse que o seu coiso(allah maometano), enganava e infundia terror.
    E os islâmicos fartam-se de dizer que esse coiso é grande e o maior, logo o maior enganador e terrorista.
    Como se vê por esta e outras verdades, um supra muçulmano estuda mais, melhor e chega às verdades.
    O supra-islam, é das armas de palavra mais eficazes para desmascarar e derrotar os enganados, alienados, drogados, gananciosos e criminosos islâmicos.
    E o supra-islam foi primeiramente revelado no idioma da terra da luz, Lusitânia.
    Se gritam que Allah é Grande, então devem aceitar que Allah, O verdadeiro(O Divino das verdades) e porreiro(o da vida), o antes de maomé, fora do islam e depois de maomé, também tenha o super, hiper ultra e supra-islam.

  3. Mário Pinto

    “Na Arábia Saudita só no final dos anos 60 foi abolida a escravatura” mas nem por isso deixa de ser um forte aliado dos EUA apesar de ser tb financiador da Al Qaeda. Mundo estranho, este, onde cada vez mais se misturam amigos com interesses, sendo que são estes (os interesses) que determinam a realidade. E tudo isto sem que os Cruzados do século XXI se revoltem.

    …a Igreja pediu desculpa pela Inquisição mas a sua sucedânea – a Congregação Para a Doutrina da Fé – e sobre a orientação do então cardeal Ratzinger não deixou de zelar pela ortodoxia da ICAR. Hans Kung; Leonardo Boff ou D. Hélder Câmara são exemplos.

  4. Mário Pinto

    Geniais não serão pq se eu fosse um génio publicaria textos n’OInsurgente. Apenas tentei alertar para o facto de “quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras ao vizinho” pq algumas pessoas ainda têm memória e sabem que o mundo não é (apenas) a preto e branco. Decerto que me entende.
    Depois, eu comentei um comentário de “jacarlos” e não o seu texto, ruicarmo, que – ainda assim – me honrou por ter lido o meu escrito.

    Fico feliz por não me ter apontado qualquer erro, histórico ou outro.

  5. Renato Souza

    Vejamos o que disse Mario Pinto:

    Se uma organização qualquer afastar de seus cargos mais importantes, pessoas que não concordam com as doutrinas dessa organização, isso é equivalente a escravizar pessoas, ou cometer outros atos de violência contra inocentes.

    Em outras palavras: o ato legítimo e não agressivo (escolha ou afastamento de pessoas por parte de uma organização de adesão voluntária) é igual a atos ilegítimos e agressivos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.